100%! Nada mais interessa este mês

Ah, o famigerado mês de Julho. Muito bem, meus amigos Rubro Negros, o mês decisivo veio e nos atropelou. Vencemos contra os que tínhamos obrigação moral de vencer (SP, Palestino, Vasco e Coritiba), empatamos contra alguns que não deveríamos empatar (Cruzeiro, Palmeiras e Corinthians) e ainda perdemos dois jogos. Friso o número mais alto de derrotas dessa vez. O aproveitamento é de 55,55%. Muito pouco.

Com clareza, à medida que formos avançando na Copa do Brasil e Sulamericana as derrotas podem se tornar mais frequentes, o que não quer dizer que devam. Sermos derrotados num mata-mata é bastante factível, onde se tem um jogo dentro da casa do adversário empurrado por sua torcida e um em nossos domínios. Qualquer derrota por 2×1 fora, se transforma em classificação ao fazer 1×0 em casa. Mas é claro que devemos jogar para ganhar sempre!

Fizemos 16 gols e levamos 12. Destaque para o número alto de gols que tomamos e o jogo contra o Santos é bem o fiel da balança. Não se pode tomar tantos gols num jogo como aquele em que a classificação estava em jogo. Me parece bem claro que Thiago tem deficiência em bolas enfiadas em que ele tenha que sair do gol para abafar e Muralha pelo alto. Diego Alves chegou e levou um gol defensável, mas está fora de ritmo e hoje se apresentará muito melhor do que domingo. Ritmo é essencial.

Os artilheiros do mês são Guerrero e Berrío com três gols cada, Everton Ribeiro vem logo atrás com dois, mas é o assistente do mês com três. Everton com dois gols e duas assistências merece a menção nos quesitos. Nota-se que, para um time que cruza muitas bolas, apenas um gol partiu de um cruzamento de lateral. Algo está muito errado nestes treinamentos. Foram 12 cartões amarelos, dois para Guerrero, Mancuello e Baidu. O Peruano inclusive já ficou fora de partida pelo terceiro cartão. Precisa melhorar no quesito. Fez falta no jogo contra o Grêmio.

A base foi utilizada neste mês em sete jogos, excetuando Thiago, embora por pouquíssimos minutos. Vizeu 32, Sávio 58, Vinícius 31, Léo Duarte 48 e Paquetá 19. Thiago se tornou titular no mês anterior e chegou a fazer 7 jogos. Estranhamente perdeu o posto nos últimos dois jogos. Temos falado há algum tempo, é preciso ter planejamento para lançar a base. Ficar esperando Rhodolfo se lesionar para lançar o menino Léo Duarte que só havia feito um jogo completo no ano é o cúmulo da perversão. Só chamando assim alguém que espera para lançar um jovem zagueiro que nunca joga contra o Vasco em São Januário. Resultado da inocência? Lesão.

Agora vem o mês de agosto. Este mês sairemos de casa apenas em duas ocasiões das 9, eu disse nove, partidas que faremos. Vou-lhes ser extremamente franco. Para mim o campeonato brasileiro acabou domingo. A manutenção da vantagem do Corinthians em relação ao Flamengo é um banho de água fria. Quer dizer que temos que jogar a toalha? Não! Mas quer dizer que temos quatro campeonatos ainda, em três deles o clube tem reais chances de ser campeão e tem que priorizá-los. Vamos jogar o brasileiro e ver o que acontece, porque prever o resultado ultimamente tem sido difícil.

“Mas logo você, otimista. Está desistindo”? Eu nunca desisto do Flamengo, mas preciso ser o máximo analítico, sobretudo nesta coluna em que tratamos de resultados. Ficamos muito atrás no nosso planejamento de pontos e os paulistas estão muito à frente do planejamento deles. Minha solução é rodar o elenco, que temos bem farto, e ver o que acontece. Se você já me acompanha há algum tempo, sabe que rodar o elenco para mim não é jogar com o time reserva, mas com no máximo três jogadores “não-titulares”.

Vamos analisar por competição para entender a lista de prioridades este mês e facilitar. Teremos dois duelos contra o Botafogo no Rio e estas partidas seriam o topo das prioridades no mês. A última partida contra o Botafogo foi um 0x0 pobre na Ilha do Urubu. Não é possível que isso aconteça. Temos melhor time e precisamos demonstrar isso em campo com força. Me lembro da goleada em 2013 também na Copa do Brasil, outra, vai levantar o moral para uma final. Não podemos nem pensar em não classificar.

Segunda em nossa lista de prioridades seria o brasileirão. Santos hoje e Atlético Mineiro são os jogos fora de casa e justamente aqueles que mais precisamos nos esforçar para vencer. O Galo está em má fase, enquanto o Santos está se reestruturando com Levir. Os outros jogos são em casa e contra times lá de baixo e a obrigação é vencer. O duelo contra o Atlético Mineiro é o que mais preocupa, pois antecede a primeira partida contra o Botafogo na CB. Conca está sendo preparado para o jogo contra o Palestino que é na quarta anterior, se for bem deveria ser aproveitado contra o Galo, assim como pensar no aproveitamento de Thiago para criar ritmo para a seminifinal. Temos que estar cientes da recuperação de Rhodolfo e Geuvânio para poder planejar direito. Ambos não jogam a copa do Brasil. Noutro momento o Mais querido poderia perder para Santos e Galo, mas se ainda quiser alguma coisa no campeonato é preciso vencer. 100% de aproveitamento no campeonato brasileiro é o que se espera. Inverossímil.

A terceira na nossa lista é a Sulamericana. Me explico: os 5×2 nos deu uma vantagem absurda e eu entraria com poucas mudanças no time titular. Diego Alves é o nosso goleiro com a defesa com Juan e Réver mesmo. Trauco e Pará, que já não vivem grande fase poderiam ser poupados, ou perderiam vaga. Na volância entraria com Mancuello que precisa jogar. E meu atacante pela esquerda seria o Vinícius. “São muitas mudanças, Anderson”. Se você considerar que Diego, Rodinei e Renê ganham a vaga naturalmente será apenas mudanças necessárias. Acho que Pará e Trauco estão a frente dos atuais reservas, mas vivem má fase e cobramos meritocracia. Simples assim.

Por último a Primeira liga. Como já falei no programa Papo de Boteco, a organização da competição não quis valorizá-la. É uma competição que tinha tudo para ser maravilhosa, mas não é. Então com pouca cerimônia afirmo: Time reserva. E olha que poderemos passar bem fácil do poderoso Paraná, e já nem sei se isso será bom ou ruim. Ah, só para não dizer que eu esqueci de mencionar, mas teremos datas Fifa este mês. Cuéllar, Berrío, Guerrero e Trauco devem/podem desfalcar o Flamengo nos jogos finais da primeira liga.

Não sei se ficou claro, mas basicamente propus uma sequência de oito jogos de vitória. E você? O que acha disto? Vamos prosear.

Anderson Alves, O otimista.

43 Comentários
Carregando comentários...