Home Colunas Zugzwang

Zugzwang

1143
21
SHARE

“Zugzwang, no xadrez, se refere a uma situação onde um jogador é obrigado a fazer uma jogada que coloca qualquer peça mexida em uma posição no tabuleiro pior do que a anterior”. Antes do clássico de ontem, eu novamente frisei que havia um divisor de águas naquele jogo, em caso de vitória, encaminharíamos uma arrancada, estaríamos momentaneamente no G6, todavia uma derrota aumentaria a pressão nas costas do técnico.

Vou tentar ser mais curto e direto na coluna de hoje, expressar com precisão o meu raciocínio baseado nos resultados da última semana. A pressão após a partida só não cresceu ao ponto de xeque-mate ao treinador graças ao jogo muito tranquilo da última quarta-feira, partida sólida contra a Ponte Preta, sem correr riscos, uma boa atuação como um todo na Ilha do Urubu.

Ontem vi um equilíbrio durante toda a primeira etapa, um gol “despretensioso” encontrado pelo Fluminense, em junção de falhas individuais de atletas rubro-negros, num momento onde houve um domínio nas ações por parte do tricolor carioca.

Durante a metade final, vi uma superioridade técnica do Flamengo, time jogou pra frente, atacou quase que a totalidade do segundo tempo, muito em função das excelentes mexidas do Zé Ricardo no tabuleiro do Maracanã; porém Abel Braga sabe jogar, tem experiência e passa por cobranças semelhantes nas Laranjeiras, um time que foi quase impecável naquilo que se propôs taticamente na etapa complementar do Fla-Flu.

Terminamos o jogo em cima do Fluminense, com um time extremamente ofensivo, encarando um adversário que se postava todo na defesa, se a partida tivesse os acréscimos dignos das paralisações da segunda etapa, sobraria tempo para uma virada do Flamengo; o empate da última rodada é um resultado muito mais para lamentarmos do que para criticar o trabalho, começamos a enxergar uma leve melhora, esperemos que a fase da equipe mude e que caminhemos juntos a uma redenção na temporada.

Nesta semana Zé Ricardo permanece com um peso enorme nas costas, ainda sem embalar duas vitórias seguidas no Brasileirão; temos também a provável estreia de Everton Ribeiro e Rhodolfo, “em uma posição de zugzwang, cada peça está em sua melhor posição, mas existe a obrigação de jogar torna piora a situação no jogo”; Zé Ricardo vem de duas partidas melhores da equipe em relação às anteriores, novos atletas para entrar na equipe, mas ele é obrigado a jogar, a regra é essa; “na maioria dos casos de zugzwang, o jogador se encontra contemplando um xeque-mate quase inevitável”.

Espero de verdade que o Zé encontre uma jogada de mestre, alguns movimentos inesperados, que suas novas peças contribuam ao fim desse momento turbulento; temos uma sequência de três jogos agora que podem causar o xeque-mate do treinador rubro-negro, mas que igualmente podem alavancar uma subida astronômica na tabela, que é o que unanimemente nós queremos, todos queremos o Flamengo “nas cabeças”, sendo assim, Sr. Mannarino, é a sua vez, faça a sua melhor jogada!

Nick Marques
Siga também no Twitter: @TheNickMarques

Comentarios

comentário

  • Arnold Layne

    O Fla teve bons momentos mas sempre quem esteve próximo da vitória era o adversário. Um dos problemas é se MA for muito abaixo do esperado pelo ZR – uma outra praga, Arão dará o ar das graças. Mas acho que não viu o mesmo jogo.

  • Anderson

    Excelente texto, garoto. No momento, apesar de enxergar o copo menos vazio, ainda acho que não temos futuro com o treinador. Aguardo pelo seu texto do xeque mate, se não agora, no fim do ano.

    • Nick Marques

      parece inevitável, torcemos que não seja necessário, mas há poucas esperanças

  • DefendaSeuDinheiro

    tem p0rr@ de xeque-mate de treinador coisa alguma, isto é coisa de mídia papa defunto!
    o trabalho é de longo prazo e o ebm banco o técnico no cargo!
    parece que trabalham à serviço do ex-presidenti e opositores do fla, antis em pele de cordeiro.
    vamos golear a chapinha para calar os falsos rubro negros.
    SRN

  • Junior_Capacete

    Não vi o jogo, não posso opinar.
    Mas os resultados são sofríveis.

    • Léo Faria

      O time parecia um bando. A impressão é que se conheceram no vestiário e foram pro jogo.

      • Junior_Capacete

        Então foi igual o jogo contra o Sport

  • Roy Parker

    É o que esperamos e que assim seja!

  • Não sei o que você chama de “equilíbrio durante toda a primeira etapa”, só se for ruindade em todos os setores igualmente, pois até o treineiro reconheceu que a atuação do time foi bisonha no primeiro tempo.

    O time bateu cabeça, errou passes, e muito por culpa da escalação, com Rodnei péssimo, Márcio Araújo desligado e Vinicius Júnior errando tudo fora de posição.

    No segundo tempo demos um gás primeiro porque o Zé consertou a merda do primeiro tempo e segundo porque é comum um time sem tradições ofensivas como o fluminense recuar para garantir o resultado, trazendo o Flamengo pra cima. Grave erro das flores, que aliás nosso treineiro gosta de fazer também.

