EBM vai as compras, e traz para casa… Barbi_eri!!!

Sempre eu hei de ser…. hoje, faltam-me palavras. Durante algumas semanas no Tv Coluna do Flamengo, comentei a respeito da efetivação ou não do Barbieri. Ora, com duas ou três semanas de trabalho é impossível para o Barbieri, para o Telê Santana, o Carlinhos Violino, ou o Guardiola armar o time com variações táticas. Pode-se, entretanto, organizar alguns setores da equipe e reposicionar algumas peças. Portanto, nos resenhas da Tv Coluna do Flamengo, não defendi a permanência do Barbieri, mas afirmei que, no pouco período de tempo não havia como determinar a competência o interino.

Eis que o tempo passa, e a tragédia se anuncia, vivida, galopante e inexorável. Mostrou toda a sua fúria e cores nos últimos minutos da despedida de Júlio César. Não eram um, ou dois, ou três… terminamos o jogo com quatro, que pareciam quatrocentos, volantes. Essa mancha indelével nunca será apagada das credenciais do Barbieri. Não satisfeito, ainda liderou o nosso esquadrão em Bogotá. Deixando de lado por um segundo a escalação do time (já passível de críticas), as substituições foram inaceitáveis.  A postura inerte, defensiva, medrosa, diante de uma equipe horrível, com um elenco muito superior nas suas mãos, fez-me pedir a substituição do Barbieri. Aqui nas minhas colunas nas sextas-feiras, não tenho por hábito alimentar a unanimidade da torcida. A paixão é um sentimento inexplicável, magnético, e invariavelmente desprovido de razão. Torcedores se apaixonam, amam e odeiam, e cabe ao colunista aqui, na maior parte das vezes, frear a insanidade. Porém, desta vez ecoo a torcida.

A ideia de termos um técnico bom em um clube que está as vésperas de eleições, vivendo uma crise esportiva, ainda detentor da maior torcida no Brasil, oferecendo apenas contratos de curto prazo afastam, com razão, as boas opções no mercado. Há duas semanas atrás falávamos de quais técnicos gostaríamos que estivessem a frente do Flamengo. Sonhamos com Renato Gaúcho, eu flertei com Diniz e acordamos todos, possivelmente ainda embriagados com o Barbieri.

Hoje a situação é mais trágica. Ao invés de falarmos quais técnicos gostaríamos de ver no banco do Flamengo, invertemos e falamos apenas os técnicos que não podem vir de jeito nenhum (como por exemplo… deixa eu pensar, digamos Celso Roth). Nesse caso não há técnico ideal. Todos os medianos (e mesmo os mais medalhões) nos últimos anos terão tido bons e maus trabalhos. Esses pequenos sucessos são parte de uma equação esportiva complexa, apesar do torcedor achar que é sorte. Esses técnicos têm limitações táticas, conhecem apenas algumas poucas variações de jogo e quando o plantel disponível se encaixa nesse “estilo” o técnico consegue algum sucesso. Nesse caso é preciso escolher um técnico que consiga implementar uma maneira de jogar que sirva aos jogadores que temos à disposição. Portanto, por exemplo, o nosso futuro técnico tem que montar o time com uma maneira de jogar que não conte com cruzamentos, nem ultrapassagem dos laterais, e que arrume uma maneira de sair jogando da defesa contando apenas com um volante capaz de fazê-lo; tarefa nada fácil. O sucesso temporário desses treinadores “rodados” e conhecidos dependem da junção de um certo estilo e nosso plantel. Nenhum deles vai transforar o Flamengo em uma máquina de títulos, mas por mais que se crucifique parte do elenco, a maior parte dos jogadores sofre da ausência tática e esses medianos podem melhorar e muito o time. Pelo que vimos diante do Santa Fe não há muito o que piorar nesse time.

