Coluna do Torcedor: “O Universo Rubro-Negro”

O Flamengo joga, hoje, com a mesma alma de 1911. Admite, é claro, as convenções disciplinares que o futebol moderno exige. Mas o comportamento interior, a gana, o élan são perfeitamente inatuais. Essa fixação no tempo explica a tremenda força rubro-negra. 

Note-se: – não se trata de um fenômeno apenas do jogador. Mas do torcedor, também. Aliás, time e torcida completam-se numa integração definitiva. O adepto de qualquer outro clube recebe um gol, uma derrota, com uma tristeza maior ou menor, que não afeta as raízes do ser. O torcedor rubro-negro, não.

Se entra um gol adversário, ele se crispa, ele arqueja, ele vidra os olhos, ele agoniza, ele sangra como um césar apunhalado. Também é de 1911, da mentalidade anterior à Primeira Grande Guerra, o amor às cores do clube. Para qualquer um, a camisa vale tanto quanto uma gravata. Não para o Flamengo.

Para o Flamengo, a camisa é tudo. Já tem acontecido várias vezes o seguinte: – quando o time não dá nada, a camisa é içada, desfraldada, por invisíveis mãos. Adversários, juízes, bandeirinhas tremem, então, intimidados, acovardados, batidos.

Há de chegar o dia em que o Flamengo não precisará de jogadores, nem de técnicos, nem de nada. Bastará a camisa, aberta no arco. E diante do furor impotente do adversário, a camisa rubro-negra será uma bastilha inexpugnável”.  – Texto O MILAGRE DA CAMISA (Nélson Rodrigues)

O grande Nelson Rodrigues, apesar de tricolor, entendia bem o universo rubro-negro. O torcedor sangra e demonstra sua ira não só em gol adversário, mas se o time não demonstra a raça e a vontade de honrar o manto e vencer, vencer, vencer. Sempre foi assim, sempre será e isso é um direito inegociável para a torcida. E claro, piora se as derrotas forem em finais de campeonatos; mas podem ser derrotas em partidas simples também, cara e coroa ou cuspe a distância. Ser Flamengo é torcer de verdade.

Essa paixão avassaladora tem o seu lado bom e ruim. O lado bom é que nossa torcida é incomparável em todo o globo terrestre. O lado ruim é que a paixão nos cega e permite que sejamos facilmente manipulados.

Por ter uma torcida enorme e louca por tudo o que diz respeito ao Flamengo, há um potencial de marketing e mídia gigantesco. Vende camisas, lota estádios, já é líder nas redes sociais e será líder em sócio torcedor em um futuro muito próximo. Porém é o clube mais cobrado do Brasil pela imprensa.

Mas vamos entender isso melhor. O Flamengo sempre foi uma super potência na questão torcida. Era o clube mais popular do Rio de Janeiro, e após conquistar títulos nacionais, libertadores e mundial, tornou-se um gigante do futebol com repercussão no mundo inteiro. Tinha no elenco um dos maiores craques do mundo, Zico, que sempre foi um atleta exemplar. Em 1984, o Flamengo conquista o principal fruto financeiro das glórias em campo. O patrocínio com uma das maiores empresas brasileiras, a estatal Petrobrás, transformaria o Flamengo em uma potência do futebol. Porém a história mostra que o amadorismo das administrações não fez com que fosse exatamente isso.

Na questão midiática, o Flamengo pelo tamanho da torcida sempre vendeu muitos jornais, deu muito “ibope”. A “Rede Globo” que já tinha enxergado um potencial enorme na paixão do brasileiro pelo futebol, escolheu o clube mais popular para amplificar esse sentimento que já havia pela seleção brasileira, e assim deter o poder sobre a “paixão nacional”. Então não é preciso pensar muito pra saber porque o Flamengo se tornou o “time da Globo” como costumam nos chamar os eternos invejosos torcedores adversários. Somos time da Globo sim, não porque queremos, mas porque a Rede Globo necessita de nós.

