O que esperar do adversário na Libertadores?

Olá, coleguinhas de Coluna do Flamengo. Com a aproximação da partida de semana que vem pela Libertadores contra o River Plate, pensei em fazer um espião para a torcida do Flamengo saber o que esperar do jogo e, principalmente, do adversário. Então, ¡vengan conmigo!

Um panorama simples e sem escaramuças revela um River Plate em crise. A 19ª colocação no campeonato argentino e os 21 pontos de diferença do Boca Juniors não escondem. Desde o início do ano empatou uma, venceu duas e perdeu duas. Marcelo Gallardo sofre para extrair dos seus jogadores o futebol que empolgou noutras oportunidades. É um time que não consegue fazer um mínimo de jogo coletivo e depende exclusivamente de uma aparição de seus melhores jogadores.

Ainda assim, caros amigos, prego total respeito ao time. Sabem como é, contra o Flamengo até o Íbis cresce. Precisamos evoluir o sistema tático que tentamos implementar com Carpegiani e jogar com raça. Mas voltemos ao River.

Em poucas palavras, é um time que gosta de ter a bola. É rápido e tem jogadores que podem desequilibrar a qualquer momento. Tem uma marcação alta, mas tem se notabilizado por “jogar e deixar jogar“. O caminho mais produtivo seriam as laterais e a investida em passes rápidos para jogadores velozes. Também não é um primor contra bolas aéreas e corriqueiramente seus erros de passe se transformam em gol para o adversário.

Ao passo que Armani seja um bom goleiro, seus companheiros de defesa não inspiram confiança tanto assim. Tanto é que povoam as dúvidas de Gallardo. À excessão de Quarta, todos já ganharam e perderam vaga. A zaga é lenta e os laterais também. Mesmo no ataque, alguns jogadores não convencem e saem da equipe com regularidade.

Pity Martinez, aquele que foi cogitado aqui, é o cérebro da equipe e tem boa visão de quebra de linhas e arremates. Está lesionado, mas deve voltar para este jogo. Inaccio Scocco é um mistério. É capaz de jogadas mágicas e, ao mesmo tempo bisonhas. Olho nele! Quintero tem muito talento ainda que esteja numa fase não tão boa. De la Cruz é o Everton deles. Aparece muito em jogadas de velocidade, mas não arremata bem. Pratto tem boa participação, mesmo que não seja um goleador. Lembremos que adora fazer um golzinho contra o Flamengo. Os dois volantes são bem interessantes.

Seus 11 iniciais devem ser Franco Armani; Mayada, Jonatan Maidana, Lucas Martínez Quarta, Casco; Enzo Pérez, Leonardo Ponzio, Bruno Zuculini, Nicolás De La Cruz; Scocco y Lucas Pratto.

Para ganhar, o Flamengo vai precisar de concentração. Tem um time melhor encaixado, ainda que precise de mais testes e de mais conjunto.

Anderson Alves, O otimista.

27 Comentários
Carregando comentários...