Home Colunas O Flamengo para os ricos ou para os pobres?

O Flamengo para os ricos ou para os pobres?

2043
75
SHARE
Reprodução/Twitter Thayuan Leiras

O Flamengo vivenciou um longo período na sua história onde era comum observar negociações lesivas a instituição e inúmeras vezes também aos atletas que não recebiam o prometido e por consequência acionavam a justiça. Também era notório o déficit estrutural do clube, faltava local adequado para treinamentos, equipamentos e qualificação da equipe que geria o futebol.

A partir da chega do Eduardo Bandeira de Melo e uma equipe de gestores com perfil profissional, experiência em empresas e no mercado financeiro, o clube se tornou mais responsável e organizado.

Atualmente, o Flamengo conta com um bom centro de treinamento, estádio provisório, programa sócio-torcedor, paga em dia seus atletas e tem conseguido controlar suas dividas. Em sua segunda gestão o aplicado presidente conseguiu muitos feitos administrativos. Parece até um milagre, concordam?

É preciso mencionar que o sucesso administrativo ainda não gerou grandes vitorias dentro das quatro linhas. Faltam títulos expressivos e uma melhor compreensão sobre futebol para o Bandeira. Mesmo assim ele conseguiu um feito magnífico, sem dúvida hoje, mesmo não jogando futebol, marcando gols ou dando assistências, o presidente do Flamengo se tornou um ídolo.

Não poderia ser diferente! Em um país onde a corrupção impera e tem o futebol cercado de canalhas, Bandeira se tornou um exemplo, a “luz no fim do túnel”.

Diante de tantos feitos, do sucesso financeiro do clube, mesmo sendo otimista quanto a conquistas futebolísticas num futuro próximo e observando o Flamengo cada dia mais forte, algo me preocupa — O afugentamento dos torcedores menos favorecidos do estádio.

O repórter esportivo Mauro Cezar Pereira (ESPN), dentre outras personalidades da mídia esportiva, tem usado de muita coerência destacando sistematicamente o preço abusivo dos ingressos e a dificuldade que os não sócios do clube tem em ir aos jogos. Não se pode esquecer que estes torcedores são também peça fundamental na engenharia financeira do clube, assistem jogos na TV, divulgam a marca nas suas discussões entre amigos, nas redes sociais, enfim, fazem parte do Marketing. Não é de costume geral dizer que o Flamengo é um time de massa?

Acredito na sensibilidade do Bandeira de Melo e espero que a dinâmica de valorização dos sócios não venha a prejudicar os menos favorecidos de frequentar o estádio. Todos devem ter o direito de levar seu filho e comemorar os gols do Guerrero, Diego e companhia… O Flamengo não é exclusivo para os ricos ou pobres — O Flamengo é para todos!

Mauricio Dias

Reprodução/Twitter Thayuan Leiras

Comentarios

comentário

  • Alexandre Schuetzler Gomes

    Infelizmente, você nem parece Flamenguista. Está querendo voltar aos presidentes do passado.

    • Hudson Ramalho

      O problema da Iha e atras do gol com cadeiras do lado da arquibancada dos visitantes é o setor que ninguém vai, coloca esse setor mais barato, faça uma promoção, não esta arrecadando nada com esse setor mesmo .

  • EuMeSmObYmYsElF

    a gente precisa ter a noção de que, por mais barato que o ingresso seja, as pessoas de renda mais baixa não podem ir ao estádio em todos os jogos, e manter o preço baixo não é rentável.. o que pode ser feito é um plano sócio-torcedor especial gratuito pra galera que ganha até, sei lá, 2 salários mínimos. esse plano daria direito à compra de um ingresso com preço reduzido (por no máximo 2 jogos seguidos), limitado a uns 10 a 15% da carga total de ingressos, dependendo do jogo.. assim o Flamengo continua faturando e os mais pobres podem continuar prestigiando o time

    • Caio Sá

      Já pensou quanta gente que ganha menos que dois salários mínimos, como estagiário, por exemplo, mas tem papai e mamãe que ganham muito, mas muito mais que isso, vai se associar?

      • EuMeSmObYmYsElF

        Aí já não é problema do Flamengo.. É problema da canalhice alheia.. Esse limite que falei de no máximo 2 jogos seguidos forçaria uma rotatividade. Por mais que existam os desonestos, os que realmente precisam teriam chance

        • Caio Sá

          O problema amigo é que na sua solução só seria possível exigir a faixa de salário. Eu exagerei na renda dos pais, mas sempre haverá uma zona cinzenta. O que quis dizer é que a renda não é só o que se ganha, mas também aquela auferida pela família como um todo, inclusive as nuances, como por exemplo, quem tem casa própria ou não. É complicado. Te garanto que, ainda assim, o pobre seria excluído. A única solução mesmo é o Flamengo abandonar as receitas da bilheteria e esquecer sócio-torcedor. Aí abandonaremos de vez o sonho de ver o Mengo com saúde financeira.

          • EuMeSmObYmYsElF

            Sua solução é virar um vasco então, um américa… Ta serto

          • Caio Sá

            Pelo contrário. Acho que não tem solução. Os preços, infelizmente terão que ser como são mesmo. Mas já que essa discussão sobre a ausência do pobre no estádio está tendo tanta acolhida, estou refletindo se existe uma fórmula para isso e não consigo enxergar. Apontar o problema é fácil, mas solução viável realmente ninguém tem.

        • Caio Sá

          E outra questão. Não se trata de xingar e se indignar contra a “canalhice alheia”. O fato é que ela ocorrerá, às vezes até por “inocência”, já que a zona cinzenta vai existir. Com certeza, vai haver situação em que o sujeito vai se perguntar se ele se enquadra ou não na “categoria de pobre que precisa de uma ajuda para ir ao estádio”.

          • EuMeSmObYmYsElF

            Inocência? Não mesmo..

