Cuéllar, que falta você nos faz!

Salve, Salve Nação Mais Linda do Mundo!

Hoje vamos falar sobre a diferença gritante entre dois dos volantes do C.R. Flamengo: Márcio Araújo e Gustavo Cuéllar. São diferenças abissais de comportamento e, principalmente, postura. Isso faz com que a distinção entre os dois seja absurdamente gritante.

Engana-se quem acha que Márcio Araújo seja um exímio marcador. Longe disso. Podemos dizer que ele tem uma qualidade, que é sua velocidade para antecipação a atacantes menos velozes, mas paramos por aí. Seu posicionamento defensivo beira o patético.

Normalmente ele não acompanha as jogadas criadas pelos adversários, fato comprovado através de diversos gols sofridos pelo Flamengo onde são ressaltadas suas deficiências de marcação, negligenciando a função tática a ele designada e fazendo com que o time pague por sua desobediência.

Podemos perceber esse fato com muito mais nitidez no desenrolar das partidas. Percebam que ele “se esconde” quando o Mengão tem a posse da bola. Geralmente ele se coloca entre um dos atacantes adversários e a linha da bola.

Já Cuéllar adota postura diametralmente oposta. Quando a posse de bola está conosco, ele abre para recebê-la para ser o desafogo à zaga, dando opção de passe para os zagueiros quando o time sofre pressão na defesa.

Outra coisa que podemos observar na diferente postura dos dois atletas é que, quando Cuéllar está em campo, os meias rubro-negros não têm a necessidade de voltar para buscar a bola e iniciar a transição ofensiva, haja vista o colombiano executar essa atribuição com louvor saindo da defesa com passes verticais em sua maioria.

Já MA se omite e ainda é negligente em algumas situações. Além disso, sua saída de bola é pífia. Seu poder de decisão também não é dos melhores. Já perceberam que o time adversário não o marca quando ele tem a posse de bola em nosso ataque? Não precisa. Ele não sabe o que fazer com ela e em algum momento a desperdiçará. Simples assim.

E as diferenças não param por aí. Uma coisa que devemos ressaltar é que o Flamengo perde (e muito) na saída de bola quando Cuéllar não está em campo. Isso é facilmente identificável e nos mostra que estamos mal servidos na volância da equipe.

Podemos destacar aqui a má fase de Arão, que vem se estendendo há algum tempo, o inexplicável obscurantismo de Rômulo e a péssima decisão da diretoria ao emprestar Ronaldo no meio da temporada. O Menino está fazendo (muita) falta.

Bom, espero podermos resolver estes problemas para o ano que vem. Que Ronaldo retorne do empréstimo, que o contrato de MA não seja renovado e que Rômulo possa ser emprestado para tentar readquirir seu bom futebol de outrora em outro clube, mudando de ares. Além disso, uma contratação de peso no setor seria muito bem vinda.

E é isso! Aguardemos o desenrolar dos fatos. Que o Mengão comece a jogar melhor e que nosso treinador possa inspirar-se em outros grandes treinadores para escalar melhor nosso time. O elenco é bom, a estrutura é de excelência e os salários estão em dia. Agora é bola pra frente.

Rueda já deveria ir separando o joio do trigo, começando a selecionar os jogadores com os quais gostaria de contar para a próxima temporada. Temos que sair na frente dos concorrentes na busca por reforços pontuais. Mais do que reforços, uma lista de dispensas é fundamental para nossa mudança de patamar.

Digo que, se quisermos alçar vôos mais altos, devemos realmente qualificar nosso elenco. E qualificar implica desfazer-nos dos perebas e de pouca qualidade. Se não queremos utilizá-los, não devemos tê-los no elenco. É uma fórmula simples e funcional! Vamos aguardar. E continuar torcendo incondicionalmente. Vai pra cima deles Mengo!!!

O Flamengo simplesmente é!!!
Saudações Rubro-Negras a todos!

Fabio Monken

Sugestões? Críticas? Elogios?
Deixe seu comentário e faça-o com educação e respeito.
O Debate SEMPRE é salutar, mas a ignorância e a falta de educação são os combustíveis dos fracassados!

126 Comentários
Carregando comentários...