Flamengo, o todo poderoso!

Estamos caminhando para o final da temporada e a realidade do Flamengo é bem diferente da sonhada pela torcida. O ano que parecia se desenhar como de consagração por todo o trabalho de recuperação financeira e de credibilidade no mercado futebolístico, está se apresentando como trágico.

O Fla conquistou apenas o Carioca, no mais foram inúmeros vexames. A queda na primeira fase de Libertadores, a pífia campanha no Brasileiro e as derrotas para o Paraná na Primeira Liga e o Cruzeiro na Copa do Brasil, ambas nos pênaltis, a segunda inclusive custando o título nacional, marcam um ano sofrido para os rubro-negros. É importante dizer que nem mesmo uma possível conquista da Copa Sul-americana apagará os maus resultados vivenciados neste ano.

Diante do cenário atual, é preciso frieza para avaliar as falhas e buscar melhorias no planejamento para o restante da temporada, bem como, o ano seguinte.

Quero enfatizar meu respeito e admiração a politica de austeridade do presidente Bandeira e a forma como conduz a parte financeira do clube, mas, não podemos fechar os olhos para suas falhas. No futebol, o Flamengo tem deixado muito a desejar e surpreendentemente em questões que considero simplórias para um executivo da capacidade do nosso presidente. Deixo aqui um questionamento simples do ponto de vista empresarial (aproveitando esta predileção dos nossos gestores): “Quando um funcionário de uma empresa não produz o necessário, mesmo recebendo orientações e oportunidades para melhora, o que deve ser feito com ele?”.

Não tenho dúvida que o funcionário deve ser rigidamente cobrado, e posteriormente trocado de função (o que não é bem possível no futebol) ou ainda demitido e então substituído.

É surpreendente ver um clube da grandeza do Flamengo, com todo o investimento feito, jogar um futebol burocrática e sem garra, pior ainda é perceber que as cobranças não estão acontecendo, a diretoria tem sido passiva. Recentemente, nosso presidente veio a publico defender jogadores minimamente questionáveis, colocando a torcida em constrangimento, uma vez que a mesma tem sistematicamente cobrado melhores atuações dos mesmos, a saber: Muralha, Márcio Araújo, Rafael Vaz, W. Arão, Gabriel, dentre outros.

O Flamengo tem que ter um projeto com a grandeza da sua história e força da sua torcida. Me chama atenção ver os gestores do Bayern de Munique vir a publico questionar a apresentação do clube diante do PSG (derrota por 3 a 0). Para a diretoria dos alemães é inaceitável um revés tão vergonhoso. Ninguém ali protegeu jogador ou minimizou os problemas, foi um comportamento compatível com o que se espera de um grande clube.

O Mengão deve ter jogadores focados no trabalho e uma gestão de futebol com a firmeza que se espera de uma potência mundial, só então será cada vez mais amado por seus torcedores e temido por seus opositores. É simples assim. SRN!

24 Comentários
Carregando comentários...