Tudo errado!

Salve, Salve Nação Mais Linda do Mundo!

Ontem o Flamengo protagonizou mais uma vez, e não foi para o bem. Fomos a estrela principal de mais uma quarta macabra, sessão especial no futebol nacional que já havíamos deixado pra trás a algum tempo.

Fomos novamente incompetentes na defesa, no ataque e, principalmente, na meiúca. São vários pontos a serem destacados e que necessitam de algumas mudanças se quisermos obter algum êxito. Para coroar, ainda levamos o gol de um certo motorzinho.

Primeiramente falemos da volância. Como Cuéllar faz falta! Além disso, se existia alguma dúvida de que o “poderoso” Rômulo não deveria jogar mais no Flamengo, na minha cabeça (e espero que também na do Barbieri), ela já não exista mais.

Como o cara é ruim! Além da falta de qualidade, ele ainda não se ajuda. Tá certo que não fez um péssimo jogo, tampouco recairá sobre ele a responsabilidade da derrota. Nada disso. Mas é simplesmente uma nulidade no campo. Lento, previsível, sem qualidade na saída de bola e péssimo nas coberturas.

Falando em nulidade, no ataque tivemos mais duas: Paolo Guerrero (como de praxe) e a novidade Marlos Moreno. Os dois erraram tudo, a não ser por um brilhareco do Marlos num drible fantástico com uma finalização de jogada medonha.

Nosso “centroavante” é uma piada de mau gosto. Não dá prosseguimento à maioria das jogadas, reclama em demasia, prefere cavar faltas a seguir na jogada e aceita passivamente a marcação do adversário. Em suma: patético!

Com relação a Uribe, achei-o muito nervoso na estreia. Perdeu um gol inimaginável, decidiu mal algumas jogadas, embora tenha de ressaltar aqui que, por mais que não enchesse nossos olhos, apresentou um senso de posicionamento acima da média, coisa que o peruano ainda não apresentou ao longo destes últimos três anos.

Os bâmbis vieram pra jogar por uma bola, e conseguiram. Aliás, foi muito mais que uma bola. Devo dizer que corremos sério risco nos contra-ataques devido à falta do Cuéllar na marcação. Poderíamos traçar um paralelo com o Casemiro na seleção brasileira: quando eles não jogam, não há substituto à altura. Simples assim.

Ontem o time foi muito mal, individualmente e, precipuamente, coletivamente. Não tivemos a coesão defensiva de sempre, tampouco apresentamos mínima qualidade na transição ofensiva.

No meio de campo, devido à ausência do colombiano, Diego e Paquetá alternaram a busca da bola para iniciar o ataque e, com isso, perdemos tanto em intensidade quanto em velocidade. Marlos e ER7 foram os destaques negativos da partida, erraram quase tudo.

Enfim, o time foi uma pândega. Fomos envolvidos por um time formado por dois ex-jogadores em atividade que deitaram e rolaram nos contra-ataques devido à falta de compactação e da marcação frouxa de nossa equipe. Parece que os caras desaprenderam a fazer tudo o que vinham realizando anteriormente à parada da copa do mundo.

Mas agora as favas já estão contadas. É levantar a cabeça e seguir em frente. Se eu fosse o treinador, já iria pensando em montar o time sem o Guerrero, o que não acredito que ocorra. Acho que ele anula nossa amplitude e tira nossa mobilidade no ataque.

Não há mais espaço para centroavante fixo, a não ser que ele decida a maioria das jogadas e capitalize as oportunidades de gol, o que não é o caso. Isso é tendência mundial, só não vê quem não quer!

As triangulações e flutuações com trocas de posição constantes são a tônica do futebol no mundo. O Brasil ficou pra trás, nosso futebol já não protagoniza há tempos e temo que o Flamengo também tenha que mudar essa linha de pensamento.

É chegada a hora! O posicionamento tático e o entendimento do jogo demandam muito mais ciência e aplicação teórica do que já foi outrora. Devemos seguir essa tendência e mirar o futuro como as aves de rapina caçam suas presas.

Isso é o futuro, é vanguarda. A quebra de paradigmas é denotada pelas mudanças de atitudes. Ela não é percebida em entrevistas pasteurizadas e discursos protocolares politicamente corretos, elas são mensuradas dentro das quatro linhas. E já devíamos estar rumando nesse sentido. Mas ainda dá tempo. É só começar agora! Vai pra cima deles Mengo!!!

O Flamengo simplesmente é!
Saudações rubro-negras a todos!
 Fabio Monken
Twitter: @fabio_monken

Gostou? Não gostou? Concorda, discorda? Ótimo!
O Debate sempre será salutar!
Deixe seus comentários e interaja conosco!
Pontos de vista divergentes são essenciais à evolução do homem.
Mas lembre-se: Somos todos Flamengo!
A intolerância e a falta de argumentos são os combustíveis para o fracasso!

10 Comentários
Carregando comentários...
Criação de sites e aplicativos para celular