Drible de Corpo: “Com a saída de Rueda e o anúncio de Carpegiani, era Bandeira de Mello chega a 12 técnicos em seis anos”

A gestão do presidente Eduardo Bandeira de Mello chega ao 12º técnico em seis anos de mandato. Desta vez, não por opção do dirigente, mas devido a uma desonesta punhalada nas costas de Reinaldo Rueda, contratado por Bandeira após pressão da torcida nas redes sociais. Com o pedido de demissão de Reinaldo Rueda — e o anúncio imediato de Paulo César Carpegiani como substituto —, o treinador campeão da Libertadores e do Mundial em 1981 aumenta para 12 a coleção de comandantes rubro-negros na atual administração.

Embora tenha um currículo respeitado, Carpegiani só conquistou dois títulos no século 21: o Campeonato Paranaense de 2001 pelo Atlético e o Baiano de 2009 à frente do Vitória. Nos últimos anos, especializou-se em livrar times do rebaixamento no Brasileirão. Foi assim no Coritiba, em 2016; e no Bahia, ano passado. Dos jogadores do elenco atual, Juan trabalhou com Carpegiani em 2000, na segunda passagem do técnico pelo clube.

Antes de Paulo César Carpegiani, de 68 anos, passaram pelo cargo: Dorival Júnior, Jorginho, Mano Menezes, Jayme de Almeida, Ney Franco, Vanderlei Luxemburgo, Cristóvão Borges, Oswaldo de Oliveira, Muricy Ramalho, Zé Ricardo e Reinaldo Rueda.

Neste século, a gestão de Eduardo Bandeira de Mello só perde para a de Márcio Braga em quantidade de trocas de técnicos. Nos dois mandatos, Braga teve 16 treinadores. A administração de Patrícia Amorim contou com seis técnicos, assim como as de Gilberto Cardoso Filho e de Hélio Ferraz. Edmundo Santos Silva, que sofreu impeachment, empregou dois treinadores. No século 21, o Flamengo é o clube que mais troca de treinadores. Antes da queda de Rueda, eram 38 trocas, com 25 “professores” diferentes.

Auxiliar de Dino Sani no Flamengo no início da carreira, Paulo César Carpegiani levou a geração de Zico aos títulos do Campeonato Carioca, da Libertadores e do Mundial em 1981. Em 1982, brindou o time rubro-negro com o bicampeonato. Como jogador, ajudou o clube a conquistar o primeiro título brasileiro, em 1980, e três títulos cariocas. É a terceira passagem de Paulo César Carpegiani pelo cargo. A última, em 2000, durou quatro meses. Ele pediu demissão após quatro meses de trabalho ao sofrer uma goleada por 5 x 1 do Vasco. Carpegiani não deixa nada a dever a Rueda no quesito badalação. Em 1998, comandou o Paraguai na Copa do Mundo. Chegou às oitavas de final e foi eliminado pela anfitriã França na prorrogação com um gol de ouro.

A opção do Flamengo por Paulo César Carpegiani mostra, aparentemente, que a diretoria está mais veloz nas decisões do que no ano passado. Mostrou rapidamente que tinha um Plano B e tratou de acioná-lo após a confirmação da saída de Rueda. Mais do que isso. A gestão de Bandeira de Mello também mata logo no início da temporada um outro fantasma de 2017: a pressão das redes sociais. Reinaldo Rueda foi contratado após a torcida invadir as contas do técnico colombiano no Twitter e no Instagram.

Técnicos do Flamengo na era Eduardo Bandeira de Mello

2013

Dorival Júnior, ​Jorginho, Mano Menezes e ​Jayme de Almeida

2014

​Jayme de Almeida, Ney Franco e Vanderlei Luxemburgo

2015

Vanderlei Luxemburgo, Cristóvão Borges e Oswaldo de Oliveira

2016

Muricy Ramalho e Zé Ricardo

2017

Zé Ricardo e Reinaldo Rueda

2018

Paulo César Carpegiani

Fonte: Drible de Corpo/Correio Braziliense

  • Daniel Silva

    vai ganhar um comentário, oh besteira, o palmeiras mudou de técnico quatro vezes 6 vezes em dois anos e não vejo nenhum comentarista ou jornalista falar sobre isso, mas aqui é flamengo grande gigante vende mais

  • José Itamário

    Em 18 anos o cara ganhou um paranaense é um campeonato baiano. É o marco do fim da era bandeira. Bom de finanças é péssimo de futebol.

  • Raf1981

    Que vem 2019 ! Mais um banana ?

  • Rodrigo – Depto. de TI

    O problema não é o técnico mas empresários que escalam seus pseudo-jogadores. Sem time não existe nenhum técnico no mundo que ganhe algo.

