Praetzel: “Eu acreditei no Rueda, mas prefiro Carpegiani”

Reinaldo Rueda sempre me passou honestidade e transparência nas suas palavras. Fui um árduo defensor do seu trabalho, desde que ele chegou ao Flamengo. Entendia que ele merecia seis meses de crédito, começando uma pré-temporada e escolhendo alguns atletas. Depois do vice-campeonato na Copa Sul-Americana, Rueda foi procurado pela Federação Chilena e preferiu se esconder. Nunca admitiu uma negociação, mesmo com muitos jornalistas chilenos cravando as conversas, e confirmando o acerto, posteriormente.

Aí, veio a decepção. Rueda desembarcou no Brasil, dizendo que não tinha nada definido. Horas depois, sua saída foi anunciada pelo Flamengo. Não deu para entender por que um profissional bem conceituado preferiu a ”milongagem” em detrimento à verdade? Aos 60 anos, poderia ter admitido a proposta chilena, sem enrolação. Evidentemente, a direção do Flamengo já esperava pelo desfecho negativo com o colombiano. Vida que segue, mas Rueda caiu no conceito de muita gente, pela maneira como conduziu o processo. Só que ele não pode servir de mau exemplo para bons profissionais estrangeiros. Certamente, treinadores brasileiros vão aproveitar essa situação para fomentar uma reserva de mercado, aumentando a rejeição com quem vem de fora.

Sai Rueda, entra Carpegiani. Gosto muito dele. Acredito que Carpegiani sofre de preconceito e já escrevi sobre isso. Não tem vocabulário rebuscado e é franco e direto nas suas declarações e observações. Prefere o jogo ofensivo e exige o máximo de cada jogador. Foi um craque como meio-campista e liderou o maior time da história do Fla, fora de campo, no início dos anos 80. Óbvio que o futebol mudou, mas Carpegiani não perdeu o conhecimento. Fez bons trabalhos nos últimos anos, mesmo com pouca duração. Sabe o tamanho do Flamengo e tem lastro para chefiar um vestiário experiente.

Se vai ganhar títulos ou não, ninguém pode prever ou afirmar. A realidade é que Carpegiani merece crédito, confiança e respeito pela sua trajetória, aos 68 anos . Deixem o cara trabalhar, com respaldo e paciência. Um bom nome para o momento do Fla.

Fonte: Praetzel/Uol

  • Romário Roberto

    Eu também acho que devemos confiar nele. O time do Flamengo se dá bem quando inicia o ano sem falsas expectativas. A imprensa deixa o Flamengo de mão e podemos trabalhar mais leve.

    • Eduardo Andrade Mengão

      Falou tudo

    • Wagner Stadler

      Ano de eleição não deixarão de mão!

  • Eduardo Andrade Mengão

    Já fomos campeões várias vezes com Carlinhos, uma com Jaime e com Andrade. Por que não acreditar?

  • fabiano

    Concordo. Além do mais se ele barrar Pará, Vaz e everton e escalar um meio com Paquetá, Diego e everton ribeiro já tá ótimo. Treinador que não inventa, faz o simples e não é retranqueiro. Deixem cara trabalhar

    • Wagner Stadler

      Inventou Fabão na lateral esquerda, espero que tenha aprendido. Devo lembrar que Rueda e Zé ruela colocaram Pará na esquerda, como se fosse um jogador imprescindível. Salve carpegiani!!!

    • RcLima

      A questão de não inventa é bem diferente. Ele sempre inventou e muito, mas espero que tenha mudado isso. No mais tem meu total apoio.

  • Anderson

    Eu quero ver se a Nutelagem vai ter paciência com o Carpeggiani como tiveram com o Sr. que tem menos”palavra” que o Pablo Escobar

  • Augusto Silva

    O comando vestiário vai ser fundamental

  • Sebastião Tatá

    O q Carpeggiani fez pós era 81? Naaada, passagens ruins por São Paulo, Corinthians e Cruzeiro… Time de 81 jogariam até sem técnico, Carpeggiani pegou um timaço, mas este já vinha montado por Claudio Coutinho…eu, sinceramente não acho Carpeggiani o nome ideal p Fla…

  • Caio Sá

    Rueda enganou a Diretoria, isso é fato, mas é também fato que nossos dirigentes agiram rápido e bem. A hipótese contrária é pior. Por ela, a Diretoria teria pedido ao treinador que não anunciasse a saída logo que o acerto se concretizou, certamente antes um pouco das notícias vindas da imprensa chilena, para ter tempo de contratar um treinador. Entretanto, por algum motivo, um nome não foi escolhido e a data do anúncio da saída chegou sem qualquer decisão por parte da Diretoria. Diante do inevitável, só restou anunciar Carpegiane como técnico, quando originalmente sua função era outra. Tal hipótese explicaria o porquê da Diretoria não ter atacado Rueda na apresentação de Carpegiane. Mas essa possibilidade tem um furo e é grande. Caso a Diretoria já soubesse há muito tempo da saída de Rueda e quisesse ganhar tempo para contratação de um técnico, por que essas tentativas não foram anunciadas na imprensa, sempre bem informada dos bastidores? Enfim, me parece que a primeira hipótese é mais realista e provável. Quanto à escolha de Carpegiane só o tempo dirá se foi um acerto em termos técnicos. Eu apostaria que sim. De qualquer forma, a pronta resposta da Diretoria é elogiável sim.

  • EuMeSmObYmYsElF

    se abandonar essa porcaria de 4-3-3 já ganha pontos comigo

  • Ciro Martins

    Muito o texto e cabe lembrar que Carpegiani apesar dos 68 anos tem um pique de um garoto e pelo menos trabalho não vai faltar.