Coluna do Torcedor: “Fim trágico”

Não sou o maior fã do Guerrero. Aliás, sou o menor entre todos. Sempre disse que o custo x benefício dele era abaixo do necessário. Mas nunca neguei o quão importante ele é pro elenco. Não digo de gols. Importância física. Liderança.

Esta última palavra, “liderança”, é o que mais falta pro Flamengo no momento. Por mais que tenhamos Réver, capitão, e Juan no time, falta quem lidere. Guerrero fazia justamente isso. Diego Alves chegou e mostrou que sabe liderar, mas se machucou e, infelizmente, ficou fora dessa lista.

É um fim trágico. Trágico pra carreira do camisa 9; trágico pro Flamengo; trágico pros fãs. Trágico. Concordamos até aqui que a punição foi severa. E a hipótese de ser tudo tramoia da Argentina? O jogo foi na Bombonera e, como sabemos, eles são capazes de tudo. Eu não descartaria. Sério.

Um ano, Fifa? Um ano por um metabólito? Lembro de jogadores de outro clube carioca pegar dois anos com o caso confirmado. É estranho. Talvez seja pra prejudicar? Não sei, e talvez nunca saberei.

Enfim, fim trágico. É, com certeza, o pior fim de carreira que alguém poderia ter. Fica minhas condolências para quem era fã, à família e ao atleta.

Yuri Sobral


Quer ver seu texto também publicado na Coluna do Torcedor? Envie para redacao@colunadoflamengo e aguarde nossa resposta!


A coluna acima é de responsabilidade de seu autor e não reflete necessariamente a mentalidade do Coluna do Flamengo.

7 Comentários
Carregando comentários...