Uol: ” ‘Não’ de rival, irmão goleiro e brilho improvável: Yago vive sonho no Fla.”

Yago Rafael Valadares Darub não era um nome muito conhecido pela torcida do Flamengo até 25 de janeiro de 2018. Jovem jogador das categorias de base do clube há mais de cinco anos, ele se tornou protagonista do tetracampeonato da Copa São Paulo de Juniores com defesas que garantiram a vitória por 1 a 0 sobre o São Paulo e a taça conquistada no estádio do Pacaembu, na capital paulista. A atuação na final e o brilho do goleiro na Copinha são tão improváveis quanto o número que ele usou na camisa: nem 1, nem 12, nem 23, e sim o 20.

Aos 18 anos, Yago Darub começou a Copa São Paulo como reserva de Hugo Souza, que é alguns meses mais velho e fez toda a preparação como titular. Após a primeira fase, Hugo foi chamado pelo técnico dos profissionais, Paulo César Carpegiani, para atuar no Campeonato Carioca e acabou “emprestado” pelo sub-20. Reserva de Gabriel Batista nas vitórias sobre Volta Redonda e Cabofriense, Hugo voltou à base para o mata-mata logo depois, mas já tinha perdido a vaga.

Campeão sofreu dois gols em seis jogos.

“Nós temos belos goleiros no Flamengo, não só nos juniores. Quando o Hugo foi servir o profissional, conversamos e vimos que ele ficou um tempo só treinando, sem jogar. Enquanto isso, aqui o Yago começou a jogar e muito bem. Na verdade a disputa da titularidade era parelha, mas optamos pelo Hugo no início. Quando ele parou de ter jogo por duas semanas entendemos que era um momento delicado de voltar, então optamos pelo Yago. Ele fez um trabalho irretocável, muito bem jogando com o pé e debaixo dos paus. A gente confiava demais e sabia que ele poderia dar a resposta para a gente”, explicou, ao UOL Esporte, o técnico do sub-20 do Flamengo, Maurício Souza.

O brilho improvável de Yago ganha peso com outra informação: ele poderia ser jogador do Vasco na atualidade, e não do Flamengo. A explicação é simples: nascido em Rio Branco, no Acre, o goleiro começou jogando por um time do Estado chamado Vasco. Em 2013, por meio de contatos no Rio de Janeiro, conseguiu um teste no Vasco “original”, mas foi recusado. Foi aí que apareceu o Flamengo, onde uma nova avaliação definiu sua integração à categoria sub-14.

“Teve um fim de ano em que o Weverton, goleiro campeão olímpico, hoje no Palmeiras, e que é do Acre, esteve no nosso Estado. O Yago fez um jogo na Arena da Floresta e o Weverton gostou da atuação dele. Depois conversamos com o pessoal e vimos o que podia ser feito. Foi daí que ele conseguiu alguns testes, inclusive no Vasco. Foram 30 dias de avaliação. Aí no último dia da peneira o Yago sentiu muitas dores, talvez não acostumado com a carga de treinos, e acabou reprovado. A questão é que tinha gente do Flamengo olhando e que convidou o menino para testes. Com 13 para 14 anos ele foi aprovado e ficou de vez. Agora já tivemos essa grande vitória”, conta Francisco Valadares Neto, tio de Yago.

De lá para cá, Yago foi crescendo dentro da base flamenguista até conquistar a titularidade durante a Copinha e, enfim, se tornar um nome identificado pelo torcedor. Como já é para quem o conhece desde os velhos tempos.

Yago começou no futebol do Acre e chegou ao Rio de Janeiro em 2013.

“O Yago com nove para dez anos me chamou para ver um jogo dele pelo time do colégio, que ele atuava na linha. Depois do jogo ele me perguntou como tinha se saído e eu fui sincero: ‘você não presta para isso, não’. Eu disse que ele era muito ruim e tinha que ir para o gol (risos). A sorte foi que ele aceitou isso como um conselho e começou a treinar lá no condomínio onde eu moro. Foi daí que começou tudo e que fez esse tio, são-paulino, torcer totalmente para o Flamengo na Copinha”, conta o irmão de Patrícia, que é mãe de Yago, e cunhado de André Darub, pai do goleiro campeão.

Irmãozinho também joga no Fla
Victor traça história parecida com a do irmão mais velho.

Victor Valadares, irmão mais novo de Yago, segue os passos do mais velho: além de ser goleiro, ele também está na base do Flamengo, desde fevereiro de 2015. Depois de iniciar a trajetória pelo rival Fluminense, o menino nascido em Lincoln, nos Estados Unidos, entrou no time do irmão e já foi campeão da Go Cup, um torneio internacional, pela categoria sub-11, no ano passado – agora, Victor já faz parte do elenco sub-12. Foi para ele que Yago dedicou o título desta quinta-feira.

“O professor sempre diz para a gente estar preparado, porque a qualquer momento a chance pode cair no nosso colo e precisamos aproveitar da melhor maneira. Foi o que aconteceu: o Hugo subiu ao profissional, serviu bem lá e eu correspondi à altura aqui. É um sonho que temos há muito tempo e que agora se tornou realidade, então dedico aos meus pais e meu irmão essa grande conquista”, diz a nova realidade flamenguista.

Reprodução: Uol esporte

13 Comentários
Carregando comentários...