Com dificuldades em contratar, Fla deve focar na categoria de base

O Flamengo perdeu peças importante do elenco com a saída de Everton Cardoso, que foi no início do ano para o São Paulo, e também com relação as saídas mais recentes de Vinicius Junior, Jonas e Felipe Vizeu. Com isso, o clube, que está encontrando sérias dificuldades em contratar reposições, deve focar novamente na categoria de base, segundo informou o Lance!.

No entanto, os dirigentes sabem que a escolha pode ser tratada de forma severa pelos torcedores, que têm expectativa por reforços de peso. Apesar disso, não há o menor interesse da diretoria em contratar por contratar. A intenção é trazer apenas nomes que sejam considerados unanimidades.

Com a saída de Vinicius Junior, os dirigentes sofreram um grande baque, mas iniciaram a busca por uma reposição à altura. A comissão técnica acredita que existem bons nomes na base para repor a perda no ataque, contudo, há o entendimento de que ainda não é a hora de jogar tamanha responsabilidade sobre os ombros dos meninos, de acordo com o Lancenet!.

Para a lateral-esquerda, é consenso de que a posição pode ser bem suprida por Michael, de apenas 19 anos, mesmo que Miguel Trauco seja negociado, como assim ele deseja. Para a posição, só haverá investimento caso seja uma grande oportunidade de mercado. Já a contratação do colombiano Fernando Uribe serve para repor uma lacuna que será deixada com a iminente saída de Paolo Guerrero, que tem contrato se encerrando no dia 10 de agosto e não deve renovar, segundo o Uol.

Agora, o clube enxerga como prioridade um lateral-direito e um volante. Não à toa, o Fla buscou contratar Walace, ex-Hamburgo e atualmente no Hannover, mas o valor solicitado pelo seu ex-time foi considerado muito alto e a negociação não fora concretizada. A diretoria anda sondando jogadores que atuem na lateral. Bruno Peres, da Roma, e Adriano, do Besiktas, são atletas que rotineiramente são vinculados ao Urubu.

Para o ataque, o Flamengo ficou perto de fechar com o Vitinho, do CSKA. Ambas as partes abriram negociação, acertaram bases salárias, mas os russos pediram cerca de R$ 50 milhões para poder fechar o negócio, o que dificultou. Mesmo com o Rubro-Negro pedindo um empréstimo, com um valor fixado de compra, não houve acordo.

Outro nome que interessou os dirigentes, fora o de Bernard. O jogador está liberado da sua ex-equipe, o Shakhtar Donestk, e não há maiores dificuldades para que um acordo seja finalizado. O Fla poderia contratar pagando apenas o salário e as luvas contratuais, tendo em vista que o seu vínculo com o time da Ucrânia encerrou-se.

Porém, a ideia do atleta é permanecer pela Europa e sequer aceitou abrir negociação. Pessoas ligadas a Bernard garantem que pelo menos cinco clubes do Brasil e mais alguns do exterior já demonstraram interesse e deve anunciar seu destino após a Copa do Mundo. O meia-atacante está no Brasil e vem mantendo a forma com um preparador físico pessoal.

A aposta na categoria de base deve acontecer, porque o atual diretor de futebol, Carlos Noval, era o líder do projeto Pratas do Ninho, que envolvem os atletas das categorias inferiores do clube. O dirigente é um dos maiores entusiastas em relação a utilização dos meninos. Com isso, os garotos devem ganhar maiores oportunidades em um plantel em que, até pouco tempo, apenas medalhões eram vistos como prioridades.

16 Comentários
Carregando comentários...