Minha insatisfação com o Barbieri é imensa. Tão grande que quase qualquer um que seja técnico tenha pelo menos direito a uma entrevista de trabalho no Flamengo. Do latim, Vade Retro Barbieri, mas aqui não dá para termos medrosos, e o dia que jogarmos contra o Olaria, ou Macaé ou Santa Fe para empatar, quem quer que seja responsável por essa atitude, tem que sair do clube.  Mas que sejamos rápidos, se algo de concreto não melhorar as coisas podem piorar e muito no Brasileirão. Crise política, elenco desmotivado e técnicos ruins formam uma combinação que levam times para… melhor nem comentar.

  • C.R FLAMENGO

    Será que é verdade essa história de que o FLAMENGO trocou o ônibus oficial do clube, por um alugado, porque o ônibus do clube quicava muito e tirava o sossego dos jogadores? Eu já tinha reparado que não estavam mais usando o Urubuzão. Se for esse o motivo…pqp. Esses come e dorme estão sambando na cara do clube.

  • roberto

    O grande problema do flamengo nos últimos anos está sendo a diretoria pela as péssimas contratações principalmente para o setor ofensivo e laterais, e o banco de reservas também e muito fraco, jogamos dinheiro fora, esse Rodrigo Caetano contratou muito mal não sei se é incompetência ou mal intencionado derrepente o cara e torcedor do vasco e quis afundar o flamengo co esses atacantes colombiano enfim o elenco é muito fraco ou fraquíssimo, infelizmente não vamos ganhar nada esse ano, a culpa não é e nem nunca foi do Diego. e do Bandeira.

    • Alessandro

      Mais quem foi o responsável por contratar o Rodrigo Caetano ??

  • César Augusto

    então tem que montar esquema tático extraterrestre para esses jogadores mimados do fantástico mundo de bob? Já chega de desculpas sobre tática,organização, psicológico, mimimii!

  • Golbery

    Entra e sai técnico, saem os jogadores criticados (Muralha, Gabriel, MA) e nada muda. Barbieri é o menor dos problemas. O Fla com o futebol sendo comandado pelo EBM não evolui. Com Wallim e sem tanto dinheiro ganhamos uma CB e um Carioca. Desde 2014 até agora só ganhamos o Carioca de 17 e uma boa campanha no Brasileiro. EBM precisa largar o futebol, mas não é crível que isso aconteça até o fim do seu mandato.

    • Fabricio Benites

      Barbieri é o maior dos problemas

      • C.R FLAMENGO

        Hahaha. Óbvio que não é

  • Alessandro

    Pior que é verdade.

  • Fabricio Benites

    Precisamos de um treinador, Barbieri nem treinador é…

  • Serginho

    Vetaram meu comentario?

    • Leo Almeida

      Já fizeram isso comigo variadas vezes

      • Serginho

        E onde entra o direito constitucional de livre expressão?
        Não sigo mais a página!

      • Serginho

        É anti constituicional fere o direito de livre expressão!

  • DD

    Claro que o Bandeira e os jogadores querem Barbieri, um interino que pode ser mandado sem questionar nada. Qualquer técnico de verdade que ver intromissão de presidente dizendo esses aqui é meu protegido e tem de jogar, vai saltar do barco. A mesma história de filho mimado chorão que se o professor não faz a vontade ele na sala. Corre pro papai pra dizer que foi humilhado etc… E o papai com poder aquisitivo impõe na diretoria como o filhinho deve ser tratado pelo professor. Infelizmente esses jogadores já dominaram o presidente e minam qualquer coisa que os exijam, principalmente no quesito de cobrança. Como responsabilidade, vontade de colocar o clube no topo. Preocupam-se mais em arrumar desculpas, para o desempenho pífio que possuem nas competições.

  • Buzz Buzzards

    É a nova Barbie – aprendiz de treinador.

  • Victor Ferreira

    Os jogadores mandam até na escolha do ônibus.
    Não querem ser indentificados pela torcida para não serem cobrados.

  • Buzz Buzzards

    Infelizmente Bandeira se tornou déspota.
    Igualzinho o porco Napoleão, do livro A revolução dos bichos.

