Guerrero? Pra quê Guerrero?

A entusiasmante classificação do Flamengo no Fla-Flu internacional da última quarta deixou claro que Paolo Guerrero não é mais tão indispensável ao time assim.

Eu sei, o Peruano é bola, com sua técnica, seu pivô e tal… Mas não precisamos gostar de quem não gosta da gente, ou querer quem não quer a gente. Reciprocidade, que claramente ficou de lado, o Flamengo é muito maior do que qualquer jogador.

Guerrero não quis saber do Flamengo no momento mais importante da equipe na temporada. Num clássico, na única competição que podemos conquistar ainda esse ano, no único alento que esse time pode dar ao torcedor após ceifar as nossas expectativas com a precoce eliminação da Libertadores.

O artilheiro do caô não tá nem aí pra frustração ou expectativa de mais de 40 milhões de rubro-negros apaixonados. Fez questão de calçar os chinelinhos e se preservar para sua maior missão esse ano: Colocar o Peru na Copa e alimentar ainda mais a sua idolatria em seu país.

Eu seria leviano se não entendesse, é uma meta pessoal do Pelé do Peru. O que não consigo entender é o torcedor, carente por ídolos, compactuar com isso, e ainda defender o camisa 9. Número de camisa que me remete aos grandes goleadores, decisivos.

Como o Felipe Vizeu, que estava doido para receber uma chance no time do El Prof Rueda. Recebeu, e não titubeou, fez o gol (de centroavante) que ressuscitou o Flamengo na decisão da última quarta, fez o seu papel (de controavante), e mostrou que talvez Paolo não seja tão necessário assim.

Talvez… Ou talvez conseguiremos outras boas opções no mercado. Porque, certeza mesmo eu só tenho de uma coisa: Pagar o salário astronômico do nosso superestimado ‘pivôleador’ é um absurdo, uma loucura. Renovar então… Nem se fala.

To tentando, como todo bom rubro-negro, manter os pés no chão, sei que por mais que as circunstancias tenham sido empolgantes, um empate com o fraco time de garotos do Florminense não é um resultado para se tirar conclusões, mas não é de hoje essa insatisfação.

Não tem como respeitar centroavante que tem mais cartões amarelos do que gols. Centroavante que usa como argumento o fato de estar na sua temporada mais goleadora da carreira, e quando olhamos os números eles são tão pífios quanto o de um atacante fracassado.

Não tem como respeitar o cara que recebe o maior salário do elenco, e fica de fora dos jogos mais decisivos do time, se tornando desfalque seja por contusões rotineiras, coleções de cartões amarelos (a maioria por reclamação), ou convocações.

Enfim, espero que estejamos entrando no último mês com Paolo Guerrero envergando o manto sagrado rubro-negro, e que com o dinheiro que investimos nele possamos contratar um centroavante realmente de alto nível, e que, é claro, faça muitos gols.

Desejo um bom final de semana para a garotada carente que idolatra o cara, e tomara que nos próximos jogos ele possa pelo menos entrar em campo, e distribuir seus pivôs.

Obs.: Se  é pivô que queremos, temos Splitter e Varejão sem contrato no mercado.

Que os deuses do futebol estejam com o Flamengo!’

Vinny Dunga

Siga no Twitter:  twitter.com/DungaVinny (@DungaVinny)

Curta no Facebook: facebook.com/ColunaDoVinny

61 Comentários
Carregando comentários...
Criação de sites e aplicativos para celular