Agora a coisa ficou séria!

É, meus amigos, a copa passou, o Brasil não foi campeão e o aperto no calendário será sentido a partir de agora. Jogos imprensados, falta de datas… Vamos ter que conviver com isso. A pergunta que fica é: É possível encarar as três competições e sair inteiro delas? Ser campeão em todas?

Olá, coleguinhas de coluna do Flamengo. Foi um longo inverno sem o mais querido, mas agora acabou a espera. Na verdade só quis deixar a pergunta para reflexão mesmo. Minha impressão é igual a do ano passado. Temos que focar pelo menos em duas competições. Mas hoje falaremos do calendário do que resta no mês de julho.

Para começar sempre olhamos os jogos do mês anterior, que também foram poucos. Foram três vitórias e um empate. 10 pontos de 12 são 83% de um magnífico aproveitamento. Uma pena aquele jogo conturbado contra o Palmeiras, mas isso já foi discutido à exaustão. Foram seis gols em quatro jogos e apenas um vazado. Vizeu fora o artilheiro improvável com três gols, com Diego, Thuler e Dourado marcando um cada. Rodinei, Arão e Everton saíram do mês com uma assistência cada e 11 cartões amarelos, graças ao festival contra os verdes, que também nos renderam incômodos três vermelhos. Difícil avaliar quando quase metade é em um jogo estranho. Atenção para Renê, que vive grande fase, mas levou dois cartões amarelos só neste mês. Talvez fosse bom planejar o jogo em que levará o terceiro para não desfalcar em jogo mais importante.

A base continua em alta e Léo agora sairá da nossa lista pelo mesmo motivo que Paquetá e Vinícius já saíram. São realidades. O Zagueiro hoje é o melhor que nós temos para a posição e a saída de Thuler já nem é vista com bons olhos, apesar de compreender que a experiência de Réver pode ser fundamental, principalmente nos mata-matas. Thuler fez 198 minutos este mês, enquanto Jean Lucas, 167, embora entre com muito mais frequência. Há espaço para as laterais e Ronaldo e Hugo devem ser opções para ausência de Cuellar. Estamos indo bem neste quesito. Que bom!

Serão quatro partidas. Duas por semana, vão se acostumando. Todos os jogos serão importantes agora. Contra o vice-líder será fundamental a vitória. Tomar sete pontos de vantagem para eles vai ajudar quando a maratona pesar. Depois pegaremos o botafogo e o Flamengo precisa dar uma resposta aos pseudo-rivais cariocas. Temos que ganhar os clássicos que ainda não estamos fazendo boa campanha nesse tal “campeonato à parte”. Neste ano já jogamos três vezes contra eles. Até ganhamos duas, mas perdemos a mais importante, que derrubou Carpegiani. Para eles é a glória!

Enfrentaremos o Santos na única partida fora de casa e fechamos contra sport no Rio. 10 pontos é bastante aceitável novamente. Talvez empatar com o Santos fora não seja um resultado tão ruim, mas trazer os 12 pontos seria perfeito para a manutenção da primeira colocação. Como já falamos outra vez, ser primeiro colocado na 13 rodada é tão bom quanto ser artilheiro de pelada. Bom mesmo é ser na 38!

Ah, deixamos o jogo contra o Grêmio ali em vermelho para lembrar que já teremos uma final no primeiro dia do mês decisivo! Não podemos esquecê-lo nem por um minutos sequer!

 

 

Anderson Alves, O otimista.

2 Comentários
Carregando comentários...