Home Destaque “O futuro do futebol é o sócio torcedor”, afirma Rodrigo Ferreira

“O futuro do futebol é o sócio torcedor”, afirma Rodrigo Ferreira

1301
9
SHARE
Para Réver torcida e Ilha do Urubu são fundamentais na caça ao Corinthians

No Resenha desta terça-feira, o assunto em debate foi o perfil do torcedor rubro-negro. Com o aumento no preço de ingressos, uma parcela da torcida não encontra condições de ir toda semana ao estádio. O tema ficou mais evidente depois que a foto do Sr. Expedito “viralizou” na internet (confira a matéria exclusiva da TV Coluna do Flamengo com o personagem).

No programa, o comentarista Rodrigo Ferreira disse concordar com aqueles que reclamam do preço da entrada, que tem chegado, em alguns casos, a R$200,00. O problema, segundo o comentarista está na relação clube-Governo. O Estado do Rio de Janeiro tem diversas leis que garantem gratuidade para idosos, menores de 12 anos e pessoas com deficiência. Já estudantes e menores de 21 anos, com documentação, pagam meia-entrada.

“Não dá para conceber isso, um torcedor comum pagar R$200 para assistir a um jogo de futebol. A verdade é: o Governo do Rio de Janeiro faz caridade com o dinheiro dos outros. A meia-entrada só sai do bolso da iniciativa privada, no caso, o Flamengo. Não tem para onde o Flamengo fugir. Quantas pessoas falsificam carteiras para receber meia-entrada? Quantas pessoas armam falcatruas para fazer isso? Entendo quem reclama. Realmente R$200 é muito, para quem não é estudante e não pode arcar com o sócio torcedor”.

Por isso, para o comentarista, o caminho é investir mais no sócio torcedor. “O futuro do esporte, do futebol é o sócio torcedor. O clube, infelizmente não tem para onde correr”, finalizou.

Lembrando que o Resenha acontece todos os dias, ao vivo, às 20h, no nosso Canal do YouTube.

E você? Concorda com o Rodrigo? Quais os caminhos para melhorar esta situação?

Comentarios

comentário

  • marcondes Alves

    o futuro do futebol e jogar pra 10 mil pessoas, to até vendo estadios parecendo ginasios.

    • André N Lessa

      Marcondes,

      Esse poderia ser um tema de uma discussão interessante.

      Eu vejo que futuro do futebol será para 35k pessoas com 99% sendo sócios torcedores.

      SRN

      • marcondes Alves

        o futebol deixou de ser popular a muito tempo, daqui alguns anos vai ser igual corrida de cavalo, so rico assistindo, vai ser como no começo, diversão de rico e esta voltando.

  • marcondes Alves

    todo mundo sabe que a lei de meia entrada e uma farsa, a entra custa 60 reais e dobram o valor pra 120 e meia 60, isso não e desculpa, agora a de gratuidade o flamengo deveria cobrar do governo essas entrada, como em brasilia o estudante não paga passagem mas o governo repassa para as empresas de onibus. sou a favor do socio torcedor ter pelo menos um jogo “gratuito” sem ter que pagar nada.

  • BVZ (VJ será maior que Pelé)

    A média do valor dos ingressos contra a Chapecoense foi 57 reais. Dos pagantes, somente 167 pagaram valor cheio. Os demais 14 mil pagaram ou ST, ou estudante, ou meia, ou os dois, levando a média a 57 reais (fonte: PVC)

    Isso é marketing, e serve tanto para mandar mensagem que não precisa do Maracanã, que seria bom tê-lo, mas não depende dele, como também serve para influenciar na subida de planos. Porque quem pagar planos maiores vai ter mais vantagens e vai pagar mais barato sempre. E influencia também no aumento de STs. E no final, somente 167 pagaram valor cheio. Mas os debates sempre giram em torno do maior valor possível. É que nem curso de informática galera, sempre falam um valor maior e na hora negociam com 40% de desconto (para todos). É marketing, na prática pagaram em média 57 reais. Agora se quiserem pagar em média aí 30 conto…20…chama lá o Val Baiano e o Cléber Santana de volta e todo mundo paga trintão ou vintão pra assistir.

    • Douglas Pedro

      Eu paguei 70 domingo contra o spfc

    • Yuri

      Exatamente o que penso! Os preços assustam mas no final ninguém paga o preço cheio, sempre tem meia entrada.

      Comprei o pacote dos três jogos, cada jogo saiu a 35 reais, mas tenho o sócio torcedor que da maior prioridade

  • Junior

    Sobre o valor do ingresso eu acredito que para o ST deva ser diferente, podendo acabar com meia da meia, o ST pagará um valor fixo no ingresso em todos os jogos, mesmo os que tenham grande apelo e seja o dobro do valor, assim forçaria muitos torcedores aderirem ao ST.
    O que tem que ocorrer é que o flamengo tinha que ter um setor popular com ingresso entre 30 e 20 reais, sem direito a meia entrada e só podendo comprar um ingresso por CPF, infelizmente a ilha não permite isso, pois o espaço é bem menor que o maracanã.
    Acredito que um ingresso na faixa de 40 reais ficaria de bom tamanho para a torcida.
    Sei que uma grande camada da nossa torcida é de pessoas com dificuldades financeiras, mais na ilha fica quase inviável ingresso a 10 reais.
    O flamengo está fazendo um estudo para que todas as camadas de torcedores possam ir ao estádio.

    SRN
    JUNIOR

  • Carlos

    A tendencia é que só torcedores que possam pagar ingressos relativamente caros possam ir aos estádios no futuro. Se somos 40 milhões de torcedores do Flamengo, é mais do que claro que a grande maioria destes torcedores, espalhados pelo Brasil, nunca viram e nunca verão um jogo do Mengão em um estádio.
    Mas o time tem que ter um programa de sócio torcedor que contemple a manutenção dessa massa com outros benefícios. É essa massa que dá audiência na TV, que compra camisas e outros produtos com a marca do clube. É assim que Real Madrid, Barcelona, Manchester e outros arrecadam muito dinheiro e se mantém fortes e conquistam muitos títulos, angariando assim, novos torcedores.