Home Colunas Em time que está ganhando, “não se mexe”!

Em time que está ganhando, “não se mexe”!

2011
40
SHARE
Foto: Staff Images / Flamengo

Salve, Salve, Nação Mais Linda do Mundo!

Volto aqui, nesta coluna, para falar, ainda, sobre o jogo do último sábado. Colhemos um claudicante empate com o pior time dos vices que eu já vi jogar. Devo ressaltar uma coisa: perdemos a oportunidade de ensacar os caras e colocá-los em seu devido lugar, o limbo! Em decisão pra lá de equivocada, na minha opinião, o departamento de futebol retornou com o time, dito, principal.

Um erro. Um grande erro. Um erro digno da falta de habilidade esportiva em tratar nosso futebol com a seriedade que ele merece. Foi um jogo patético, arrepiante. Afora a arbitragem, que tratava os adeptos do cinto de segurança como se fossem sacrossantos, devo ressaltar que nosso time pouco (ou nada) produziu durante os noventa minutos. Destaque para algumas boas jogadas de Vinícius Jr. e Paquetá. E só!

O que o Flamengo fez foi igualar o certame ao colocar o time principal para a disputa do clássico. Com jogadores voltando de férias, sabidamente fora de forma, de ritmo e, principalmente, de entrosamento, nós demos a oportunidade que eles queriam para passarem ilesos numa das maiores oportunidades que tivemos para, literalmente, “passar o rodo” nos vices.

Devemos ponderar vários aspectos acerca das decisões tomadas pelo clube. Primeiramente, é óbvio que o elenco principal não está em totais (diria nem 50%) condições de atuação, e nem adianta tentarem me convencer do contrário, afinal o futebol, mesmo sendo auxiliado por números e estatísticas, ainda demanda muito feeling, atributo que sabidamente está em falta na Gávea Blue. Também pudemos observar que o time já se arrastava em campo, nitidamente extenuado, antes do final do primeiro tempo, na partida de sábado à tarde.

Além disso tem a questão do entrosamento. Os moleques estavam voando, tanto física quanto taticamente, o entrosamento deles é muito melhor do que o do elenco principal. Por isso, cabe a pergunta: por que não jogar o clássico com a maioria dos garotos e colocar, no máximo, três ou quatro jogadores em melhores condições para disputar a peleja? Querendo dar maior rodagem a outros, ainda teriam as três substituições ao longo da partida. Mas não entendi a decisão do departamento de futebol. Juro que tentei entender, mas não consegui.

Há uma corrente de torcedores (a minoria, aliás) que defende com unhas e dentes a escalação do time principal no jogo. Eles defendem a ideia de que os jogadores devem jogar para ganharem ritmo, entrosamento, visando a disputa da Libertadores. Mas devo informá-los que não. Ao meu ver, isso é queimar etapas. Para que os atletas possam ganhar ritmo de jogo e afiarem o entrosamento é necessário que eles estejam no melhor da forma física, ou bem perto dela, mas não foi o que observamos, aliás, muito longe disso. No meu entendimento, existem os times menores para esse tipo de situação.

Vimos um time apático, com os mesmos defeitos da temporada passada. Modorrento, mal arrumado, sem inspiração e lento, tanto na transição quanto na cobertura. Sabe-se Deus como nos livramos de uma derrota para o pior time vascaíno da história. Demos vários contra-ataques ao longo dos noventa minutos e só escapamos de uma derrota pelo péssimo poder de finalização do adversário. Fazendo mea-culpa, devemos destacar também que nossas finalizações carecem melhora em demasia.

Uma coisa é certa: os moleques estão pedindo passagem. E olha que não são tão moleques assim. Finalizações, chutes de média e longa distância, marcação alta, taticamente arrumado, laterais que sabem marcar e apoiar. Esses são apenas alguns atributos inerentes aos Garotos do Ninho. Decerto existem coisas a serem melhoradas. Afobação, consistência durante os noventa minutos, pouca experiência, essas são algumas deficiências observadas na garotada. Contudo, todas são perfeitamente corrigíveis ao longo do processo.

Mas vamos lá! Apoiar sempre! Não importando quem ou qual o método utilizado pela diretoria, devemos apoiar o Mengão incondicionalmente! E isso fazemos! Nossa Magnética é incomparavelmente sensacional! Mas devemos dizer que o ditado utilizado para intitular essa matéria é valiosíssimo: em time que está ganhando, “não se mexe”! É obvio que algumas peças podem e devem ser trocadas, mas se mexermos em toda a engrenagem, dá ruim! Foi o que vimos no sábado. Esperemos que aprendam com os erros. Vai pra cima deles Mengo!!!

O Flamengo simplesmente é!!!
Saudações Rubro-Negras a todos!

Fabio Monken

Twitter: @fabio_monken
(editor da matéria escrevendo aqui… segue o cara no Twitter, segue o Monken mesmo, só clicar no link acima. Pode confiar… fera demais!!!)

Sugestões? Críticas? Elogios?
Deixe seu comentário e faça-o com educação e respeito.
O Debate SEMPRE é salutar, mas a ignorância e a falta de educação são os combustíveis dos fracassados!

Comentarios

comentário