Home Colunas Anderson Alves A barca foi só um pequeno começo!

A barca foi só um pequeno começo!

2498
38
SHARE

Olá, coleguinhas de Coluna do Flamengo. Sim. Reinaldo Rueda deixou o clube pela porta dos fundos. Sinceramente? Me enganou muito o histórico do treinador. Costumava cumprir os contratos até o fim e nunca havia dado sua palavra em vão. Mas a deu. Traiu uma nação que o acolheu com carinho e que passou todo o tempo #FechadoComRueda. Como o treinador fez mais coisas interessantes no quesito personalidade do que tática ou tecnicamente. Vou virar a página Rueda, porque escrevi sobre ele e, como sou torcedor também, não ficou bem publicável. Só adianto que revisitava o livro que usei na semana passada, A Divina Comédia, e colocava-o em seu devido lugar… O lugar dos traidores e mentirosos, Basta!

Não falta pauta. Gostaria de falar rapidamente sobre a barca que saiu da Gávea. De forma sucinta? Ainda não foi aquela barca, né? Mas se observarmos os outros anos, foi até surpreendente. Para isso basta lembrar o bonde da Stella que continham um grupo até grande, mas que, ao fim, muito pouco foi mexido àquele ano. Apenas Paulinho deixou o clube no início de 2016. Hoje restam apenas dois, mas a nossa expectativa era não ter nenhum. Quem sabe? Mas vamos falar de quem saiu até agora.

O inominável mito da camisa 8 se foi. Vamos poder olhar aquele número com respeito mais uma vez. O menino Jamal se foi para o campeão da série b de 87. Matheus Sávio foi bem emprestado para Portugal. Esse é prata da casa e tem que ser bem pensado o seu empréstimo para que volte por cima. Mancuello também se foi, assim como Conca, que não conseguiu mostrar futebol. De quebra, ainda vimos a saída de Vitor Hugo e Fernando Gonçalves. São sete nomes contestados em 2017. Claro que ficaram dois que espero que saiam até o início dos trabalhos, porém 2018 já começa com uma aura diferente. Se voltarmos ao ano passado, de que jogador conseguimos desapegar? Apenas Chiquinho e Fernandinho, cujos empréstimos acabaram.

É um passo na direção certa, mas é preciso desenvolver alguma velocidade se quiser chegar ao objetivo. Essa história que precisa pesar bem as decisões é válida, o problema é que caímos numa letargia sem fim e acabamos por retroceder quando perdemos tempo em situações que já identificamos a resposta. Não tem um funcionário que pudesse bater aquele papo com Rafael Vaz? Tipo: “Olha cara você vai perder a oportunidade de ir jogar na Itália? Tá querendo salário mais alto? Quem é você?” Todos perderam nessa negociação que não foi à frente, sobretudo a torcida. Precisamos de agilidade!

Muralha e Vaz não podem mais jogar pelo clube. Ponha-os contra a parede! Que busquem outros clubes ou treinem separado. Essa demora está esquisita demais. E olha que eu ponho 40% da culpa de o goleiro ir tão mal sobre o treinador de goleiros, mas em 2018 não há espaço para ele.Chegaram dois auxiliares, o que Jayme fará na comissão técnica? Já haviam identificado que era problema com Zé Ricardo, que buscou outro auxiliar, não dá para viver de caridade.

As contratações não estão em dia também. Vou aguardar, mas ainda precisamos de um zagueiro, um lateral em cada lado e um centroavante. Marlos Moreno é uma boa contratação, mas para um setor em que temos sobra. Era dispensável que ele viesse, me desculpem os animados com sua contratação. Precisamos de jogadores de nível para pegarem a camisa. Contratação tem que ser assim. Ou vem um titular ou coloca a base. Esse é o único motivo de não cornetar a demora.

Em tempo: O time do Flamengo de 2018 não começa por Diego Alves, começa por Paquetá!

Anderson Alves, O otimista.

Comentarios

comentário