Home Colunas Território hostil…

Território hostil…

565
5
SHARE
Foto: Globo Esporte

Gostaria de começar ressaltando a qualidade técnica do Clube de Regatas Vasco da Gama, que segundo seus torcedores, nunca perdeu uma partida se quer por causa de inferioridade técnica ou falhas de seu sistema defensivo; todas as derrotas em sua história tiveram influência da arbitragem e um time com tamanho feito deve ser aplaudido (risos).

Gostaria até de me aprofundar mais no que foi a partida do último sábado, mas é difícil falar de uma partida tão fraca em qualidade principalmente tática e com os incidentes após o jogo, ponto alto do jogo apenas Éverton Ribeiro.

Brincadeiras a parte (primeiro parágrafo), não sou do tipo clubista que diz que os rivais são times pequenos e o meu é o incomparável, reconheço a grandeza de muitos times e isso torna a rivalidade o melhor do futebol; todas as vezes que eu usar qualquer sinônimo de torcedor, eu não estarei me referindo a bandidos como aqueles em São Januário, e acredito que nenhum real torcedor ou dirigente, de qualquer clube, considera vândalos como aqueles o seu maior patrimônio, que é e sempre será sua torcida! Independente de qualquer clube, seja ele qual for, é maior que aquilo, o Vasco sim, é maior que aquelas cenas repugnantes.

Muitas piadas sadias de torcida são feitas entre amigos e milhares de vezes eu tive que escutar piadas (a meu ver sem sentido) sobre não ter estádio, acho que é algo em comum a todos nós, eles sempre dizem isso, só daí a gente percebe o valor que eles lá dão ao que chamam de casa, não seriam verdadeiramente eles a destruir tal “patrimônio”.

Um resumo do jogo: Partida fraca de duas equipes que conseguiram criar muito pouco coletivamente; Éverton Ribeiro dá chapéu; poucas oportunidades para ambos os lados; Éverton Ribeiro da um corte girando o corpo no zagueiro; Vasco reclama de pênalti e do gol anulado; Éverton Ribeiro da assistência; eu já citei a partida absurda do Éverton Ribeiro?

Antes de encerrar minha análise, gostaria de citar os dois lances reclamados pelos cruzmaltinos, o lance do gol anulado é até menos polêmico, uma falta anterior no lance que a meu ver foi bem marcada e até pouco discutível; no lance do pênalti, muitos reclamaram de uma bola na mão dentro da área, não quero discutir tanto isso, principalmente por ser um assunto levantado por pessoas que não fizeram o mesmo alvoroço quando houve um pênalti para o Vasco quando a bola resvalou na barriga do jogador do Flamengo há poucos meses.

Éverton Ribeiro.

Gostaria de terminar o texto dessa forma, sugerindo a vocês que vire para o coleguinha vascaíno ao lado, seja no trabalho, na escola, na faculdade, onde for, vire para seu amigo e diga apenas “Éverton Ribeiro”.

#ChoraNenê  #DaaChupetaProNenêNãoChorar

Nick Marques

Siga também no Twitter: @TheNickMarques

Comentarios

comentário

  • Nick Sousa

    Esse jogo só serviu para descobrirmos porque do apelido “Nenê”.

  • Luiz Henrique Amorim

    Luis Fabiano era pra ter sido expulso no lance da falta no Leo Duarte. Já tinha amarelo e a falta foi muito pesada. Álias, como é violento esse LF.

    O Nenê chorão também deveria ser expulso. Já tinha amarelo e puxou o Rodinei com as 2 mãos numa puxada de contra ataque.

    E os vascaínos ainda querem falar de arbitragem…

    Que fase!!!!

  • Sequencia

    Já que tem muito vascaíno que entra aqui no site, vou postar um comentário para eles:

    Éverton Ribeiro realmente colocou a mão,mas foi fora da área, mais um pouco deveria ser pênalti mesmo, mas a regra é clara. (aliás, esqueçam o que eu falei…não bateu na mão dele, bateu na costela).

    Nenê pelo agarrão e Luís Fabiano pelo carrinho criminoso deveriam ter sido expulsos.

    Welligton e Paulão também tiveram carta branca para meter porrada, não foi à toa que nossos jogadores saíram lesionados. E antes de criticar Guerrero por ficar de cabeça quente e tomar cartão amarelo, como você reagiria com zagueiros de batendo desde início do jogo e o árbitro sendo caseiro?

  • ROBERTO

    Falou pouco mas falou bosta ! /+/

    • Nick Marques

      Éverton Ribeiro