          • Caio Sá

            Sim. Não no sentido exato da palavra. Haverá sim quem estará em dúvida se se enquadra na categoria que se quer alcançar.

  • Márcio Adriano

    É fácil criticar a diretoria do clube e dizer que a mesmo é elitista e que administra o clube para os ricos deixando de fora os torcedores mais pobres.
    Quero ver esses caras da imprensa dizerem que quase 20% dos torcedores não pagam ingressos por força de uma lei do Estado do RJ que dá gratuidade a milhares de torcedores. Quero ver esses caras baterem na FERJ porque a mesma cobra 10% do valor da renda nos jogos do Flamengo onde outras federações cobram a metade ou até mesmo 3%.
    Quero ver esses caras fazerem campanhas contra a FERJ e a CBF e contra essa politica de gratuidades que impera no RJ.

    • Caio Sá

      Até falam das gratuidades e meias entradas Márcio, Mauro César é um deles. Mas, caso algum vereador tente extingui-las, esses jornalistas apoiarão sem medo da contradição qualquer ação dos indignados de plantão, sempre apoiados pelos blackbloks e congêneres. Vão se extasiar com “ocupações” da câmara e quem sabe, da sede do Mengo. Aí, saberão que alcançaram sua meta.

  • Ciro Martins

    Muito bonito isso.Não conseguimos encher nem a Ilha logo nós a torcida cheia de recordes de público ao longo dos anos setenta, oitenta e noventa. O professor Rueda deve esta com uma certa dificuldade de entender esse negócio de Maior Torcida do Mundo.

  • Pedreiro do hawaii

    Só não acho certo pagar um dinheiro para reformar um estádio para deixar setores fechados, um valor elevado em uma final de campeonato eu até entendo. Acho que está faltando um pouco de sensibilidade, a médio-longo prazo talvez até perdemos futuros torcedores por causa disso.

    • Caio Sá

      Aí, eu acho, que não é nem falta de sensibilidade. É a tal precificação, penso que essa é a expressão que define a questão. Mas não é fácil mesmo acertar. Concordo que a Diretoria deveria melhorar na percepção de qual jogo atrairá mais gente ou não. Mas, repare, eu nem a critico, pois essa, me parece, é uma sabedoria difícil de alcançar. Mesmo assim, perceba que a única solução seria vender todos os ingressos a baixo preço nesses jogos de menor apelo. Ou não?

  • Caio Sá

    Afirmam alguns historiadores que o Fla aumentou sua torcida lá no início, entre outras causas, por que, ao contrário de Clubes como o Paysandu, o Vasco, o Flu, entre outros, treinava num campo aberto, acessível aos mais pobres. Assim, independente de sermos a maior torcida em qualquer segmento social, seja por renda, nível de escolaridade e faixa etária, a verdade é que a responsabilidade financeira acaba por afastar sim certa parcela da população do estádio. Este é um efeito colateral que ninguém pode em sã consciência dizer que é bom. O ideal é que o país mudasse, que a pobreza diminuísse. Como isso pode ocorrer já é uma outra discussão muito mais longa. Entretanto, só vejo uma solução eficaz para que o pobre possa ir ao estádio. É a redução do valor de todos os ingressos. Infelizmente, se qualquer um pensar bem, não há alternativa. O problema é que, caso isso ocorra, o sócio-torcedor vai praticamente deixar de existir. Sei que tem gente como eu que contribui mesmo sem ter comprado um ingresso sequer, até por morar fora do estado do Rio. Mas essa não é a maioria. Talvez o Fla deva renunciar à receita do estádio. Mas não é simples. O Clube não apenas vai perder renda, ele vai tomar prejuízo, já que o custo de um estádio, seja o do Maracanã e mesmo o da Ilha existe, e ingressos baratos não vão pagá-lo. Enfim, ou diminui todos os ingressos ou alguém proponha uma forma genial de reserva de mercado dos ingressos para os pobres.

  • Nikola Nobre

    Tá certa a diretoria. Pra manter o nível de administração e futebol que temos atualmente, exige-se muito dinheiro. Tá parecendo o PT, iguala todo mundo na miséria pra dar igualdade a todos. O resultado vai ser o Flamengo falir de novo. Não existe direito de ir a estádio. Existe fazer um esforço para conseguir o dinheiro do ingresso, mas muito mais barato é ser sócio-tocedor. Tem plano de 30,00 reais mensais. Eu moro longe e nunca fui a um jogo no Rio e torço muito pelo Flamengo. E garanto que ver pela TV, pra mim, é muito melhor do que no estádio. Pago PFC e vejo tudo do Mengão. Não troco o conforto de assistir ao jogo em casa pelos transtornos de comparecer a um estádio.

    • Luis Paulo Pinheiro

      Concordo com voce que para manter o nivel de administração do futebol temos que ter MUITO DINHEIRO.
      Agora quanto ao PT igualar todo mundo na miséria é meio esquisito voce falar isso, pois, na cartilha dos neoliberais (PSDB,DEM,PMDB) só se ouve falar em cortes para a classe trabalhadora (seja nos salários, seja nos direitos trabalhistas, seja nos direitos previdenciarios, seja na educação, seja na saude).
      Será que adotando essa politica esses partidos com pensamentos neoliberais estariam igualando todo mundo na riqueza?

      • Ltom Macêdo

        So nao sei qual politica neoliberal foi aplicada no Brasil.

        No demais sobre os partidos concordo com você.

        • Luis Paulo Pinheiro

          Voce não acha que esse praticamente 1 ano e meio de governo Temer com toda essa sanha por reformas e cortes já não é um indicio de um governo com politicas neoliberais?

          • Filipe

            Não vejo o governo tentando acabar com a burrocracia ,com os impostos (ao contrario ,so vejo querendo aumentar mais ).Eu so vejo funcionario publico do juciario ganhando 600 mil por mes .Liberalismo é o que nao tem no Brasil .