Após ser patrocinado pela Petrobrás, a primeira conquista relevante decorrente desse poder financeiro veio no título nacional da Copa União de 1987. Aquele campeonato foi a revolução do futebol brasileiro. A CBF se afastou por estar sem condições financeiras para realiza-lo, e então os clubes assumiram a organização do torneio, semelhante ao que é feito na Europa. Foi o primeiro campeonato com patrocínios oficiais. Na ocasião as marcas que bancaram foram Coca-Cola, Varig e….Rede Globo. A Globo passaria todos os jogos com cobertura exclusiva. Era tanta revolução no futebol, e a fórmula dava tão certo que após iniciado o campeonato, os abutres da CBF cresceram o olho e decidiram que não perderiam o poder, e todo o potencial milionário do futebol brasileiro. Para a Globo era o teste para saber se valeria a pena o investimento. A grande final foi tudo o que o mundo do futebol queria ver: maracanã lotado em vermelho e preto, e craques como Zico, Bebeto e Renato Gaúcho em campo. Flamengo campeão e Inter vice, num jogo de gigantes do nosso futebol. Apesar da festa linda, a CBF resolve interferir e considera o título ilegítimo.

No decorrer dos anos, a dona CBF, usou a pauta de 87 como joguete político em várias ocasiões. É triste pensar assim, mas consideramos isso normal porque é o que se espera da CBF, uma entidade envolvida até o pescoço em negócios escusos. No entanto, algo que ninguém esperava à época era a omissão da Rede Globo. Com toda a confusão em cima do título do Flamengo, vencido em campo, porque a Globo se excluiu da discussão? A resposta meus amigos, é que a Globo já havia conquistado o que precisava, que foi o molde para se tornar a maior transmissora do futebol nacional. Mesmo sendo testemunha ocular do fato, a Globo representando a grande mídia lava as mãos diante de um campeonato bem organizado e com sucesso de público, para apoiar a tirania da CBF. Então a mesma Rede Globo que hoje cobra mais profissionalismo no futebol, mais torcidas nas arquibancadas, e menos violência, poderia ter sido protagonista lá atrás em 1987, quando os clubes organizaram (e bem) um campeonato, que hoje poderia se assemelhar a qualquer liga europeia. Seria mais público, mais dinheiro e mais paixão nacional. Mas o poder e o dinheiro falaram mais alto.

Porque citar a polêmica de 87?

Porque dar corda pra essa história, é mais uma forma da mídia vender. Flamengo e polêmica vendem, ou seja, eles usam o torcedor flamenguista e a sua ilimitada paixão. O que seria pior do que arrancar de um clube um título ganho em campo de forma limpa? Dá pra vender jornais e matérias pra maior torcida do Brasil? Sim nação, a imprensa depende disso.

Como tudo no Flamengo tem repercussão absurda, alimentada pela imprensa, a questão chegou ao cúmulo de parar no Superior Tribunal Federal.

Pensem: Só o Flamengo consegue levar uma causa desportiva até lá. Coisa de gigante.

Mas como mencionou o ministro Luiz Roberto Barroso:

Embora eu seja Flamengo, deixa eu dizer uma coisa que é muito importante. A lógica de um juiz não é a lógica de um amigo e inimigo. A lógica de um juiz é do certo e errado, justo ou injusto, legítimo ou não legítimo, isso vale para todas as instâncias da vida e vale pro Flamengo também. Mas o Flamengo estava cheio de direitos ali. Tanto que foi uma questão de aplicar o direito, mas os outros colegas não pensaram assim.”

Por isso nossa postura deve continuar a de sermos e nos acharmos campeões de 87 e hexacampeões brasileiros. Vencemos e quem fez a lambança foi a CBF e quem se omitiu foi a imprensa.

O Flamengo continuou sendo o gigante da grande massa, e o Sport é o que? Que títulos ganharam depois disso? É apenas um clube que vive dessa polêmica ridícula.

Após 87, Conquistamos mais um importante título da nossa história, o pentacampeonato brasileiro em 1992, comandado pelo maestro Junior.

De 1993 até 2009, não tivemos mais nada expressivo muito por culpa nossa. Após sobreviver a administrações catastróficas, entramos na era da mídia digital onde a notícia corre rápido e pra prender a atenção do torcedor, a imprensa utiliza cada vez mais da polêmica e do sensacionalismo. Hoje só está pior, mas podemos dizer que na administração Patrícia Amorim isso chegou ao cúmulo. A imprensa esportiva percebeu que o caminho das pedras é fomentar, criar, descobrir qualquer polêmica no Flamengo. Não é só uma grande torcida que estará atenta, mas todos os outros times do Brasil, que tem o interesse no não crescimento rubro-negro. Uma a uma as polêmicas caíam como uma bomba nos jornais e cada torcedor do Flamengo sangrava como em uma derrota em campo com os vexames fora dele. Jogadores que não queriam vestir a nossa camisa, frase do Vampeta espalhando que o clube era caloteiro, caso goleiro Bruno, polêmicas do Ronaldinho Gaúcho e dívidas enormes.

