Conheça a trajetória de Diego Alves até a chegada ao Fla

Neste domingo (30), Diego Alves fará sua estreia com o manto sagrado. A partida contra o Corinthians marcará o retorno do goleiro aos gramados brasileiros depois de dez anos atuando na Europa. O menino, nascido no Rio de Janeiro, foi para Ribeirão Preto-SP, e começou a jogar futebol. Após passar por times amadores, foi treinar na base do Botafogo-SP.

Neste período, passou por um momento delicado. Teve paralisia facial, e durante o tratamento, engordou 20kg, devido aos medicamentos. A nova forma física o levou a ser chamado de “X-Tudo”, pelos companheiros.

Entretanto, mesmo com a primeira dificuldade, Diego não desistiu. Aos 16 anos, titular da equipe do Botafogo-SP, foi disputar a Milk Cup, na Irlanda do Norte. O torneio contava ainda com Manchester United, Leeds e seleções do Japão e Paraguai. Nossos vizinhos sul-americanos venceram, e o time do atual goleiro rubro-negro terminou na terceira colocação.

“Depois que voltei ao Brasil com a mentalidade de jogar na Europa. Eu gostei do estilo e do futebol. Foi essa viagem que me despertou essa vontade. Via o gramado perfeito, gostei do ambiente e pensei: ‘Poxa, eu quero isso para mim’”, recordou, em entrevista ao site espn.com.br

Em 2004, disputou a Copa São Paulo de Futebol Júnior com a camisa botafoguense, mas caiu na primeira fase. Nesta época, o Atlético-MG viu, o então garoto, atuando em um Come-Fogo (clássico da cidade de Ribeirão Preto entre Comercial e Botafogo-SP) e gostaram da sua atuação. Por fim, os atleticanos contrataram Diego e Éder Luís, que jogava no Comercial.

Na chegada ao Galo, disputou posição, no time sub-20, com Bruno (atualmente preso por causa da participação no assassinato da ex-modelo Elisa Samúdio). Mesmo recém-chegado, conseguiu a titularidade. Em 2005, estreou nos profissionais na goleada atleticana em cima da URT, por 4 a 1, em partida válida pelo Campeonato Mineiro.

“Eu fiz mais dois jogos antes de ir para a seleção brasileira sub-20. O Bruno ficou na reserva. Só que o Danrlei pegou uma suspensão de cinco jogos depois de uma briga com o Tévez. O Bruno jogou e foi bem. Quando eu voltei, virei reserva”, afirmou.

Contudo, o ano não foi bom para o alvinegro belo-horizontino, que acabou sendo rebaixado para a Segunda Divisão. Em 2006, Diego Alves continuou sendo reserva de Bruno, até que este se transferisse para o Corinthians, em agosto.

Diego Alves com a camisa do Galo

Com a camisa do Galo, venceu a Série B e iniciou a temporada seguinte como titular, fazendo bons jogos. Com o sucesso, recebeu propostas da Lazio-ITA e Bétis-ESP. Os negócios não foram para frente porque os clubes propunham o pagamento através de muitas parcelas, algo que o Atlético-MG não desejava. Então o Almería, também da Espanha, topou pagar pelo goleiro em apenas duas vezes, e concluiu a transação.

“O Felipe Melo já estava lá e me ligou: ‘Diego, pode vir que aqui é um clube correto e tudo mais’. Conversamos bastante. Eu não conhecia o Almería e com o Felipe tive as primeiras informações. Nos ajudamos muito nesse período na Espanha”, rememorou.

A chegada na Espanha, assim como no Galo, foi na reserva. “Eu virei titular porque o goleiro do Almería tinha uma cláusula no contrato de que não poderia jogar contra o Sevilla. Eu fui bem e não saí mais. Foi um jogo inesquecível para mim e me fez ganhar muita confiança. Tinham muitas dúvidas sobre mim. Pude demonstrar que o Brasil tinha bons goleiros”, bradou.

Cristiano Ronaldo parou três vezes em Diego Alves, em cobranças de pênaltis

Depois de quatro temporadas, foi contratado pelo Valência, e se tornou o maior pegador de pênaltis da história da Liga Espanhola (22 penalidades defendidas), tendo parado, nada mais, nada menos, que Cristiano Ronaldo e Messi,

O objetivo, além de ser campeão no Flamengo, é estar na Copa do Mundo de 2018 na Rússia. As chances são boas, já que vem sendo convocado constantemente por Tite.

“Quando cheguei à Europa era jovem e precisava me adaptar, depois tinha que confirmar. Eu passei por todas essas etapas e me considero um goleiro feito para poder aguentar este tipo de situação”, finalizou.

Garantindo estar bem fisicamente, tecnicamente e psicologicamente, Diego Alves começa a escrever sua história no Mais Querido neste domingo (30), às 16h, contra o Corinthians, na Arena Corinthians.

Veja mais:

Há 12 dias no Fla, Diego Alves recebe elogios e gera expectativa para sua estreia

De olho no rival: Romero pode ser desfalque contra o Flamengo

Carille quer marcação em cima e cita técnica “muito acima” do Fla

Afastado do Palmeiras, Felipe Melo volta a ser alvo de rubro-negros no Twitter

4 Comentários
Carregando comentários...