Só pra te lembrar

Saudações, galerinha do mal… Eu sou Nick Marques e recordar é viver.

Pouco mais de 48 horas para o primeiro “jogo mais importante do ano” de muitos que ainda teremos em 2018, Taça Libertadores da América, em Guaiaquil, contra o Emelec, equipe que trás um frio na espinha de alguns torcedores rubro-negros… Mas é pra tanto?

Podemos começar citando o retrospecto do confronto, em quatro jogos entre as duas equipes, o Flamengo venceu três, sendo um deles no Equador, que eu falarei melhor mais para frente; ainda citando todos os jogos, o Mais Querido do Brasil fez gol em todos os confrontos, nunca passou em branco contra o Emelec.

A média de gols do Flamengo é de dois gols por jogo nas partidas contra a equipe equatoriana, tendo feito dois gols ou mais em três das quatro partidas; já eles, só fizeram um ou nenhum gol em três de quatro partidas, em apenas um jogo o Emelec marcou mais de um gol, na única derrota nossa, de virada, depois de péssimas substituições de Joel Santana.

Falemos então da mística partida em Guaiaquil, 2 de abril de 2014, abrimos o placar com Alecgol, de pênalti e de pênalti tomamos o empate de Stracqualursi; o empate tomava conta do cenário até 47 do segundo tempo, quando a bola chegou aos pés de Negueba, na esquerda do campo ofensivo, a marcação se aproximava, o narrador na transmissão pedia que ele segurasse a bola para manter o empate; o menino da alegria nas pernas (palavras de Luxemburgo) lançou a bola para Paulinho 762 que invadiu a área e bateu cruzado.

Temos hoje uma equipe muito melhor, com um investimento absurdo, muito maior que o dos caras, o Guerrero recebe praticamente toda folha salarial da equipe do Emelec, não existe “respeitar a história” do Emelec, não existe “retrospecto negativo” contra o Emelec; em 2012, quando Léo Moura ouvia o jogo dos adversários dentro do campo, durante a nossa eliminação, quem causou a eliminação do Flamengo foi Olímpia, num 3×0 no Engenhão que virou 3×3 em 12 minutos, não o Emelec.

Quarta-feira é ganhar ou ganhar, não existe outra opção, temos que deixar de ser o time do quase; quase campeão brasileiro 2016; quase campeão da Copa do Brasil 2017; quase campeão da Sul-Americana 2017; quase classificado da fase de grupos em 2017; é hora de mudar!

Sigam-me os bons: @RadioETumulto

16 Comentários
Carregando comentários...
Criação de sites e aplicativos para celular