Qual o grande problema do Flamengo 2017?

Caros Rubro-Negros…

Depois de mais um período de muitos eventos que me privaram momentaneamente de escrever nossas colunas semanais, eis-me aqui outra vez. E novamente em um momento frustrante do nosso Rubro Negro, algo bem corriqueiro nesse ano. E é algo bem relacionado a isso que trataremos hoje: Qual o grande problema do Fla em 2017?

Essa tem sido por um bom tempo fruto de discussões, tanto em programas esportivos como em mesas de boteco. Desde a queda na Libertadores, seguida pela claudicante campanha no Brasileirão e a final da Copa do Brasil esse assunto vem permeando a cabeça de 9 entre 10 Rubro Negros. Um ano que começou com grande expectativa por parte da torcida. Um bom elenco, apontado por todos como um dos melhores do país. Finanças em dia, algo que sempre foi um calcanhar de Aquiles para o Fla. Tudo pra dar certo. E agora, já em Novembro, a única avaliação cabível é a de que o ano foi frustrante. (Nada de ser dado a exageros de se falar em “vexames” e “pior ano da história” como já vi em alguns lugares. E muito menos discursos condescendentes e descolados da realidade falando exaltando o título do Campeonato Carioca e o vice campeonato da Copa do Brasil para dizer que o ano é bom. Acredito que a palavra correta seja essa mesmo: Frustração).

Notem a quantidade de vezes que “o problema” foi eleito, seja por parte da torcida ou por parte da mídia. Quantas vezes vocês não viram alguém falar coisas do tipo:

“Se o Márcio Araújo sair do time tudo se resolve”.

” O problema é o treinero e sua panela. Qualquer técnico que pegue esse elenco vai fazer esse time voar rapidinho”.

“Não, o problema é o Vaz, que entrega o jogo”.

Pois bem. O técnico foi substituído por outro muito mais experiente e com currículo invejável. Vaz passou meses sem jogar. MA tem dia que nem no banco fica. Gabriel, outro candidato a “o problema” é outro que sumiu do time. E mesmo com tudo isso jogamos um futebol cada vez pior. Atacamos menos, com menos gente, criamos menos e fazemos menos gols. E até a zaga, que havia ganho mais consistência, já apresenta sinais bem ruins novamente. ( E não, eu não estou cornetando o Rueda. Só poderemos cobrar mais dele no ano que vem. Entre erros e acertos ele tem feito o que pode em uma situação muito mais complicada de se resolver do que parece…)

E os resultados ruins continuam se acumulando. Na ânsia de entender a razão dos insucessos , sempre que algum candidato a “o problema” saia de cena, outros candidatos logo se apresentavam. Falta de cobrança interna, ambiente pouco competitivo, acomodação, falhas de planejamento do elenco, “bananisse” da diretoria e do time. Cada “constatação” mais “criativa” que a outra, em tentativas de achar explicações quase mirabolantes ao invés de admitir o óbvio. O mais recente foi a “falta de vontade, de raça e de indignação com a derrota“. E esse foi como um rastilho de pólvora. Dos mais entendidos de futebol e de Flamengo até aqueles que pouco acompanham o clube foram atingidos por essa ideia. E tal qual uma mentira contada 100 vezes acabou por virar verdade na boca de muitos. Como se nos momentos chave da temporada alguém pudesse lembrar de falta de entrega.

Faltou botar a bola pra dentro em 2 dos 3 jogos fora da liberta, por que criamos diversas chances pra isso. Faltou “casca” pra segurar um resultado positivo em outra ocasião.  Faltou consistência em jogos que apresentamos bom futebol contra rivais diretos pelo alto da tabela do Brasileiro. Faltou agredir mais contra o Cruzeiro na final da Copa do Brasil. Agora…vontade? Indignação com a derrota? É por essas e outras que o novo VP de futebol falou que parecia faltar pirotecnia em alguns momentos… por que se aparece alguém pra bater na mesa na coletiva e pra gritar com jogador na frente de repórter eu creio que praticamente ninguém teria replicado mais essa tentativa inocente(?) porém pueril de encontrar uma explicação complexa para uma frustração quase que impensável no inicio do ano.