    • Raf1981

      Excelente!!!!

      Pq o Gabriel tá no Flamengo coisa um década!?! Empresários control o Flamengo!!!

      • Adriano Gomes

        Márcio Araújo tb

  • Almir Ribeiro

    O que prova que técnico não é o problema em si, mas a própria filosofia de trabalho. BM nunca irá admitir isso, mas a sua postura protecionista e “camarada” contribui de forma decisiva para essa situação. PODE VIR QUEM FOR, QUE VAI DAR RUIM SE MANTIVER A MENTALIDADE “PERDEDORA”. Agora me parece que o novo Vice de futebol está afim de mudar isso…saída de Jayme da comissão, mudança do preparador de goleiros…espero as saídas de Mozer e de Luz (do futebol). Começo a ver uma luz no final do túnel.

    • Victor Hugo Cervejinha

      Jayme saiu?

  • Adriano Gomes

    Flamengo precisa de um baita vice de futebol, baita coordenador de futebol, baita gerente de futebol. Por exemplo, Parreira, Muricy Ramalho, Edu Gaspar.

    Tem que montar uma baita estrutura para evitar gastos/investimentos desnecessários no futebol, por exemplo.

    Na base contratar alguns dos jogadores da geração de 80, como por exemplo: Zico, Tita, Júnior, Mozer, Aldair etc para serem tipo olheiros, consultor etc

    • Victor Hugo Cervejinha

      Muricy, Parreira kkkkkk
      Só velho ultrapassado

      • Adriano Gomes

        Exatamente.

        Vc prefere ir em um médico experiente ou que está começando na profissão?

        Não há nada de novo no futebol dentro das quatro linhas. Mas na estrutura e gestão há sim, muitos avanços que podem ser melhorado ou implantado.

    • André N Lessa

      Adriano,

      E deixaram o Paulo Autuori “escapar” e fechar com o Fluminense….

      SRN

  • Shaka de Viking

    Bandeira ta pvto porque venderam o Caramujo e o Ruela saiu. Ainda bem que o “Caramujo Davids” foi pra Chapecó.

  • Evandro Giacomini

    Por uma parte da torcida já teria trocado umas 70 vezes.

  • Damon

    Só que Mano e Rueda pediram demissão e Muricy saiu por problemas médicos.
    Agora o que falta aos clubes é planejamento a longo prazo , lógico que parte disso é culpa da torcida que querem resultados a curto prazo.
    Seria uma boa colocar um técnico experiente e puxar o técnico do sub-20 do clube pra ser seu auxiliar. Quando o técnico saísse o auxiliar seria promovido a técnico e puxaria o técnico do sub-20 pra ser seu auxiliar , e assim por diante sempre utilizando os profissionais do próprio clube com a ideia de criar uma filosofia de trabalho.

  • Mayko Priscila Krakeker

    Tenho lido que o pessoal queria um técnico com conquistas recente e tal…Bom,pra mim isso é irrelevante,vimos em 17 o Renato dar um banho com o Grêmio,e o que ele fez nos últimos 3 anos?jogou futvoley na praia,já vimos Andrade,Jayme ganharem títulos.. aí por causa da síndrome do 7x1demonizam o treinador brasileiro…o resultado daquele jogo em si,foi uma fatalidade,um apagão,no Brasil e principalmente no esporte,o brasileiro não age com Frieza,e sim com emoção, e isso atrapalha e muito,é só prestar a atenção quando o flamengo por exemplo joga com expectativa geral, Maracanã cheio,o que acontece?! M…o 7×1 chocou e deveria abrir os olhos para uma padronizacao nos campeonatos,da medida do campo ao formato da rede nas traves,da violência sempre cometida pelos de sempre. ..pela falta de uma regra que limite um clube a ter no máximo uma troca de treinador por temporada…mas tudo caiu nas costas do Felipão,ninguém fala que a rede globo atrapalhou os treinos levando suas estrelinhas pra granja gravar programa,mais de 1000 jornalistas, assistindo os treinos todos abertos… jogador ter que ir tirar selfie a beira do campo…enfim,trouxeram Ozório,o gênio dos bilhetinhos,baita inovação,depois balza e por último Rueda,qual deles trouxe algo de novo? Métodos normais,e resultados modestos… Carpeggiani pode fazer belo trabalho,basta o elenco gostar dele,na verdade metade do caminho é esse,os jogadores terem sintonia com o treinador,isso vale em qualquer clube do mundo…tá cheio de exemplo, até o Leicester,ganhou o campeonato com o “ultrapassado” Ranieri,e depois fritou o cara até ser demitido…esse é meu ponto de vista, torço para que de muito certo,e estou até gostando de começarmos como azarão,sem cheirinho…meu nome seria Luxemburgo,que acredito faria grande trabalho com a estrutura de hj e os jogadores de nome e qualidade que temos,por tudo que descrevi acima,cada trabalho é um novo começo,passado não entra em campo,mas o conhecimento e vivência no trato com as pessoas e do futebol em si, contribuem…

