Eu quero ver gol

Não precisa ser de placa, não precisa ser com pivô bem feito, não precisa ter grife, não precisa ser de jogador de Copa do Mundo, e muito menos precisa ser tão caro cada tento…

…Eu só quero ver gol, e o Henrique Dourado chega justamente pra isso, fazer valer o verdadeiro objetivo da posição de centroavante, brocar as defesas adversárias, da maneira que for, de canela, de bico, ou mesmo de pênalti, ora bolas, nem essa responsa o peruano não chama.

O CeiFLAdor chega para acabar com uma clara deficiência do Flamengo na última temporada: Bola na rede. Por mais que o Vizeu tenha quebrado um galho no final, e marcado os seus golzinhos nos momentos derradeiros, precisávamos de um goleador experiente.

Ele chegou, não foi o plano A, e talvez nem o B, mas quem sabe o C vindo do Fluminense (com perdão do trocadilho) possa ter sido a melhor opção, ou a única que restou. Se a negociação com Love ficou inviável, o Flamengo buscou o que de melhor poderia buscar no Brasil.

Nenhum jogador do futebol brasileiro fez mais gols que Henrique Dourado na última temporada, e se ele não tem a mesma técnica, requinte, e badalação do atual camisa 9 rubro-negro, o Ceifador é muito… Mas muito mais efetivo que o Guerrero.

Historicamente a magia acontece quando temos no comando de ataque do Flamengo um centroavante com esse perfil. Foi com um camisa 9 caneleiro que conquistamos a maioria dos nossos títulos, De Nunes à Hernane Brocador, passando por Obina, o folclore faz parte da magnética.

As coincidências do Dourado com o Nunes são ainda maiores. Ainda que tenha passado pelas divisões de Base do Flamengo, Nunes foi artilheiro primeiro no Fluminense, para depois conquistar (literalmente) o mundo em dezembro de 1981.

As histórias do Flamengo e de João Danado se confundem. Nunes não só marcou 2 gols quando botamos os ingleses na roda no título mais importante do Mengão, como também marcou o gol mais importante da história do Flamengo, Aquele que iniciou todo o processo para fazer do Flamengo o Maior Clube do País.

Tô falando daquele gol quase sem ângulo, aos 37 do segundo tempo, no Maracanã com 155 mil presentes, contra o Atlético-MG de Reinaldo, selou o primeiro título brasileiro do Flamengo, e consequentemente a campanha que culminou com título mundial.

Mas enfim, Henrique Dourado vai ter que mostrar muito, e fazer muitos gols no Flamengo pra chegar perto do Nunes. Temos uma Libertadores batendo às portas, e oportunidades não faltarão para o Ceifador marcar o seu nome na história do Mais Querido.

“Tô com a geral no bolso, garanti meu lugar.

Vou torcer, vou Xingar pro meu time ganhar…”

… E no Maraca vou ver o Dourado ceifar!

Que os deuses do futebol estejam com o Flamengo!

Vinny Dunga
vinny.dunga@colunadoflamengo.com

12 Comentários
Carregando comentários...
Criação de sites e aplicativos para celular