          • Luis Paulo Pinheiro

            Voce tem que mudar o foco……
            Voce acha que governos neoliberais não cobram impostos?
            Quanto ao salario do judiciario, concordo com voce, MAS, tenha em mente que isto é uma tradição brasileira e de outros países, onde determinada categoria recebe salários estratosfericos, enquanto a maioria sobrevive com salários muito baixos.

          • Ltom Macêdo

            Reforma trabalhista e previdenciaria é algo que o país precisava e não tem nada de neoliberal nisso.

            Você pode não gostar da forma que foi feita ou achar que quem fez não tem legitimidade governamental para fazê-lo, mas como estava não dava pra ficar.

            O governo anterior do qual o atual presidente foi eleito junto (ou não foi?) já tinha iniciado os cortes e declarava falta de verba. Também não a nada de neoliberal.

            Não é nada neoliberal aumentar impostos cm Temer fez também.

            Ser neoliberal é apoiar a iniciativa privada, o microempresario e diminuir o tamanho do estado. Não vi nada disso atualmente. Reveja seus conceitos.

          • Luis Paulo Pinheiro

            Quando citei as reformas feitas pelo governo atual voce certamente deve saber que elas se enquadram dentro do receituário neoliberal.
            Quanto a apoiar a iniciativa privada, o microempresariado e o tamanho do Estado são topicos que todos nós como cidadãos esperamos que todo governo, de direita ou progressistas, tenha como prioridade.
            Devolvendo o seu conselho: Analise a todos os lados da questão.

          • Thiago

            Esses partidos nao sao de direita cara,de onde vc tirou isso. Eu tinha feito um comentario explicando tudo, mas infelizmente o MODERADOR DO COLUNA excluiu meu comentario.

          • Ltom Macêdo

            As reformas devem ser feitas pelo governo de plantão, não tiveram coragem de fazer em mais de uma década. Reforma doi e fica mais dificil de aceitar quando vemos a farra nas contas publicas que e feita.

            Todos países desenvolvidos e que a população envelheceu teve que passar por eles e passarao novamente cm o passar dos anos.

            Ainda aguardo um governo neoliberal aqui no país, e não tem nenhum candidato nem partido grande com essa proposta, infelizmente.

    • Fábio Souza

      Mauro Cezar (o principal que fica martelando sobre os ingressos) é simpatizante do PSOL. Faz todo sentido ele realmente defender essa lógica populista “pão e circo” de ingressos quase de graça, o partido dele beija a bunda de Maduro e qualquer outro ditador desse calibre.

      • Caio Sá

        Certíssimo. Mauro Cezar quando fala de futebol é muito bom, mas quando se envereda pela política enlouquece. KKKKKKK Hoje em dia gravo os programas da espn ou assisto no site. Quando a ladainha ideológica começa eu pulo.

      • Marlus Soares

        Não fala besteira não. Não se trata de simpatizante de A ou B, existem, sim, torcedores pobres que iam aos jogos e não vão mais e é neste público que muitos jornalistas, principalmente em se tratando de flamengo, clube da massa, da favela, dos pretos, ponderam os valores dos ingressos. Pesquise rapidamente, consulte os públicos do maracanã na época da geral ou ao menos até a última reforma (anterior a desconfiguração), onde iam públicos variados. Hoje não, não há um local “popular”, isso é fato. Também é fato que para chegarmos ao nível que chegamos hoje, com pagamentos de contas, com equidade financeira, deixamos de fazer caridade com o chapéu do outro, viramos responsáveis e precisamos aumentar o lucro senão só iríamos em direção ao buraco, portanto, o que se deseja é chegar ao equilíbrio entre as contas que necessitamos pagar e incluir um público que era o grande impulsionador do clube em seus tempos passados. Flamengo é de pessoas, não é de partido, nem de classe social, contudo, suas pessoas pertencem a classes sociais, tem simpatia por partidos o que se quer é que todos estejam dentro do estádio.

        • Jhonny

          Tenho algumas perguntas a você primeiro quantas vezes no mês está parcela de pessoas iam ou sua quantidade segundo Vasco terceiro quanto seria na sua opinião o preço justo para esta parcela da torcida quarto como fariam para mesma comprá-lo sem extraviar e ou ir para quem não precisa ou para cambistas.

          • Marlus Soares

            Se eu tivesse todas as respostas, seria o dono do mundo a mais fácil é a segunda rs… Mas sério, para a primeira e a terceira são necessários um rápido estudo de caso com perguntas fechadas a pessoas que moram na periferia/comunidades/favelas, de baixa renda para termos uma ideia do valor aproximado a realidade deles; comprar sem extraviar é um problema que independe do flamengo, está no dna maldito do ser-humano (rico ou pobre), o máximo que o flamengo pode fazer é o que fizera, por exemplo, no pré sócio-torcedor, cadastrar o cpf e identidade da pessoa para que ela compre o seu próprio ingresso, eliminando a chance de cambista em cima de uma pessoa. Se o cara não é sócio-torcedor, não tem grana pra bancar todos mês, que seja cadastrado ou no site ou na bilheteria indicada para aquele fim, obrigando-o a levar seu documento com foto tanto para a compra, como para o jogo (exceto se for ingresso inteiro). Se for ingresso inteiro, o documento com foto deve ser exigido no ato da compra, no acesso ao jogo não, basta a apresentação do ingresso (A comprou e não pode ir e passou para B). Se tiver direito à meia-entrada? Aí muda de figura, deve-se diferenciar o ingresso, requerer no ato da compra o documento comprobatório para a meia-entrada, não sendo necessário este documento no dia da partida a não ser a identidade, pois no ingresso estará o nome e o número da identidade do torcedor; no jogo, dar acesso diferenciado no estádio, exigindo (e não fingindo) a apresentação do documento de identidade provando que aquele ingresso é de fato daquele torcedor (porque a meia é dele e não de outrem). Onde deve ser feito isso? Bem antes da roleta, para que o cara não crie confusão nela.