    • Paollo

      Apagão ??? o 7×1 foi reflexo de tudo o que há de errado no futebol brasileiro, ao começar pelo fato de até hoje a CBF ser presidida por um cidadão que sequer pode sair do país pra não ser preso. Esse seu comentário é baseado apenas pelo bom trabalho que o Tite vem fazendo na seleção, nada além disso. Mas acredite, nada mudou, o futebol brasileiro continua nas mãos de empresários que mandam e desmandam nos clubes, desde as categorias de base. Só temos uma boa seleção, porque o país tem extensão continental, e sempre vão aparecer bons valores, apesar de estarem cada vez mais excassos. Tirando a seleção, nenhum time brasileiro joga um futebol nota 5, comparado aos tops do mundo, tanto que o Corinthians com aquele time jogando um futebol horrível foi campeão. Andrade ganhou em 2009, e passou por onde depois? Jayme ganhou com uma base de time montada pelo Mano Menezes. Técnicos brasileiros são fracos, e pior ainda é querer justificar atitude de jogador que boicota técnico, como se eles tivessem razão, esses vagabundos é que tem que sair, não o técnico. O Rueda certamente não agradou esse bando de acomodados, preguiçosos que tem nesse elenco.

      • ANTONIO PEDROSA

        Concordo, disse tudo que penso também a respeito da CBF, jogador brasileiro é preguiçoso e, na sua maioria mau caráter, gosta de panela e derrubar o treinador que bate de frente.

        • Mayko Priscila Krakeker

          Por isso que eu falei q se o grupo gostar do cara a coisa flui,do contrário não,aqui é assim,jogador brasileiro e assim! Não gosta de ser cobrado,basta ver on1 jogo do Rueda quando ele tirou o burrinho do 22….saiu batendo calcanhar…bom fato é que não se muda isso do dia para noite,sendo assim,o Sr Rodrigo Caetano precisa ter sensibilidade de limpar as laranjas podres e trazer um bom gestor de grupo e que claro,conheça do riscado…mas tenho impressão q acertou dessa vez…

      • Mayko Priscila Krakeker

        Cara lê de novo.nada a ver com Tite,a seleção brasileira de 2014 foi mal e muito por causa de tudo q vc citou,mas o resultado em si 7×1 foi devido ao despreparo psicológico dos jogadores q ficaram apavorados depois do primeiro gol..se o Brasil tivesse perdido de 2×1, ninguém falava nada e outra,a Alemanha tomou sufoco da Argélia…cada jogo é um jogo fera,Marin ou delnnero não entraram em campo…e outra vcs enchem muito a bolinha desse Rueda,um vista q teve 52 porcento de aproveitamento jogando mal,covarde sem posse de bola…aguarde e verás o bom trabalho na base do papo e sem reforço.

        • Paollo

          Então, mas esse problema psicológico muito tem a ver com a desconfiança dos próprios jogadores no trabalho do Felipão. Em time bem treinado, esse tipo de apagão não acontece. Ou seja, não foi uma causa, foi uma consequência. É óbvio que jogador por jogador, o Brasil poderia sim fazer um jogo equilibrado, mas pelo que se viu depois, o 7×1 foi pouco. Marin e Del Nero não entram em campo, mas são eles que chefiam essa máfia cheia de jogadores de empresários, Oscar, Hulk? Sobre o Rueda, eu nunca enchi a bola dele, mas também não critiquei, pelo tempo de trabalho. O cara chegou em Agosto, de outro pais, é claro que levariam um tempo pra adaptação, primeiro a cultura do país, língua, etc. Pra mim, seria impossível ele desempenhar um trabalho de destaque já em 2017, e o ano já estava perdido. Mas ainda sim fez mudanças significativas, pois em pouco tempo no time, tornou descartáveis jogadores medíocres, e ainda deu mais oportunidade para os jovens da base, coisa que nem o treinador da base tinha feito. O mais coerente na minha visão, sería fazer uma análise do trabalho dele após o primeiro semestre desse ano, quando ele tivesse tido uma pré temporada, e tempo pra por suas ideias em prática, já estando adapatado. Qualquer coisa além disso, pra mim, é precipitação.

