Estamos segurando as pontas até a copa. Maio precisa nos entregar isso!

O mês de Maio está chegando e Finalizamos Abril que teve protestos e carinho. De novo ficamos aquém do nosso potencial, mas vamos olhar como isso se desenhou neste ano e como se deu no ano passado. Olá, coleguinhas de Coluna do Flamengo. Hoje é dia da coluna do calendário. Vamos poder olhar os resultados de Abril e projetar os do próximo mês. Vamos nessa!

O nosso aproveitamento é de duas vitórias e três empates, 60%. 1% pior que o ano passado. Estar na liderança do brasileiro é bom, mas só servirá se ao fim do campeonato ainda estivermos nesta posição e, para isto, temos que aumentar esse aproveitamento. Tem um velho sábio que diz: “Ser líder na terceira rodada é igual a ser artilheiro de pelada. Tem uma hora que você comemora, mas só vale para zoar o outro” Fizemos 8 gols, 3 com Dourado, 2 com Vinícius e Rever, Diego e Paquetá fecham com 1 cada. A média é de 1,6 por partida. Nem é uma média ruim, embora tenha melhorado em relação a do ano passado. A média de gols levados também caiu. Fomos vazados 3 vezes em 5 jogos contra 5 em 6 jogos do ano passado. Ainda é possível melhorar, sobretudo quando se analisa os adversários e a forma como saíram os gols. Os defensores do Renê que me perdoem, mas os três saíram por aquele lado. Outra coisa digna de nota são as assistências. Cresceram neste período. Dos oito gols, apenas um foi de pênalti. Os demais tiveram assistente. Destaque para Vinícius.

Para efeitos de análise não faremos mais a distinção dos minutos jogados por Vinícius, visto que aparentemente assumiu a posição de titular. Neste caso, três jogadores da base ganharam minutos: Jean Lucas (3 em duas partidas), Lincoln (40) e Léo Duarte (90). “Onde esconderam Paquetá? Tadinho do Léo Duarte que só assiste aos jogos”. Este trecho da coluna do ano passado explicita dois jogadores que agora um é titular e o outro soma mais minutos do que nos outros anos juntos. Ainda é pouco. Abril foi um mês de pouco uso da base em relação aos outros meses e até em relação ao ano passado. Os reservas de Barbieri são sempre os mesmos: Geuvânio, Marlos, Arão, Jonas. Vá gostar de volante assim lá longe!

Maio começa hoje com o jogo contra a Ponte Preta e não é um rival em que temos um histórico confortável. Perdemos mais do que ganhamos e sofremos mais gols também. Espero que tenhamos aprendido a não subestimar adversários, acima de tudo, brasileiros… de interior paulista… Já tivemos a notícia de que Diego não deve jogar. Fala-se em mais jogadores que não devem participar. Espero que estejam planejando bem a partida. Empate fora e vitória em casa nos colocam na próxima fase e não me venha com aquela conversa de que “temos que ganhar tudo”. Nenhum time ganha todas as partidas.

Ponte, Inter, Ponte, Chapecoense, Emelec, Vasco, River, Galo e Bahia. Fala a verdade. Sempre tem um clássico entre jogos decisivos, não é? O Flamengo pode fazer as coisas ficarem mais simples. Ganhando do Emelec no dia 16 e o Santa Fé não ganhando do River, poderemos nos concentrar no Vasco. Já houve um jogo contra o Vasco valendo esse ano? Não me lembro. Logo seria bom para todos se nos classificássemos com uma rodada de antecedência. Para isto, o jogo anterior ao Emelec contra a Chapecoense deve preservar os titulares.

Jogando para valer com Inter, Vasco, Galo e Bahia, 10 pontos mais um que o time alternativo arrancar de Chapecó será ótimo no brasileiro. Já nos mata-matas empate fora e vitória em casa são a chave para entrar em Junho menos preocupado com o céu caindo. Lembrando que podemos até ter time alternativo contra o River caso classifiquemos antes. Tenhamos em conta o estudo que diz que jogadores de futebol devem fazer, no máximo, sete jogos por mês.

Estou otimista para que o Flamengo some pontos e se classifique nas outras duas competições e que chegue um grande técnico após a copa do Mundo.

Vai pra cima deles, Mengo!

Anderson Alves, O otimista.

14 Comentários
Carregando comentários...