          • Jhonny

            Bem ja que a sua resposta aqui ficou mais completa vou te responder por aqui, sou contra a exclusão tambem, porem sou contra este socialismo nos lucros e preciso verificar a demanda x oferta (uso como exemplo meu sonho de ter um camaro mais so posso ter um gol, a culpa nao e da chevrolet e nem de quem pode comprar e sim minha por nao ter condições para isto).
            Vendo suas sugestões vamos a elas: Esta pesquisa sobre o perfil eu ja comento a tempo aqui em outros sites, deveria se feita para melhorar o ST conhecer mais Flamenguista/Torcedor/Cliente, seja por um telemarketing agressivo seja por pesquisas nos proprios jogos ou em locais etc (o que demanda uma quantidade de dinheiro que ah meu ver vale a pena).
            Considerando isto feito este cadastro teriam que estabelecer um valor/pessoa para entrar neste perfil,cobrar por isto um custo mensal (sim é necessario porque isto nao sai de graça para fazer esta infraestrutura) e estabelecer o ingresso, e ai sim como vc sugeriu estabelecer que cada pessoa tenha direito a apenas 1 ingresso por inscrição e sem direito a meia, isto em jogos eventuais de menor apelo.
            Quando as pessoas fazem sugestões (sejam elas viaveis ou nao e a sua me parece viavel) da para entrar em uma discusão o que nao da e quando se reclama do preço por reclamar sem sugerir alternativas viaveis.
            Obs: jogos como este da final da copa do brasil ou jogos de mata mata perto das finais ou se quem sabe se chegarmos no corinthians vai desculpar mais nao daria para fazer isto pois teremos demanda, para mim esta sua ideia funcionaria para jogos dos estaduais primeira liga jogos inicias do mata mata e jogos de pouco apelo no brasileiro (quem sabe nao seja colocado em pratica apos o flamengo ficar com maracana ou no nosso SONHO do estadio proprio.)

          • Marlus Soares

            Futebol é negócio, mas também é entretenimento, bem como socialização/educação a ponto de ter uma lei (não lembro qual, me perdoe) que garante certas regalias que nós meros mortais não temos.

            Respondendo por parágrafos, inicio pelas questões do segundo: A pesquisa de renda do torcedor deveria ser vista como um investimento e não gasto. Porque através dela que o clube teria a dimensão aproximada do que deveria fazer para abocanhar o máximo do seu filão, nós, os torcedores. Em dias de jogos seria complicado em razão da aglomeração. Então, minha sugestão é que se deveria ir até as comunidades/favelas/periferia para realizar o estudo. Além de ser mais impactante para o torcedor da periferia/favela ver o seu time indo atrás dele para fazer uma pesquisa.
            Terceiro parágrafo: Este item de cadastro seria realizado, segundo o que pensei, quando a pessoa fosse adquirir o ingresso, não se misturaria com a pesquisa de renda do torcedor. Seria a opção de compra apenas e exclusivamente para o torcedor não ST, daí seria posto as condições e os limitantes conforme mencionei. Não teria correlação alguma com o ST.
            Obs: Voltamos ao que falei no primeiro parágrafo, futebol é negócio. Portanto, o valor do ingresso de jogos com maior apelo, devem e serão majorados, por razões óbvias, contudo, deveria se levar em conta a realidade da economia brasileira em que muitos, como eu, estão lutando para cumprir seus compromissos face a recessão que encontramos, mas gostariam se desse para ir a um jogo de grande apelo. Obviamente 99% ficará de fora e isso é ponto pacífico. Quanto a um estádio, não devemos perder a esperança.

  • Falador

    O Maraca não é o mesmo da década passada…. A culpa não é só da diretoria… Não temos estádio…. As arenas só servem para países com boa renda… Não é nosso caso. E ainda tem os políticos do Rio e a FERJ… Que ajudam muito os clubes cariocas… (Sarcasmo)

    • Slade

      Em jogos de menos apelo à ilha do urubu nunca lota. A questão é afastar o torcedor de menor renda, mesmo que isso signifique que não consigamos lotar um estádio com a mísera capacidade de 20 mil pessoas.

  • Carlos Henrique Caetano

    A coluna mostra um problema já identificado e não apresenta nenhuma solução. Há inúmeras variantes sobre a questão que a torna muito mais complexa do que possa parecer. O maraca não é o mesmo. Hoje é um estádio caríssimo, chega a ser escorchante o que cobram para o FLA atuar nele. Além do aluguel do estádio, há um gasto infinitamente maior com segurança, pessoal, taxas e equipamentos. Por conta do custo do maraca, não dá para se imaginar ingressos a 20 ou 10 reais, principalmente numa partida de apelo, como uma final. Com a crise econômica atropelando na população de baixa renda (onde estão as panelas?), qualquer 50 reais afasta o povão do estádio. Ademais, o maraca está num imbrólio terrível sem perspectivas de soluções favoráveis. Temos a ilha que é um estádio digno para quem não tinha onde jogar e era constantemente ridicularizado pelos adversários, inclusive com negativas públicas de cessão de outro estádio alugado. Bola dentro da diretoria. Mas é pequeno e de difícil acesso. Todavia, a grande questão é o programa ST, uma das grandes fontes de renda do FLA. Com o sucesso do plano, caso se coloque o ingresso a que preço for, os ST comprarão todos on ingressos, deixando o povão de fora. Então a questão é: manteremos o mais rentável programa ST do país e fundamental para as finanças do FLA ou abriremos mão dessa fonte de renda e provavelmente pagaremos para jogar em 99 por cento das partidas? Quem tiver a solução…

    • Caio Sá

      Perfeito. Venho questionando isso desde que esse assunto virou tema dos indignados de plantão. Quero menos ostentação de virtude e bom mocismo e mais solução para o problema que eles mesmos levantaram.