A verdade é que a constatação do que faltou é simples e quase ninguém discute o problema óbvio com tantos desvios e tantos motivos candidatos a “o problema”. O que de fato faltou ao Flamengo no ano de 2017 e falta agora mais do que em quase todos os outros momentos É PRATICAR UM FUTEBOL DE BOA QUALIDADE E CONSISTENTE!!!! “Sério? Sério que o “Jênio colunista” vai escrever uma coluna desse tamanho para falar isso???” Sério. Muito sério. Até para contrapor um pouco todos os outros motivos apresentados de forma tão insistente, mesmo sendo tão pouco palpáveis. Em alguns momentos falhamos individualmente de forma contundente. Em diversos outros falhamos coletivamente. E em especial depois da queda da Libertadores Faltou equilíbrio para enfrentar o este Revés e seguir evoluindo. Pode-se dizer que o ano do Fla foi nocauteado ali. E boa parte das pessoas não soube lidar com aquele momento adequadamente, algo que colaborou demais a queda da qualidade do futebol apresentado. A diretoria, com declarações desastradas, mal interpretadas e mal colocadas e que dão até hoje vazão a muitas dessas análises ás vezes com pouca substância e muito veneno. A comissão técnica que não soube mais extrair o melhor do elenco e de certos jogadores. O próprio elenco, que perdeu completamente a confiança naquele momento e não conseguiu mais render como poderia. E parte da torcida, que absolutamente tomada pela frustração e inflada por uma mídia interesseira, fez de algo péssimo algo pior ainda, exagerando na avaliação negativa de qualquer situação desde então.

É isso. Só isso. Sem teorias malucas. Sem alopração. Sem inventar situações de bastidores. Sem criticar excessivamente a montagem de um elenco que, como qualquer outro no Brasil, tem problemas, mas tem qualidades também e foi considerado por quase todos como sendo forte. Sem demasiado apego a situações menores ou extremamente pontuais. Sem olhar para “porta rangendo” durante “o incêndio da casa”. Faltaram forças para sair do atoleiro. Faltou inteligência. Faltou equilíbrio. Faltou Paciência. E principalmente… Faltou praticar um bom futebol. O resto é conversa pra boi dormir.

Opine, elogie, critique…Participe!! E se você ainda não é Sócio Torcedor… faça o seu imediatamente!!! O seu maior benefício é ver um Flamengo cada vez mais forte!!

Luiz Henrique Amorim

Pixotada: Pará. Um jogador mediano, sujeito a grandes fases, como vimos no fim do ano passado, e a fases ruins, como vemos agora. E no jogo do Grêmio pixotou muito. Um dos jogadores do elenco que mais mostra vontade, por sinal…

Pixotada: Falastrões. Então… A situação do Diego, que tinha sido poupado do jogo do Grêmio, foi duramente criticada por alguns, como se o jogador estivesse de alguma forma “de chinelinho”. Logo depois foi cortado da seleção por conta de dores na coxa. Ao que parece, de fato ele não tinha condições de jogo. Que coisa não?

2018: Mesmo que o título da Sul Americana venha ( algo muito positivo e necessário ), certamente não veremos esse elenco jogar o que pode jogar em 2017. 2018 está aí na frente. O elenco certamente será fortalecido e tudo que nos levou a crer em um bom 2017 estará presente de forma mais intensa em 2018. Assim como uma pressão muito maior por conta do fracasso atual. Assim como uma eleição que promete bastante, até mesmo a aparição de aproveitadores e incompetentes que por muitos anos afundaram o Flamengo na lama. 2017 ainda não tendo acabado já podemos dizer que 2018 promete. Preparem seus espíritos.

Seção Gato Mestre: Flamengo 2×1 Cruzeiro. Um jogo que nos lembra mais uma das frustrações do ano. O Flamengo precisa do resultado positivo para se manter na zona da Libertadores e procurar pela classificação direta. A zaga preocupa. Muito.

50 Comentários
Carregando comentários...
Criação de sites e aplicativos para celular