Habemus goleiro, Flamengo?

Caros Rubro Negros,

Nesses mais de 100 anos de existência, o apaixonante esporte bretão conhecido como futebol certamente arregimentou milhões de fãs e, consequentemente “especialistas”. Muitos clichês foram criados para tentar explicar um pouco sobre as coisas que acontecem nesse esporte: dos mais batidos como “o futebol é uma caixinha de surpresas” até os que, mesmo sendo verdade, irritam como o tal “tem que fechar a casinha” e “o jogo só termina quando se escuta o apito final“. Tem para todo gosto e todo uso. E hoje eu gostaria de invocar um que que considero realmente especial e tem muita relação com o momento atual do Flamengo : “Todo grande time começa por um grande goleiro”.

Não costumo ser adepto de premissas tão absolutas. Certamente existiram grandes times cuja figura dos goleiros estava abaixo desse grau de exigência. Todavia, acredito que como princípio geral, tal afirmação faça muito sentido. E partindo desse pressuposto, acho que temos um grande problema nesse quesito. E não é de hoje.

Desde a saída conturbadíssima do goleiro Bruno, não tivemos alguém que de fato nos desse tranquilidade e confiança na meta rubro-negra. Alguns podem lembrar do Felipe, e até acho que ele foi o que passou mais perto disso, mas ainda assim alternava demais entre bons e maus momentos.

Depois da saída do Felipe (por conta, em especial, do péssimo relacionamento dele com o novamente recém-contratado Luxa, em mais um capítulo do triturador de técnicos que era o Flamengo), Paulo Victor assumiu o manto e o lugar que já foi de grandes goleiros como Julio César e Raul Plassmann. E foi bem. Foi muito bem ali pelo segundo semestre de 2014. Parecia que o gol teria um dono que de fato resolveria nosso problema. Parecia…

Em 2015, depois de uma lesão do PV (muito lembrada por conta daquele episódio tragicômico do carrinho de mão), o jovem César (hoje também no clube) foi para nossa meta. Entre atuações boas e outras nem tanto, o jovem goleiro no qual muitos depositavam grande esperança não conseguiu passar a tal confiança que tanto precisamos ter no guarda metas. Tanto que apressaram a volta do PV ao time, o que foi um grande erro, por sinal. Terminamos o ano de 2015 com a torcida absolutamente ressabiada com o dono da camisa 1 do nosso time.

Em 2016 houve muita discussão sobre o assunto. Logo no início do ano foi ventilada e concretizada a contratação do goleiro Alex Muralha, que tinha realizado um bom campeonato pelo Figueirense. A especulação foi de que o valor pago pelo Fla girou em torno de R$ 4 milhões de reais pelo jogador. Me lembro que a primeira atuação dele foi em um jogo amistoso e o primeiro gol sofrido por ele com a camisa do Fla foi um frango. Totalmente aceitável naquele momento, por sinal. Pré temporada e tal. Ok. (Pensando hoje, seria esse um prenúncio do que estava por vir?) O fato é que a desconfiança e a insatisfação com PV era cada vez maior. Seja por falhas, por declarações infelizes e pelo desespero da torcida de não ter um goleiro confiável. Cada vez mais o clamor pela efetivação do Muralha como titular soava alto (por sinal, isso é um fenômeno comum no Flamengo. Quanto mais ranço a torcida pega de um jogador mais o seu possível substituto cai nas graças da galera, mesmo que ele não tenha mostrado quase nada). Eis que a “titularização” do Muralha veio durante a temporada, por uma lesão simples ocorrida com o PV. E de fato, o camarada entrou bem no Fla. Um erro aqui ou outro ali. Normal. Mas, no geral, atuações seguras que inclusive o levaram a ser convocado pelo técnico Tite para a seleção. Somando isso a pior e mais patética atuação individual que eu vi na vida de um goleiro profissional, protagonizada pelo PV no malfadado jogo pela Sul-americana contra o Figueirense, a posição de Alex Muralha como goleiro titular do Mais Querido estava consolidada. Apesar de uma sensível queda técnica no “Zangief da Gávea”, parecia que finalmente a meta do Fla teria um vigia confiável. Parecia…

Em 2017, o que era uma sensível queda se transformou em um autêntico desabamento de proporções épicas. Pequenas falhas foram se sucedendo. Se transformaram em grandes falhas. Era nítida a falta de confiança e a queda técnica. Muralha chegou a uma situação tal que não tinha mais a menor condição de ser titular no nosso gol, pelo menos naquele momento. E eis que entra o jovem goleiro Thiago, que assim como César alguns anos antes, assumiu a responsabilidade para com a meta rubro-negra. E, até o momento, também não conseguiu aplacar a preocupação da torcida com o arco flamenguista.