    • Daniel

      Perfeito. Sem mais. Próximo assunto!

    • Gleu Costa

      A única coisa que precisa ser modificada no ST do Flamengo é colocar uma prioridade por assiduidade que hoje não tem, pois hoje vou a 10 jogos de menorr apelo e no 11 de grande apelo não teria prioridade sobre a compra do ingresso, pois a prioridade só leva em conta o valor do plano pago. Acho que deveria ter um rank com pontuação por valor do plano + assiduidade.

    • Marlus Soares

      Boas palavras. Não há como voltar à época da caridade com boné alheio. Essas demandas apresentadas por você são óbvias, mas pondero a falta de sensibilidade em alguns momentos. Por exemplo, flaxpalestino, o flamengo já estava classificado antes do segundo jogo, poderiam ter a sensibilidade de, mesmo com os valores dos itens obrigatórios que você citou, colocar ingressos mais baratos (sem meia-entrada para sócios) para que quem normalmente não ia, pudesse ir. O público foi 5.170 pagantes e 6.074 presentes, renda de R$200.405,00. O preço médio inteiro foi de 115 mangos p não sócio e 75 p sócios, se tivessem, numa conta muito simples, diminuído o valor do ingresso inteiro em 40%, o valor ficaria em 70 mangos p não sócio e 45 p sócio. Destinando os setores leste, oeste e metade do norte para sócios; o sul e metade do norte para não sócios, poderíamos ter com os valores que falei, R$74.235,00 com o sul cheio, com todos não sócio pagando meia-entrada, metade do norte com não sócio pagando meia R$77.245,00; os lugares dos sócios renderia R$613.530,00. Somando sócio c não sócio R$765.010,00. Isso num jogo sem muito apelo, 3x mais que os 5 mil renderam ao clube assistindo aquele jogo. A conta foi simples, foi tudo simples, baseando apenas na hipótese, contudo, o flamenguista vai a jogos e num jogo como o daquele dia, seria bem provável que fosse em peso se o preço fosse menor.
      Segundo matéria do próprio coluna do flamengo, a capacidade de cada setor é: N – 4.414, S – 2.121+2.000, L – 6.437, O 4.990.

  • Caio Sá

    Pronto. O sr. colunista já teve a chance de expor seu bom coração. Agora que se aliou aos insufladores de indignação e plantadores de ventos tem o dever moral de apresentar a solução, ou pelo menos tentar. Como já disse e repito, a única saída é diminuir o valor dos ingressos como um todo, esquecer o programa sócio-torcedor, a responsabilidade financeira e aí, já era amigos, a bagunça volta, e o pior é que, mesmo assim, não sei se seria viável, já que os cambistas é que lucrariam. Salvo se um dia o Flamengo tiver patrocínios tão gigantescos que poderá se dar ao luxo de renunciar à renda dos ingressos, além de assumir o prejuízo dos jogos deficitários na bilheteria. Só espero que ao menos a maioria da torcida não embarque nessa canoa furada. Quem o fizer, aviso de antemão, está aceitando ser manipulado por certa imprensa que acha que tudo é política, que qualquer evento da sociedade pode ser usado com objetivos ideológicos.

    • Daniel Silva

      Enquanto não tivermos um estádio próprio essa conversa pra tumultuar vai continuar…SRN CAio Sá

  • Rodrigo Martins

    Porra quando esses caras irão entender que o Flamengo paga 1.5 MM p jogar no Maracanã e na ilha paga aluguel … Esses caras criticam mais não tem solução p isso!! Essa porra não é caridade o priesidente ja explicou isso várias vezes ….. Se o Fla pegar a concessão do maraca , ele conseguira preços mais baratos .. No mais é só gente p criar tumulto !!

    • Ltom Macêdo

      E ai ilha só cabem 16 mil pessoas.

    • Wellington

      Por isso eu apoio a hipótese do Flamengo corre atrás de construir um estádio do mesmo tamanho ou maior que o Maracanã! Muitas empresas vão querer ser parceiras do Flamengo, vai aumentar o número de patrocinadores, sócio torcedor e no final de tudo vai ser uma grave fonte de renda para o clube!

  • Mayko Priscila Krakeker

    Quanto é o valor desses ingressos afinal?
    E como em 2013,chegandi a 800 reais?se for,de fato é um absurdo,porem e preciso entender as gratuidades e meia entradas no rio de janeiro ..mas tbm é contraditório pq creio não ser todo mundo q tem uma carteirinha falsa de estudante. Enfim,e uma conta q não fecha,aluguel estratosférico etc…queiram ou não,so vai poder ir aos jogos quem for St..falta ao flamengo fazer um sistema de milhagem tbm,pq jogar com a ilha vazia é uma vergonha..

  • JelloBiafra

    A verdade é que fui tudo uma mistura de descaramento com falta de planejamento, não do Flamengo, mas do Governo. O Brasil estava decolando rumo ao sucesso econômico quando começaram a planejar e construir as arenas, colocaram padrão de primeiro mundo nível europeu, mas na verdade não passava de encenação, só estavam escondendo os números desastrosos e o resultado foi esse, inflacionaram a infraestrutura do futebol, o Flamengo bota preços altíssimos nos ingressos no Maracanã e não lucra nem 300 mil num jogo com estádio lotado, fizeram arenas de primeiro mundo para torcedores de terceiro mundo.

  • Jonedson Da Silva

    É muito mimimi, primeiro que não ser sócio por 40,00 reais e o cúmulo do absurdo, você sendo sócio na Semi-Final, um clássico, estava 35,00 reais a meia entrada, um jogo de super apelo, hoje é uma final e está 80,00. Um filme que você vai ver em um final de semana, está na casa de 40,00 reais, a luta May-Mac estava na casa de 1.000,00 o mais barato, e você vem falar que 80,00 é caro? Sem contar que em São Paulo, um jogo tem 40.500 presentes e 40.000 pagantes, no rio a final vai ter 55.000 pagantes e pode ter 69.000 presentes. Porque ter Gratuidade em um espetáculo que não é nada educativo?

