O mês da afirmação: Julho pode nos colocar no céu ou no inferno!

Junho já ficou para trás e como de costume, a nossa coluna mensal sobre os objetivos alcançados e os próximos desafios. Assim como em maio, fizemos exatamente 8 jogos. Ganhamos 4, empatamos 3 e perdemos 1. Aproveitamento de 57,14% no brasileiro, e 62,50 no mês, mesma marca do mês anterior. Não ideal, diga-se de passagem. Fizemos 13 gols e tomamos 6. Guerrero e Damião com três cada um, são os destaques (Nem assim Damião entra nos destaques. Foi contabilizado um gol para o jogador erroneamente e corrigido pelo Rubro-negro). Ênfase para o peruano que também deu três assistências. Aliás, é bom ressaltar que os laterais não assistiram neste mês. Rodinei foi contado para efeito de estatística, mas o passe que deu foi um toque para o lado em que Trauco acertou um chutaço de fora da área.
Levamos 19 cartões amarelos. O número é altíssimo. Juan conseguiu a façanha de levar três e desfalcar o time numa rodada só este mês, o que evidencia a necessidade de reforçar o lado esquerdo que gerou cartões ao melhor zagueiro do elenco, seja com Trauco, seja com Renê. Leia-se, melhorar a marcação no setor, não é igual a manutenção de Baidu. A base foi aproveitada em 8 jogos. Sávio em 1 (57min), Vinícius Jr em todos (299min), Vizeu em 3 (43min).
Será necessária muita atenção com Guerrero e Diego que vem jogando sem descanso a seis partidas, tendo entrado pouco mais de 90 minutos nas duas partidas anteriores e vindo de lesão. O peruano teve descanso de apenas uma partida, já que jogou pela seleção. Este mês continuaremos a maratona e todo o cuidado é pouco. Lembremos do número mágico de 7 jogos no mês. Que bom que a dupla não vai a campo hoje. Parece que estão observando o critério.
Mas vamos ao mês de Julho. Como ficamos devendo pontos no mês anterior, teremos que buscá-los este mês. E foi uma tragédia perder pontos preciosos, já que os próximos adversários são os mais difíceis. Dos oito jogos que faremos, cinco serão no Rio de Janeiro, visto que teremos um clássico. O mês se iniciou com o jogo contra o claudicante São Paulo em casa. Vencemos como era o nosso dever. Depois faremos o clássico em São Januário. Um empate seria aceitável noutras condições, mas devido à necessidade, só a vitória interessa. Fechamos a sequência contra o Grêmio e o resultado deste jogo vai determinar o que vamos buscar nas outras partidas. Com franqueza, é uma partida em casa (obrigado, Gustavo), contra o time que apresenta o melhor futebol jogado até aqui. Não quer dizer que eu queira perder, mas não será um resultado para rasgar as vestes.
Depois desse jogo pegaremos o Cruzeiro que tem se mostrado um time inconstante até aqui, mas é fora de casa. Como disse, o resultado do jogo anterior vai ditar o que precisaremos contra eles. O melhor cenário é empatar contra Grêmio e vencer o Cruzeiro. Aí então, dois jogos em casa contra Palmeiras e Coritiba. Não há muito o que dizer. Precisamos fazer valer o mando de campo e vencer os dois aproveitando os 100% da Arena da Ilha. A última partida do brasileirão neste mês é contra o líder fora de casa. Tem que jogar para vencer sempre, mas, de novo, não há motivo para crise se perdermos, empatar seria bom até. O empate é uma praga porque faz com que percamos dois pontos, ao mesmo tempo, faz com que um adversário perigoso perca dois pontos também. Se o Flamengo quer brigar pelo título, um dos dois jogos têm que ser vitória: Grêmio ou Corinthians. Se possível os dois.
O nosso maior problema foi perder pontos para Galo, Sport e Avaí. Temos que recuperar 7 pontos e a melhor oportunidade é fazendo pontos contra os líderes que vamos enfrentar este mês. Interromper a série de pontos que eles têm feito e lucrar em cima. O cenário ideal é também o mais irreal. Teríamos que engatar uma incrível sequência de vitórias. Os seis jogos do mês com vitórias nos levariam a ganhar uma gordura no campeonato, mas também a nos equiparar com os líderes.
Sim, para o planejamento do brasileirão estou usando a classificação planejada do @ricaperrone. Lógico que faço algum adendo, mas a vejo como muito razoável e simples. Ao final do campeonato temos que fazer 77 pontos. Mudo uma vitória aqui e uma derrota ali para adequar ao momento do futebol brasileiro. Exemplo: É mais fácil vencer do Cruzeiro do que do Grêmio, ao contrário do que ele planejou. E vamos em busca do caneco.
Não podemos esquecer que enfrentaremos o Palestino no Chile pela Sulamericana e temos que ir com força total e responder à eliminação do ano passado. O importante é seguir na competição para vencê-la. Rodar o elenco vai ser vital, visto que já estamos em maratona desde Maio. Mas não era nesta competição que deveríamos fazê-lo e o ano passado deveria ter ensinado isso.

E você? O que acha que o Flamengo deve priorizar em Julho? Bora bater aquele papo.

Anderson Alves, O otimista.

58 Comentários
Carregando comentários...