    • Jack Magalhães

      O equilíbrio que ele se refere é uma equipe em relação a outra no jogo e não equilíbrio no Flamengo

      • Então ele está se contentando com um equilíbrio por baixo com o Fluminense?

  • Rodrigo Oliveira

    Fica impressão de q : Quem escreve para o Coluna do flamengo, deve assinar um termo se comprometendo a escrever o máximo de besteiras possíveis.

    • André Ferreira

      huashuashuashuashuashuashuashhuashuahsuashu

      Era só dar o ponto de vista….. q viagem…. kkkkkkkk deve ser NERD….. huehuehue

      • Rodrigo Oliveira

        Nada contra o teor nerd do texto kkkk
        Mas enfrentamos a Ponte Preta, que não faz mal a ninguem jogando fora de Campinas, desfalcada,buscando solução no potente e sempre perigoso Negueba. E pegamos um time sub 20, que tem um goleiro q não sabe pular. Ontem, o goleiro do Flor evidenciou, cristalinamente, dificuldade pra se impulsionar a 10 centimetros do chão. E o cara vem me falar em leve melhora e superioridade técnica, sem nem ter a coragem de citar todo esse contexto favorável. Só não foi tranquilo pq o Zé parece q gosta de grandes emoções, vide a insistência no MA e a escalação errada de Juan para o jogo de ontem.

  • Marcus Philipe

    Análise individual dos jogadores no primeiro tempo:
    Thiago – inocente;
    Rodinei – esqueceu como jogar de lateral;
    Juan – a idade não mais permite jogar em alto nível, mas escapou (no primeiro tempo);
    Réver – não fedeu e nem cheirou;
    Trauco – não fedeu e nem cheirou;
    Cuellar – não pode mais sair do time;
    M. Araújo – não pode mais entrar no time;
    Diego – sacrificado tentando arrumar o meio campo para os pontas que não tem inteligência suficiente para se aproximar para armar a jogada de ataque (na minha opinião o melhor do primeiro tempo);
    Éverton – não sei o que o pessoal vê nele, não arma nada, não vem jogando nada e sempre está como titular;
    Vinícius Junior – Muito nervoso, mal conseguia dominar uma bola;
    Guerrero – esta dando nos nervos de tanto que se esconde do jogo.

  • VOVÓ PELADA

    Essa coluna tá pior que a da vovó!

  • Marcus Philipe

    Na minha humilde opinião não é possível jogar com 433, já que não temos pontas inteligentes, os caras não sabem cruzar e o fixo não fica na área. Seria muito melhor trabalhar o 4-2-2-2, com dois meias de criação e um falso nove, o que iria caber como uma luva com o Conca e Diego, Guerrero(Damião) e E. Ribeiro de falso atacante. Mas iriam dizer que o time ficaria muito desprotegido e bla bla bla…

    • Jonathan dos Santos

      Vc ta certo!. ta adiantando o q ta “protegido” com M.Araujo?? kkkk nem proteçao.. nem efetividade no ataque com dois marcadores de lateral e Diego sobrecarregado na criação e Guerrero fazendo pivô pra ninguem.

  • Almir Ribeiro

    Ainda falta achar o equilíbrio mano. Torcer eu torço e o Zé está dando sinais de “mudanças” mesmo que “tardias”. Demorou, mas ele tirou o ultimo entrave (pelo menos por enquanto) que era MA. Agora temos um norte melhor e alimento esperanças que em fim o Flamengo encaixa bem o jogo. O Zé precisa de uma boa sequência, passar confiança, ter as faladas convicções de verdade. Se mantiver a direção tomada, acredito muito numa reação, mas eu ainda tenho um pé atrás com ele, principalmente com relação às peças ruins: Gabriel, MA, Vaz…que ainda são relacionados e estão no elenco sinalizando sempre uma “tensão” no ar…e Zé pode ter uma recaída. Dele espero tudo.
    O Zé é aquele cara que tem que sentir toda a pressão para reagir e mudar a meu ver, pois bem, estamos vendo ele ceder em meio a um turbilhão. Tomara que as entradas de Everton Ribeiro e Rhodolfo tragam equilíbrio a equipe.
    Imagino o seguinte: Thiago, Rever, Rhodolfo, Rodinei, Berrio/Vinicius Junior,Cuellar, Arão, Everton Ribeiro, Diego, Guerrero e Everton. meu palpitão claro!

    • Nick Marques

      sendo sincero, sou adepto do 3-5-2 ofensivo, Thiago, Rhodolfo, Rever, Juan; Cuellar, Rômulo (ou Arão), Everton Ribeiro, Diego, Trauco; Vinicius Jr e Guerrero

  • LeandroMgaJP

    Achei o texto legal; mas, não sei se a torcida como um todo engoliu o jogo contra a Ponte como sendo um bom resultado, uma partida sólida e coisa e tal, achei que foi um jogo contra um pato, e só, nada mais que a obrigação de ganhar; seria um fiasco perder, digno de perder a cabeça; de qualquer modo, tb não vejo a tal evolução em campo até o momento, mas ainda esperançoso de que os novos jogadores possam auxiliar o time a encontrar o caminho das vitórias.