A imprensa quase acabou com o Flamengo. E isso tudo por causa da falta de um departamento de marketing para contar a verdade e preservar a história rubro-negra.

Desde 2013 até agora, a administração Eduardo Bandeira de Mello fez o óbvio. Primeiro precisava limpar a imagem de clube ruim, bandido. Utilizou o potencial de uma torcida enorme para captar patrocínios e chegaram aos resultados porque agiram de forma correta ao arrumarem a casa de verdade, sanarem dívidas, se tornarem transparentes em tudo. Hoje o Flamengo é um dos clubes mais honestos do país.

Se o departamento de futebol do Flamengo funciona de forma falha e os resultados não vem, é porque ainda se encontra se reestruturação. Depois de levar tanta pancada da mídia, e de ser saqueado por corruptos é óbvio pensar que esse departamento estava abandonado desde a década de 90.

Ninguém duvida que a diretoria acertou ao arrumar a parte das finanças do clube. Mas acredito que se fazia bastante necessário um departamento que cuidasse do marketing do Flamengo para fomentar a paixão e que filtrasse o que sai na imprensa. O markenting tem de servir de escudo do clube perante a sociedade, perante o torcedor brasileiro.

Investimentos foram feitos no departamento de futebol e acredito que estamos cada vez mais perto da excelência.

Quem não lembra da frase do ex-presidente do Galo, Alexandre Kalil?

“Estão arrumando o Flamengo, e se arrumar não vai ter para ninguém. Se arrumar o Flamengo, acabou o futebol brasileiro!”

FLAMENGO PRECISA DE UNIÃO ENTRE DIRETORIA E TORCIDA

Enquanto a diretoria investe cada vez mais em CT, jogadores, técnicos e estádios falta algo fundamental pra união rubro negra.

Esse algo é a diretoria tocar o coração do torcedor. O papel de vocês diretoria é alimentar o imaginário do Flamengo, fazer o torcedor orgulhoso.

Jogadores!!! Cadê a raça? Se derem a vida a nação dará a sua alma na arquibancada!!!

A grande mídia esportiva orbita como uma lua no universo rubro-negro. Eles precisam de nós e não nós deles.

Nação rubro-negra, preste muita atenção:

Fiquem atentos a tudo e não sejam manipulados pela mídia anti-Flamengo!!!

Muita atenção com locutores e comentaristas que sempre esculacham o clube na Globo, SporTV e ESPN principalmente.

A imprensa com seu novo estilo polêmico/sensacionalista consegue atrapalhar e muito a evolução do Flamengo. Reparem que comentaristas, locutores, jornalistas todos os dias comentam sobre “os erros do Flamengo no futebol”, “a torcida não aguenta mais”, “rendimento fraco”, “pelo investimento o Flamengo é decepção”, “vexame da libertadores”.

Isso tudo é pra enfraquecer o Flamengo. Ótimos jogadores saem do Flamengo a preço de banana por que não rendem no Ninho mas viram craques em outros clubes. A base quase sempre é destruída.

Todos concordam com a falta de rendimento do goleiro Alex Muralha, mas o que o jornal Extra fez, não pode acontecer nunca mais. Isso não é imprensa nem liberdade de expressão tampouco a proibição do Flamengo tenha sido censura.

O Flamengo precisa melhorar suas campanhas de marketing e propaganda. Tentaram, mas nenhuma conseguiu colocar de forma precisa a paixão flamenguista. Outra coisa que incomoda, é os sagrados craques rubro-negros como Zico e Junior, falarem tão mal do time. Zico precisa ter consciência de que cada palavra dele cai como uma bomba no ambiente do centro de treinamento, porque ele é a principal figura da nossa história! A cada crítica, que nunca é leve, ajuda mais os adversários do que o elenco do Flamengo.

Zico, ajudaria mais se você fosse até o Ninho e falasse com o elenco diretamente. E na imprensa desse mais força do que críticas. A torcida ouve você sempre.

O Flamengo sobreviveu a presidentes corruptos, pessoas que usavam o clube em benefício próprio e a pessoas incompetentes. Porque o Flamengo é gigante. O Flamengo é a cara do futebol brasileiro.

“O Flamengo é uma força da natureza. Quando o Flamengo espirra, é o futebol brasileiro que fica resfriado.” (Nelson Rodrigues)

Vamos apoiar porque o futuro é brilhante para o maior clube do mundo!!!

Saudações rubro-negras!

Andre Prokofiev

12 Comentários
Carregando comentários...