Que saudades de você… #1 – Víctor Cáceres, o Pé de Pano

Fala, Nação!

Após algumas semanas de inatividade, retorno com uma nova seção aqui na Coluna do Flamengo. É o “Que saudades de você…“, onde relembrarei bons nomes de nosso passado – não necessariamente ídolos nem primores técnicos, mas jogadores que, de alguma forma, tiveram uma passagem especial pelo Flamengo. Passando por folclóricos, raçudos, engraçados, exemplares e até por aqueles que paradoxalmente não sentimos nenhuma saudade, em alguns casos, esses nomes terão aqui seu espaço semanal às sextas-feiras. E seremos democráticos! Você pode contribuir através dos comentários sugerindo novos nomes e até citando histórias e fatos que você gostaria de ver compartilhados por aqui.

E o primeiro ilustre ex-jogador rubro-negro da lista é ninguém mais, ninguém menos, que o Topo Gigio ou o Pé de Pano do Flamengo: o paraguaio Víctor Cáceres.

Cáceres chegou ao Flamengo sem custos em 7 de julho de 2012, ao término de seu vínculo contratual com o Libertad – PAR. Sua chegada já demonstrou profissionalismo por parte do volante, que mesmo sem assinar pré-contrato com o Flamengo recusou uma proposta do Boca Juniors devido ao acordo verbal já firmado conosco. Em campo, o paraguaio foi conhecido pela firmeza, entrega e profissionalismo, que driblavam bem sua falta de habilidade técnica. Bastante desengonçado em campo, Cáceres tinha um excelente porte físico para um volante, bastante combativo em bolas aéreas.

Ao todo, esteve no Flamengo por três anos, somando 84 partidas e 3 gols marcados, sendo titular em boa parte desse período. Sério e combativo, chamou a atenção do Al-Rayyan, do Qatar, que o levou em meados de 2015 pagando aproximadamente R$3,5 milhões ao Fla. Apesar de suas oscilações, Víctor nunca se omitiu em momentos de pressão e saiu deixando pra trás uma excelente impressão. Suas atuações em solo brasileiro foram inclusive suficientes para consolidá-lo como um dos pilares da seleção paraguaia, onde Cáceres é convocação certa até hoje.

Se sua passagem pelo Flamengo não pode alçá-lo à condição de ídolo, ao menos Víctor Cáceres mostrou que nem só de lendas vivemos. Com disposição e gana, conquistou o respeito da Nação e se tornou um exemplo de conduta para se jogar em um time do nosso porte, independentemente de capacidade técnica. Aproveitamos a oportunidade, ainda, para desejar os mais sinceros votos de felicidade ao volante, que completa 33 anos neste domingo. Gracias, Cáceres!

E você, amigo rubro-negro, gostaria de ver Víctor Cáceres no Flamengo de hoje?!

SRN!

Twitter: @_rodrigocoli

Rodrigo Coli

44 Comentários
Carregando comentários...
Criação de sites e aplicativos para celular