Calcanhar de aquiles: números mostram (in)eficiência de nossos laterais

O Flamengo se reforçou no meio de campo com Piris da Motta e no ataque com Vitinho – que se tornou a maior compra da história rubro-negra – e Fernando Uribe. Porém, para a torcida, ficou faltando as laterais. Não podemos negar que Renê, lateral-esquerdo, é um bom ladrão de bolas, mas sofre no ataque. Rodinei, lateral-direito, por sua vez, sofre com partidas irreconhecíveis, distante daquelas que fizera o Mais Querido fazer sua contratação, em 2016.

Porém, apesar de tudo isso, os números comprovam outra coisa: Renê, camisa 6, é o atual bola de prata da ESPN e Rodinei, camisa 2, o segundo colocado para o lado direito do campo. Veja a tabela com os principais números dos atletas no Campeonato Brasileiro de 2018, obtidas no Twitter de Bruno Pet.

RODINEI   –   RENÊ

JOGOS: 16 (1° do Fla) — 15 (2° do Fla)
PASSES CERTOS: 626/276 (2° do Fla • 17° do BR) — 830 (1° do Fla • 2° do BR)
ASSISTÊNCIAS: 2 (2° do Fla) — 2 (2° do Fla)
CRUZAMENTOS: 14/76 (5° pior do BR) — 7/37 (36° pior do BR)
APROVEITAMENTO DOS CRUZAMENTOS: 16% — 16%
CRUZAMENTOS POR JOGO: 5,6 (1° do Fla) — 2,9 (6° do Fla)
DESARMES: 22 (5° do Fla) — 38 (2° do Fla • 14° do BR)



Para piorar a situação, nossos reservas também estão aquéns: nosso banco de reservas, para a posição, é composta por Pará e Miguel Trauco. Às vezes, Klebinho compõe a lista, mas, atualmente, o atleta está no sub-20. A verdade é que, apesar de ter feito uma ótima janela pós-Copa, faltou “fechar com chave de ouro” contratando laterais.

 

19 Comentários
Carregando comentários...
Criação de sites e aplicativos para celular