  • Roberto

    Ninguém reclamou quando a Geral foi extinta do Maracanã.
    Ninguém reclamou quando foram colocadas cadeiras individuais nas arquibancadas de cimento.
    Ninguém permite que se tirem a porra das cadeiras, pelo menos atrás dos gols.
    Não vi nenhum movimento nesse sentido …
    Agora é o Fla que tem que fazer caridade…
    Com todo o respeito, VTNC!!!!

  • Jhonny

    Para quem defende ingressos mais baratos tenho a seguintes perguntas primeiro que preço seria? Segundo Vasco, terceiro como fazer este ingresso chegar a população carente quarto quantos jogos mês está população carente vai?

    • Marlus Soares

      Já te respondi. Não gosto de exclusão. Os valores são abusivos, sim. Da mesma forma que antes era uma pouca-vergonha, com aqueles ex-presidentes fazendo caridade com o boné do flamengo, colocando preços de banana para chamar o público, mas a conta não fechava. Só que precisamos encontrar o meio-termo para o valor do ingresso e o acesso a pessoas que historicamente fizeram/fazem parte dos momentos do clube. Não seria demais, por exemplo, colocar naquele jogo contra o Palestino, com o flamengo classificado antes de entrar em campo, valores mais em conta em todos os setores ou ao menos em três dos quatro setores, deixando o “mais caro” para aquele setor da social. Eu, diferente de muitos e igual a poucos, posso pagar para ir de leste e oeste, 180, 150 mangos, contudo, se você parar para analisar é caro pra caramba, porque não pagamos apenas o ingresso, tem estacionamento/metrô/ônibus/táxi/uber, comida/bebida e quem vai de carro, morre no valor do estacionamento, tem que chegar cedo (como é feriado estará tranquilo), mas dia normal com esse horário indecente de 21:45 é estressante. Então, o ingresso é caro, mas sei que é a final, o momento, entretanto, em jogos na ilha o valor é alto, poderia ser menos e isso também é impulsionado pela imoral lei estadual da meia-entrada que estimula o que temos de melhor, a safadeza. Daí, com mais da metade das pessoas pagando meia, sobra um número irrisório de pessoas pagando inteira.

  • Valmir

    Peguemos o jogo contra o San Lorenzo como exemplo: o Flamengo teve que desembolsar R$2mi só para atuar no Maracanã, fazendo uma conta no papel de pão com um tíquete médio a 50 temers precisaria de 40000 pagantes só para pagar o estádio, isso sem contar com as taxas da Ferj, escoteiros, infra estrutura…
    Dá pra fazer? Dá! É só manter o nível dos jogadores como Christian Borja, Bruninho, Val, Mugni, Negueba, Valter Minhoca, Sambueza…
    A torcida vai ficar feliz pagando 50 conto pra ver esses perebas envergonhando o Manto.
    SRN

  • Gleu Costa

    Mais uma reportagem By ESPN+Mauro Cezar…
    O Flamengo junto ao Corinthians são times de massa por isso são os recordistas de transmissão em TV aberta. Acredito que isso é o mais inclusivo para todas as classes do que colocar meia dúzia de ingressos a preços populares. Sou sócio torcedor OFF-RIo pago o pacote mais em conta r$ 29,90 e com os descontos em produtos que tenho, esse valor quase se paga, logo não ser sócio não é desculpa.
    Mauro Cezar sempre querendo tumultuar o ambiente político do Fla, ele parece querer as gestões antigas. O canal coluna do Flamengo também está dando muita enfeze a este tipo de reportagem… Estão parecendo falsos rubro negros. SRN

  • Eduardo de Freitas

    Muito boa essa discussão, realmente o valor dos ingressos está abusivo e quando nós olhamos para o estádio vazio fica a certeza que tem alguma coisa errada, por outro lado o clube ainda está passando por um processo de reestruturação financeira e ao contrário do que muitos pensam o futebol é um negócio sim , porém não somente isso, é claro; Para termos bons jogadores, CT de qualidade e pagamentos em dia é preciso ter grana. Penso que o que está errado é o modus operandi dos jogos, cobrar um valor alto em jogos da 1ª liga e contra times fracos como o atlético -GO no brasileiro é pedir para ficar com o estádio vazio, é preciso sim valorizar o povão para que ao menos o mesmo tenha a vontade de voltar e de quem sabe se associar; há quem defenda que o Flamengo não deveria fazer caridade, mas valorizar a sua torcida não é fazer caridade e sim respeitar aqueles que sempre te apoiam, falta um pouco de bom senso a diretoria e uma melhor competência para criar alternativas ao torcedor menos favorecido, sem prejudicar é claro as finanças do clube.

    SRN #SomosTodosFlamengo

  • Thiago Covre

    No momento, considerando que não temos estádio próprio, o que facilitaria a inclusão de torcedores pobres por meio da construção de setores populares, o que a diretoria do flamengo pode fazer é aprovar um sócio torcedor popular nos moldes do que foi feito pelo Internacional de Porto Alegre, em que mediante prova da hipossuficiência financeira paga-se 10 reais por mês de mensalidade e 20 reais pelos ingressos que sobrarem. Assim, teremos mais torcedores incluídos e menos cadeiras vazias.. Por fim, nunca se esqueçam que a cota vultuosa que o flamengo recebe da televisão dá-se pela sua imensa torcida composta majoritariamente por pessoas das camadas sociais mais baixas, valor esse que supera em muito o arrecadado pelo programa do sócio-torcedor, então não vamos esquecer dos mesmos na hora do espetáculo. Seja pela história do clube, seja pela composição de sua torcida, seja pela lógica financeira, a implementação do plano sócio-torcedor popular faz-se absolutamente necessária.

