Efeito Rueda

Salve, Salve, Nação Mais Linda do Mundo!

Até que enfim! Ontem vencemos e jogamos bem, coisa que já não acontecia há muito tempo com nosso querido e amado Mengão! O jogo foi contra um adversário mais do que fraco mas conseguimos golear, fazendo o dever de casa e exorcizando o fantasma do ano passado. Nos bastou apenas colocar a bola no chão, tocar, fazer as infiltrações, as tabelas e jogar como a torcida merece!

Achei até estranho. Fiquei me perguntando ontem: onde está o meu Flamengo? Não vai ter sofrimento? Será fácil assim? É meus amigos, nosso ceticismo é tanto que às vezes sofremos mais do que deveríamos por amor ao clube. Paixão infinita é assim: bonita, gostosa, mas com uma sofrência que por muitas vezes beira o desagradável.

Dito isso, acredito que a partida mostrava-se perfeita para rodarmos a molecada. O Jayme perdeu essa oportunidade, não teve o timing necessário. Entendo o lado dele, mesmo não concordando com sua atitude. Como interino, se ele optasse pelos meninos e o Flamengo perdesse a classificação, ele levaria toda a culpa pelo fracasso. Então, pelo menos, deu oportunidade a dois rebentos nas substituições. Melhor que nada! Vinícius Júnior provou mais uma vez que é realmente diferenciado, pois entrou e incendiou a partida. Já Paquetá teve pouco tempo para apresentar alguma coisa.

Classifico a atuação do Flamengo ontem como boa. Não há como avaliar melhor o trabalho devido à extrema incapacidade do time do Palestino. Para serem horríveis, devem melhorar muito! Ontem foi um passeio do Mengão. Sem forçar, fizemos quatro no primeiro tempo e praticamente abdicamos do jogo no segundo tempo, tocando a bola de lado, deixando o tempo passar. Perfeito. É deste jeito que deveríamos fazer sempre que possível.

Analisando mais filosoficamente a equipe, pude notar um certo “Efeito Rueda” na forma de atuarmos noite passada. Além disso, observei que os jogadores atuaram mais leves, mais soltos. Também serve de motivação a volta da disputa por posições devido à chegada de um novo comandante. Todos querem cavar seu espaço e, mesmo subconscientemente, doam-se mais nos jogos e procuram mostrar seu melhor futebol.

O peso da figura do Zé Ricardo naturalmente deixará o ambiente mais competitivo e menos pesado. Jogadores que estavam na reserva ou que não tinham empatia com o antigo treinador, sendo literalmente excluídos em detrimento aos protegidos, mostrar-se-ão mais vivos e alertas motivados pela chegada de Rueda. Segundo Berrío, o “professor” é bom de grupo! Isso é fator primordial para que o trabalho flua e o elenco compre o plano de ação do comandante colombiano.

É isso! Vamos ver como será o desenrolar do futebol do C.R. Flamengo no restante da temporada. Uma coisa é certa: a torcida terá, mais uma vez, que ter muita paciência. Apesar de bom técnico e de ser um estudioso de futebol, Rueda precisará de um período de adaptação. E como futebol não é ciência exata, não temos como mensurar o tempo necessário para ele sentir-se confortável no ambiente nacional.. Apenas o tempo e o jeito de jogar da equipe nos mostrarão se o novo comandante já estará apto ou não. Aguardemos! Vai pra cima deles Mengo!!!

O Flamengo Simplesmente é!
Saudações Rubro-Negras a todos!!!

Fabio Monken

Gostou? Ótimo! Não gostou? Ótimo também!
Ninguém é o dono da verdade! Isso é fato!
Venha debater conosco suas idéias, mas faça-o educadamente, pois a falta de respeito e de educação são os combustíveis dos fracassados e de parca argumentação!
Sigam-me no twitter! – O microblog é perfeito para a troca de ideias.

32 Comentários
Carregando comentários...