Home Colunas Variações táticas, técnicas e essenciais!

Variações táticas, técnicas e essenciais!

1326
83
SHARE

Mais um empate. O sétimo em 17 jogos. Resultado que mantém o Flamengo à 12 pontos da liderança e no 5º lugar do campeonato. As variações possíveis no time não aparecem na tabela.

Não vou chover no molhado de falar em Zé Ricardo e Márcio Araújo, todos que acompanham minhas colunas sabem qual é a minha opinião. E nosso presidente fez questão de dizer que ZR é o treinador até o final do ano, então…

Vou falar sobre o que ficou de bom do segundo tempo do jogo de ontem, sim apenas do segundo tempo, já que o primeiro, foi mais uma vez apático, desorganizado e sem criatividade.

Só não tivemos prejuízo maior graças ao erro clamoroso do bandeira que anulou um gol legítimo de Jô. E mais uma vez tomamos um gol de bola enfiada nas costas de nossos zagueiros e laterais, erro clássico de falha de posicionamento.

ZR pressionado pela vitória, e até pela manutenção do seu cargo, ontem mexeu no time no segundo tempo da partida. Entrou com Arão no lugar de Cuéllar, mantendo Márcio Araújo (?!) E depois trocou Trauco por Berrío, recuando Everton para a lateral.

A partir daí o Flamengo foi soberano no jogo, começou a rodar a bola, fazer triangulações, e por pouco não saiu com a vitória, muito pela grande partida de Cassio e palavras sorte que tem acompanhado o time de Carille.

Ficou a esperança de variação desse time. ZR tem muitas peças interessantes, mas utiliza as mesmas peças com frequência (algumas até demais) e pouca variação.  Ontem ele variou, deslocando Everton para a lateral e com a entrada de Berrío e Vinicius Jr, ganhou opções para jogos contra times bem fechados.

Com o elenco atual do Flamengo, é possível testar diversas variações. Diego pode fazer a função do 10, como a de um segundo volante. Everton pode fazer a ponta, a ala e a lateral. Everton Ribeiro pode jogar flutuando, não apenas preso à ponta direita. Berrío pode fazer a ponta e fazer um ala, dependendo do esquema.

O esquema também não pode ser engessado, utilizar um 4-1-4-1 é factível e interessante, assim como dependendo do adversário a utilização de 3 zagueiros com Berrío e Everton de alas, surge como uma oportunidade de ter volantes que saiam mais para o jogo, e centralizar Everton Ribeiro e Diego juntos para jogar de forma mais vertical.

Arão entrou bem ontem, por que não testá-lo ao lado de Cuéllar?  E Vinicius Jr, que tem uma característica incomum no elenco rubro-negro de drible curto e progressão em velocidade, pode ser utilizado como segundo atacante tabelando com Guerrero.

O fato é que a polivalência e qualidade técnica do elenco dão a possibilidade de variação e de inovação, fugindo do ponto comum e surpreendendo o adversário.

Muitas possibilidades. Muitos nomes. Elenco qualificado. Mas… enquanto insistirmos nas mesmas peças dificilmente vamos conseguir grandes coisas esse ano. As variações são possíveis e essenciais!

Porém, o ano ainda não acabou. O presidente já bateu o martelo que ZR fica, então não adianta fazer campanha contra a manutenção do treinador e principalmente contra suas escolhas,  a esperança é a de que o mesmo evolua, aprenda com os erros, e enfim transforme esse Flamengo na máquina que tem potencial para ser.

SRN!

Jerônimo Simeão Júnior

#ColunaDoJJ

Concorda ou Discorda? Comente, cornete e se gostar Divulgue! Ah! e se quiser saber mais sobre o Mengão segue lá no Twitter ! É Mengão 24 horas por dia!

Comentarios

comentário