    • Thiago

      Me diz uma coisa, se o cara nao tem dinheiro para pagar um plano de 30 reais, de onde ele tiraria dinheiro pra pagar um plano de 10 reais e 20 reais de ingresso ????? Isso sem falar que, 20 reais o ingresso, flamengo teria prejuizo, quanto maior o publico, mais o clube tem que pagar em manutenção do estadio, entendeu a conta ???

      • Thiago Covre

        aprenda a interpretar um texto, é tudo o que eu posso te dizer. abraços.

  • André Luis Maestri

    Acredito e espero que essa política de ingressos caros seja parte de um planejamento p/ dar um gás nas finanças e ajudar o FLA à se estruturar por completo. Espero, também, o FLA construindo o seu Estádio onde possa receber à Nação, todos, democraticamente à preços populares quase de Graça p/ compensar o afastamento dá Nação, nesses últimos anos, do Estádio! É, nisso, em que Eu acredito e estou c/ o Bandeira porquê vai chegar o momento em que o FLAMENGO voltará democraticamente p/ o colo dá NAÇÃO que é o seu ” VERDADEIRO PATRIMÔNIO “!
    André Luis Maestri
    SRN

    • Thiago

      INgresso de graça kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
      E o flamengo vai pagar os jogadores, funcionários, manutenção do estadio, taxa da FERj como ?????? roubando.
      Nao existe isso de ingresso quase de graça, se voce quer um time competitivo, tem que pagar um preço. Olha o PSG, pra poder vencer a Champions, Contratou o Neymar por um preço absurdo, vai comprar o Mbappe, e voce acha que eles colocam ingressos baratos ??? Nao, esses gastos com bons jogadores tem que tirar de algm lugar, seja aumentando o numero de ST, venda de ingressos que vao querer ver esses craques, títulos , patrocínios.
      Quer ir ao Estadio de boas, isso so será possivel o dia que o Governo parar de roubar voce via impostos.

      • André Luis Maestri

        Thiago, Eu, não quis dizer ingressos de Graça sem nenhuma contrapartida, me expressei mau, desculpa! E, sim, ingressos de Graça p/ quem for Sócio Torcedor. E, tendo, variações de plano p/ plano, tipo, quantidade de Jogos/Mês, entendeu?

  • tato

    Quanta baboseira! Quer dizer que pobre tem que ter desconto pra ver seu time só porque ama o time? Veja se um ingresso de Fórmula 1 é barato só pq o fã ama automobilismo!? Veja se videogames são baratos só pq os fãs podem não ter grana pra comprar tantos jogos!? Eu sou Flamengo e continuarei sendo, mermo sendo pobre, só pude ir ver uns 10 jogos do meu flamengo até hoje e não me incomoda o preço dos ingressos, mas sim a certeza de que no meu time, terão sempre os melhores jogadores que o dinheiro pode comprar nas Américas!
    Vai pra cima deles Mengooo

  • Enio Lucival

    Que besteira, pqp. Quem é pobre tem que se preocupar com o pão de cada dia e coisas mais importantes, por exemplo eu, não sou rico nem pobretão, mas também não gasto meu dinheiro indo ao estádio e pagando caro, entendam. A geral já acabou, o futebol hoje está mais caro, é só olhar quanto custou a contratação do Vinicius Jr pro Real Madrid.. Eu pude ver o meu mengão jogando 3 vezes e o preço não me incomodou, pois não fiquei de mimimi igual muitos torcedores estão ficando ultimamente. Querem Everton Ribeiro, Diego e Guerrero no time, mas não querem pagar caro ? Menos, Porra (Sem falar no CT e as inovações do Clube) Se querem ingresso mais baratos, reclamem e protestem contra o nosso governo careiro, por que é de lá que diretamente temos dificuldades em pagar certas coisas.

  • Consegui capitar a mensagem do texto.
    Já fomos piores e éramos mais acessíveis .
    Existe sim uma elitização de torcedores.
    Mas eu faço a minha parte não indo, pois também não tenho condições financeiras para tal. Porém; não sou feliz com isso, pois gostaria de ir mais vezes.
    Dizer que falastes besteira ou baboseira é no mínimo não aceitar a opinião alheia.
    Impressionante como pessoas defendem aumento de tarifas e cobranças abusivas, passando a impressão de que pra se ser honesto custa mais caro.
    Inacreditável.
    E nem vou comentar a comparação com Real Madrid / Europa.
    kkkkkkk
    Faça as contas: 20 mil torcedores no valor R$100 cada vs 80 mil no valor R$ 40 cada. 2 milhões vs 3,2 milhões.

    • Thiago

      E de onde o flamengo vai tirar dinheiro pra pagar jogadores, aluguel do estadio, manutenção do CT, funcionarios, taxas dos jogos a FERJ, se nao cobrar ingresso mais caro ??
      Se vc quer ingresso barato, simples, so vender metade do time e ter jogadores a nivel MA, GAbriel, Val, TOro, Willians, e por ai vai.

      • Faça as contas: 20 mil torcedores no valor R$100 cada vs 80 mil no valor R$ 40 cada. 2 milhões vs 3,2 milhões.

        • Thiago

          1) Nao existe no Brasil estádio de 80 mil de pessoas.
          2) Se o flamengo fosse construir um, precisaria de dinheiro pra pagar, logo teria que continuar com os preços altos.
          3) Mesmo depois de construído, os ingressos poderia ate reduzir, mas não muito, pois os CUSTOS de um estadio de 80 mil de pessoas é bem maior que pra um de 20 mil.
          4) E por fim, se o flamengo construisse um Estadio de 80 k de pessoas, teria no maximo uns 70 mil pagantes, graças ao governo e suas gratuidades, além de 10% da renda indo pra federação do RIo.