  • Real

    A crise no futebol do Flamengo tem origem em uma conjunção de fatores. Indo diretamente ao ponto, temos uma diretoria que nada entende de futebol e de planejamento de futebol. Só para lembrar, ficamos mais de um mês esperando o Rueda dizer que não ficaria no Flamengo. Depois, pela ineficácia do Carpegiani, ficamos quase outro esperando pelo desdém do Renato Gaúcho. Agora, colocaram um “estagiário” para comandar o time em três campeonatos diferentes. Já se constatou que não deu certo e que não dará certo, mas até agora nada de técnico. Diz-se que o mercado está carente, mas isso é uma mentira. No mundo do futebol, o técnico vai trabalhar no clube que paga melhor, nem que para isso tenha de rescindir o contrato que vinha cumprindo, mas a diretoria prefere arriscar a perder os campeonatos a contratar um técnico consagrado por títulos. Dentro de campo, de nada adiantará arrumar-se taticamente, se não for recriada a cultura de time vencedor perdida ao longo dos anos. É preciso entrar em campo como se estivesse entrando num ringue ou num octógono. Cada jogo, sem importar qual seja o adversário, tem de ser jogado como se fosse uma batalha pela própria vida. A mentalidade hoje é de conformismo ante as derrotas, de apatia, de falta de vontade de vencer. O medo de perder foi substituído pelo terror em ganhar os jogos. Tomar sufoco do América e do Santa Fé mostra bem o que é nosso time hoje. Insta lembrar também que em campo o Flamengo só pode ser chamado de “bagunça tática”. Ninguém sabe o que fazer, ninguém sabe quem marcar, ninguém sabe como atacar, ninguém sabe nada… 2018 está praticamente em sua metade e já podemos ver escuridão no fim do túnel: mais um ano em que faltarão títulos e alegrias, mas sobrarão derrotas e vexames. Pobre Flamengo!!! Você merecia um destino melhor.

    • DD

      Isso me lembra de quando o Carpegiani avisou ao Renato que não viesse ao Flamengo, nessa resenha aí. Já deve ter passado todos problemas ao Renato, e o principal deve ter sido falta de autonomia. Se o possível novo técnico não tiver respaldo da diretoria, e ver interferência de presidente no trabalho, jogador reclamando sobre o comandante nas entrelinhas, enquanto finge estar tudo ok nas entrevistas. O Flamengo vai continuar naufragando.

  • Leo Lopes

    Eu só espero que em 2019 uma nova gestão assuma o Flamengo e se desfaça dos jogadores que não fazem jus à seus salários! Se ganha 500 mil que que fazer o dobro do fulano que ganha 250 mil! É assim que tem ser! Chega de jogar dinheiro no ralo! Tem que tirar a frase do Vampeta como exemplo: “Eles fingem que paga e eu finjo que jogo!” Ou seja: Se o Flamengo paga, o jogador tem obrigação de jogar! Se tá recebendo e não tá jogando então vende, empresta, troca ou não renove o contrato do infeliz! Simples assim! Se eu pago por 100 mb de velocidade eu quero receber 100 mb de velocidade! Não pode ser tipo “Oi”! SRN6

  • MAIA

    Em todos os times profissionais os jogadores têm que treinar e correr 90 minutos. Vou além, jogador profissional tem que estar preparado para correr 120 minutos. Em São Paulo a preparação física é levada a sério, no Sul, em Minas, no Rio, Vasco, Botafogo e Fluminense priorizam a preparação física para compensar a menor qualidade técnica. Em resumo: OS JOGADORES DO FLAMENGO PRECISAM DE PREPARADORES FÍSICOS DE VERDADE! Chega de corpo mole. Não tem mais como enganar a torcida. Ou melhora ou melhora. E quem não quiser se adaptar pode ir embora. Vai ser na pressão. Tem que correr igual a um doido, suar a camisa, dar carrinho, comer grama, ISSO É FLAMENGO! O resto é BARBI_ERI.

  • Gardner

    Concordo com o texto.
    Um treinador que veja oq temos no elenco pra montar o esquema tático em cima disso.
    Eu acredito no Marcelo Oliveira,lembro que ele foi campeão com o atlético com apenas um volante.
    Acho que esse faria certo.

  • Ubirahy

    Choveu no molhado e conseguiu adesão.
    Estamos bem de torcida!