Em que pese ainda ser precipitado avaliarmos o jovem Thiago. Em que pese a possibilidade o Muralha voltar e ter atuações ao menos próximas das boas atuações que já vimos ele ter. Em que pese até mesmo que o César possa ser testado. Até mesmo PV, que está à disposição do Fla novamente e tem seu nome lembrado por alguns. A verdade é que no presente momento não temos confiança alguma em qualquer um deles. Eu digo a confiança de termos um grande goleiro. Firme. Que passe tranquilidade e segurança. Estamos entrando em uma fase muito aguda do ano. Qualquer falha individual pode ser fatal para as pretensões do Flamengo ainda em 2017. Acredito que Flamengo tem que ir ao mercado atrás de um novo goleiro. E isso é mais difícil do que parece. Não podemos correr o risco de errar de novo. Não podemos correr o risco de trazer mais um goleiro “nota 7” que corre o risco de ter fases boas e fases tenebrosas. Já se falou em Sidão. Em Walter. Em Marcelo Lomba. Em Danilo Fernandes. Em Neto. Em Diego Alves. As especulações são tantas e tão sortidas que até lembram remotamente tempos idos do Flamengo, em que parecia que todo mundo era cotado para jogar no Fla. Tamanha é a desconfiança que até o preparador de goleiros já sofre críticas por parte da torcida.

Não faço a menor ideia de quem deveria vir, quem poderia vir ou mesmo o quanto o Flamengo estaria disposto a gastar nisso. Mas o fato indiscutível é que desde 2010 não temos uma autêntica solução pro gol Rubro Negro. Alguém a quem sejam entregues as luvas, a camisa 1 e possamos enfim voltar todos os nossos pensarmos exclusivamente nos jogadores de linha. E isso é necessário. Afinal, em geral, “Todo grande time começa por um grande goleiro”. Certo?

Opine, elogie, critique…Participe!! E se você ainda não é Sócio Torcedor…faça o seu imediatamente!!! O seu maior benefício é ver um Flamengo cada vez mais forte!!

Pixotada: Palestino 2×5 Flamengo. Pense um jogo casados x solteiros. Ou ainda, uma pelada entre repartições: Contabilidade x Vendas. Ou ainda pior: Jogo de criança. Pois nessa pelada de 5ª categoria tivemos elementos de todos esses tipos de futebol amador. Foi taticamente horrível. Lances bisonhos. Momentos dignos de videocassetadas. Se o adversário é mais qualificado acredito que teríamos problemas se tivéssemos o mesmo nível de atuação . Mesmo considerando que se tratava de um time reserva… foi dureza. Valeu pelo excelente resultado. ( Como disse um amigo: estamos em uma fase ótima mesmo: reclamando do time depois de uma goleada de 5×2… hehehe )

Pixotada: Arão. Então…onde foi parar o futebol do Arão? Muito mal no time titular. Muito mal no time reserva. Tem que melhorar muito…

Golaço: Everton Ribeiro. Contratação excelente. Mesmo ainda não estando totalmente entrosado mostra muita qualidade. Será cada vez mais útil ao time. Grande jogador.

Pensamento: Escrevendo essa coluna me veio o seguinte pensamento: Note como o futebol é um tanto injusto quando paramos para pensar nisso: Via de regra, no futebol “nível A” atacantes e meias ofensivos são mais valorizados do que zagueiros e goleiros. Ok. Numa análise superficial, de fato são eles que fazem o jogo correr. São as estrelas. No entanto, muitas vezes um atacante erra uma, duas, três vezes na mesma partida. Acerta uma. Vira herói. Agora…qual o goleiro que cometeu 2 ou 3 erros na mesma partida e ainda assim saiu ovacionado daquele certame? Difícil.

Seção Gato Mestre: Vasco 1×3 Flamengo. Mesmo jogando naquela pocilga tenho convicção da vitória. Temos que igualar na vontade, pois técnica e taticamente somos muito melhores. E a posição deles na tabela não me engana: Vão brigar lá embaixo na tabela. Todo cuidado com o Nenê e o Luis Fabiano.

Luiz Henrique Amorim
contato@colunadoflamengo.com

48 Comentários
Carregando comentários...