  • Gabriel81

    Estádio do Flamengo para atender todas as classes, deveria ter capacidade para 120 mil pessoas, sou contra estádio para 50/60 mil pessoas…

    Já imaginaram se tivéssemos 300 mil sócios, sendo 200 mil só no RJ e disputando 50 mil ingressos?

    E a frustração do torcedor que estaria pagando o sócio torcedor, mas na hora de utilizar-se do beneficio para assistir os jogos não conseguiria, pelo simples fato dos ingressos estarem esgotados?

    Estádio do Flamengo com capacidade máxima de 50 mil pessoas, é para fechar o caixão e largar o povão de vez !!

    • Thiago

      kkkkkkkkkkkkkkk ate parece que o flamengo vai lotar todos os jogos um estadio de 120 mil pessoas. Nem quando se colocava isso no antigo maracana, o flamengo NUNCA, JAMAIS teve um publico medio maior que 50 mil pessoas.

      • Gabriel81

        KKKKKKKKKKKKKKKK

        Sr. saco de estrumes, FLAMENGO JÁ CANSOU DE JOGA PARA 120 MIL PESSOAS, talvez um débil como você desconheça por ser apenas um torcedor virtual, e sem o mínimo de vontade de se informar sobre o tema…

        Público médio hoje seria muito mais fácil do que outrora, pois se quer precisaríamos sair de casa para adquirir ingressos, e ainda se preciso, faria isso e muitos também… e outra coisa, quando o Flamengo vinha bem na década de 80, o estádio lotava até contra os pequenos, não bosteje mais…

        VAI JOGAR PLAY 2 SACO DE FEZES !!!

        • Thiago

          A maior media de publico de um campeonato foi o flamengo na década de 80, precisamente em 1980 com média de 66507 pessoas por jogo, mas naquela época o Maracanã suportava um publico de mais de 100 mil pessoas, ou seja, sobravam mais de 40 mil lugares…. Então meu amigo, nao me venha com boboseiras, larga de ser ridículo.
          Voce acha que se o flamengo construisse um estadio de 80 mil pessoas (40 mil pessoas a menos que seu sonho utópico de 120 mil pessoas), voce acha que iria lotar todos os jogos ?? Pegando a maior media de publico que ja faz 37 anos, sobrariam pouco mais de 13 mil lugares. Isso sem falar que o custo de um estadio desse porte é maior, ainda tem as gratuidades, que sendo 80 mil pessoas, teria no máximo uns 70 mil pagantes, já que o resto é de gratuidades, ainda teriamos que pagar a taxa de míseros 10 % da renda pra FERJ (um abusrdo).

          É cada besteira que a gente tem que ler, estádio pra 120 mil pessoas kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk o flamengo tendo 100 mil sócios torcedores esta custando a encher um estadio de 18 mil pessoas, imagina um estadio de 120 mil pessoas kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk Uma coisa é uma final, outra coisa é manter isso o ano inteiro.

          E antes de vim falar que a culpa é do preço do ingresso, o custo da Ilha do urubu esta por volta de 400 mil reais, se cabe 18 mil pessoas, se vendesse ingresso médio a 30 reais, sobraria 140 mil reais pro flamengo, isso não paga se brincar o salario do Gabriel.

          • Gabriel81

            Takiparil, não é que o acéfalo foi no google pesquisar no wikipedia, para em seguida copiar e colar kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

            Média de público quando não tínhamos pontos de bilheterias espalhados pelo RJ, não tínhamos sócio torcedor, poder aquisitivo dos torcedores era bem menor, logística ruim, enfim… ainda assim a média era altíssima, MERECEMOS SIM UM ESTÁDIO DO TAMANHO DA NOSSA TORCIDA, mas para torcedores, não para um pela saco lesado de internet, que se quer conhece as dependências do Maracanã…

            QUANTOS ADIMPLENTES TEMOS HOJE, VC SABE CHORUME?

            Não me dei o trabalho de ler o resto, pois certamente são outras defecadas que o Sr. deu !!

          • Thiago

            Melhor pesquisar do que falar besteira que nem vc no puro achismo….
            “Média de público quando não tínhamos pontos de bilheterias espalhados pelo RJ, não tínhamos sócio torcedor, poder aquisitivo dos torcedores era bem menor, logística ruim, enfim..”
            A media de publico era grande justamente por que os estadios era de concreto puro, nao tinha cadeira, nenhuma infraestrutura, e os ingressos eram quase de graça. O poder aquisitivo das pessoas aumentou, mas os custos do estadio aumentaram, o salario dos jogadores aumentaram, nao sei se vc viu, capaz que nao, pois so fala no achismo, a torcida tava chorando pedindo ingressos mais baratos por que nao estavam dando conta de pagar um ingresso de 60 reais, pois nao tinham dinheiro pra pagar o plano mais barato do ST que é de 30 reais. O flamengo no ultimo jogo contra o AT-Go nao coloco nem 10 mil torcedores na ilha, e vc querendo estadio de 120 mil pessoas.
            Outra coisa, a media de publico dos estádios diminuíram, os times nao colocam mais de 40 mil torcedores de media nos Estádios, e nao é achismo, é só pesquisar, coisa que um otário como vc nao deve fazer ne.

            Certamente você quer um estadio de 120 mil pessoas, o ingresso seja de 10 reais, e se brincar, que o onibus seja de graça tambem, deem comida de graça, e ainda ver o MEssi e Cristiano ROnaldo no time ne. ???

            É um trouxa mesmo…..

  • FLA Comments

    Todo pobre sonha em ser…????
    RICO!
    #acertomizeravi

  • Julio Celso de Melo teixeira

    Também acho o Flamengo tem que ser projetado incluindo rico e pobre,o Flamengo não pode menosprezar a sua torcida pobre.