      • Perfeito

      • joão victor mendes ferro

        Concordo, hoje os jogadores entendem como “profissionalismo” no futebol somente os pagamentos de salários em dia. E as responsabilidades??? No Brasil “endeusamos”, “idolatramos” atletas que se jogassem no passado seriam banco na maioria das equipes, pois o nível do futebol praticado em nosso País e muito ruim. Importamos jogadores brasileiros a peso de Ouro , jå em final de carreira ou bichados. Jogadores saem do País e meses depois pedem pra voltar pois não “se adptaram”, isso é profissionalismo??? E a base dos clubes, porque os empresários tem livre acesso e São “socios” de grande parte deles?? Os “adilios” que pulavam o muro pra treinar na gavea não existem mais. Talentos são desperdiçados em favor de falsas “joias” que super estimados, bancados pelos seus “tutores/empresarios” acabam em sua maioria, não confirmando o que diziam a respeito. O reflexo acaba na seleçao , onde outrora a expectativa do anúncio da convocação era aguardado com ansiedade pois para casa posição (principalmente do meio pra frente) tínhamos 3 a 4 jogadores em condições de brigar para serem titulares. Em 1970 Zagalo teve que “acomodar” cracks que jogavam na mesma posição para te-los jogando no mesmo time. Em 2014 tivemos um único crack que teria que ganhar a copa para o Brasil. Isso porque nosso Pais ainda e pródigo em revelar valores. Temos que “limpar” o Brasil não só na politica mais em todos o segmentos de nossa sociedade, senão continuaremos ouvindo pessoas honradas falando em deixar o País e no futebol também não é diferente…

    • Adriano Furlaneto

      Faço das suas as minhas palavras. Perfeito.

  • kingDavid

    E nenhum deu certo! Mas RC permanece, com o burro na sombra…

  • Sobei loscar

    Bom só nos resta agora é torcer, a escolha já foi feita, vamos ver no final de fevereiro como estará a postura do time, pelo menos a postura do Carpegiani é o contrário a do Zé Ricardo.

  • Mayko Priscila Krakeker

    Ob 7×1 foi apagão sim,a Alemanha foi pra prorrogação com Argélia…se jogasse 209 vezes a Alemanha poderia vencer a maioria mas nunca com um placar elástico..como disse tem muita coisa errada,uma derrota e consequência disso,agora tomar de 7 e consequência de um apavoro de jogadores que tremeram.. ponto 2 só entende quem tem boa vontade e simpatiza com quem está tentando explicar algo, é assim q funciona,vc pode ver,se o professor e bom e cativa,vc gosta de química ou física…ponto 3 concordo

    • Paollo

      Na verdade, você está esquecendo de algo muito importante. Essa seleção da Alemanha de 2014, já na Copa de 2010 tinha atropelado a Inglaterra por 4×1 e a Argentina por 4×0, jogando no contra-ataque. Eles passaram sufoco contra Argélia e Gana também, porque eram times que marcavam muito e não davam espaço, mas com o Brasil sería diferente, porque iríamos pra cima. Até se o Brasil fosse bem treinado, sería suicídio dar espaço pros caras, ainda mais com aquele time todo bagunçado, que chegou capengando na semifinal. Já tinhamos alguns indícios do vexame. Eu lembro que eu tava num fórum de futebol na época, e depois que o Brasil passou pela Colômbia, eu falei pra um cara que não me surpreenderia se o Brasil levasse uns 6 gols da Alemanha, kkk o cara debochou e veio me escrotizar com falácias do tipo ” Brasil é o país do futebol” kk depois disso o cara nem apareceu mais lá pra falar nada. Apagão foi o que aconteceu contra a Holanda na Copa de 2010.

  • Mastroiano

    Gestão Bandeira de Merda!

  • Não vamos esquecer que o acaso proporcionou essa velocidade em substituir o Rueda, já que o Carpegiani tava sendo contratado pra outra função, e foi efetivado porque já tava lá mesmo, não era uma opção natural. A opção natural seria o Cuca.

    • Exilado

      Quem disse q seria o Cuca? Só porque vc quer? Ele ainda está queimado pela passagem dele de 2009.

      Eu, p. ex., acho ele horrível. E conheço muita gente q não gosta dele.

      Então não tem essa de “opção natural”.

      SRN

  • Dieki

    Eu lembro dessa eliminação do Paraguai em 98. O Gamarra jogou muito, não fez nenhuma falta durante toda a copa. Gol de Ouro do Blanc, na marra.

  • Hymerfla

    Essa Troca desenfreada de tecnicos e uma realidade do futebol brasileiro!

    • Adriano Furlaneto

      Infelizmente.