Futebolzinho: A prata da casa… Dos outros

Desde que eu me entendo por gente, ouço cada torcedor do Flamengo se vangloriar da fábrica de fenômenos que temos na Gávea. A fábrica! Craque a gente faz em casa. E o que fazemos com eles? Ou melhor, o que pensamos realmente sobre esses meninos?

Tenho certeza que a maioria que está lendo isso está pensando que sou maluca, estou viajando, já que valorizamos muito a base e vivemos criticando o técnico malvado e o dirigente acéfalo que não faz uso dessa maravilha no Fla.

Porém, cada vez mais vejo que não é bem assim que funciona. Explico. Temos uma excelente safra no Ninho, correto? Isso acho que não tem como discordar, porém, a janela de transferências ainda nem abriu e o pau já está comendo porque até agora só contrataram um cara para reforçar o elenco.

Mas pera aí, cara pálida! Temos (anotem aí): Paquetá, Ronaldo, Matheus Sávio, Thiago, Lincoln, Gabriel Batista, Léo Duarte, Kleber, Thuller, Michael, Jean Lucas e tínhamos Vinícius Júnior e Vizeu também. Bastante gente, né?

Agora vamos “esquecer” essa lista imensa da casa e focar no restante do time que veio “de fora”: Diego, Éverton Ribeiro, Cuéllar, Diego Alves, Henrique Dourado, Berrío, Rhodolfo, Réver, Marlos Moreno, Guerrero e Uribe. Não coloquei todos, apenas o que causariam “inveja” nos outros times.

Agora, juntem as listas! E pensem friamente: Precisaríamos mesmo de reforços se acreditássemos na base? Os meninos são postos a prova em todos os jogos que entram. Matheus Sávio ficou marcado por um erro que não foi dele. Mas se são bons, se queremos que vinguem, não deveríamos investir e colocar pra jogar ao invés de gastar fortunas em um ex-craque da europa ocidental que jogou a Copa de 1920?

Eu me questiono sobre isso o tempo todo, vendo os craques na Copa da Rússia, meninos de 19/20 anos, me fez refletir seriamente sobre isso. Se somos fábrica, porque não usamos o produto? Amadurecimento? Hummm, sei… Vamos falar de um tal de Mbappe!

A não ser que realmente sejamos uma fábrica de “pronta entrega”, faço e passo pra frente. Ricos, sem dúvida, porém cada vez mais sem a tal alma Rubro-Negra que vemos brilhar nos olhos de Paquetá e escorrer dos olhos de Vini quando nos deu tchau no Maracanã. É errado? Também não, desde que estejamos conscientes.

Por mim eles jogam! E só buscaríamos reforços pontuais que realmente não temos em casa. Digo e repito, eu prefiro a minha grama batida, do que a verdinha do outro lado da cerca. E que Zico abençoe nossos meninos.

Saudações Rubro-Negras!

Renata Rosa Graciano

Twitter: @regraciano

 

Reprodução: Futebolzinho

12 Comentários
Carregando comentários...