Home Colunas Anderson Alves Espanholização no modelo de contratação?

Espanholização no modelo de contratação?

3167
83
SHARE

Muito se fala por aí sobre as cotas de TV que há uma espanholização do futebol brasileiro. Alguns colegas aqui já versaram sobre este tema que sempre fica aguardando uma oportunidade por parte da mídia e de outros clubes oportunistas. O Flamengo vai mal, o assunto desaparece. O Flamengo vai bem e o assunto volta.

Gostaria hoje de observar noutra direção. Se existe a discussão sobre espanholização das cotas, qual o modelo de gestão de clube/contratação o Flamengo mais se aproxima no projeto espanhol de futebol?

O modelo de contratação do Barcelona é ideal para os românticos e saudosistas, como eu, que gostariam de ver o Flamengo contratar cirurgicamente jogadores que decidam, enxertados de grandes pratas da casa.

Nos últimos três anos, o clube catalão fez 15 contratações, 11 vendas obtendo um prejuízo de 186,57M e manteve um número de 28,6 atletas no elenco, dos quais a média de 12 pratas da casa, 7 titulares. Minha conclusão é que, guardadas as devidas proporções, o clube brasileiro que mais se aproxima desse modelo seja o Santos ou internacional. Há muito debate sobre o assunto e já escrevi sobre em outro momento. Portanto vou evitá-lo neste texto.

Uma coisa muito importante de se dizer é que, para efeito de análise, utilizamos apenas contratações que exigiram compra de direitos econômicos de jogador. Portanto, empréstimos e “oportunidades” de mercado estão descartados tanto para a venda quanto para compra. Outra coisa é que os jogadores são substituídos e emprestados durante a temporada, então para efeito de análise, estar no elenco daquele ano é ter jogado pelo clube oficialmente e/ou ter ficado a disposição durante a temporada no banco.

Como todos já devem estar carecas de saber, o Real Madri tem um modelo bastante agressivo de mercado. Nos últimos três anos fez 11 contratações, 10 vendas obtendo um prejuízo de 80,65M e manteve um número de 30,6 atletas no elenco dos quais a média de 6 pratas da casa, 3 titulares (acreditem! Carvajal, Fernandez e Vasquez fizeram dois terços ou mais das partidas do clube no ano).

A maioria não vai curtir, mas a impressão que dá é que o Flamengo caminha cada vez mais nesta direção. Ao longo da gestão bandeira foram contratados um número de 20 jogadores, 5 foram vendidos, enquanto um número absurdo de pratas da casa jamais tiveram espaço. Para se ter uma ideia, na média dos cinco anos apenas cinco por ano tiveram oportunidade. Luiz Antônio, Paulo Victor, Rafinha, Nixon, Samir e Jorge foram os únicos a obter oportunidades mais claras e com frequência. Uns foram vendidos, outros emprestados, dispensados, caíram no esquecimento. Mas o aproveitamento da base não é o tema central desta coluna.

Dos onze titulares atualmente, apenas dois são oriundos da base. Um nem é uma unanimidade, tendo herdado a vaga devido à má fase de Muralha. “Mas você voltou a falar da base, Anderson”! Apenas para constatar que o Flamengo tem montado seu time fundamentalmente com contratados. Nem é para criticar. Esta coluna antes é um ensaio para que todos formemos opinião a respeito, do que uma cornetagem.

Uma coisa digna de nota no caso destes clubes, é a quantidade de jogadores comprados que não são aproveitados e acabam emprestados em clubes secundários da Europa. Muitas vezes vão para o time B e até C, caso de Real Madri, que possui time B até para o juvenil. Vale uma tentativa, por exemplo para fazer apostas em jogadores pelo Brasil e América do Sul e na base.

Para não ser leviano, é interessante falar de um clube que, ainda que a passos lentos, começa a se infiltrar na dicotomia espanhola e conquistar seu espaço. O Atlético de Madrid, mesmo com orçamento inferior, tem aparecido no cenário local e Mundial com determinada frequência. É muito claro que alguns fatores convergiram para isto e que será difícil de manter a longo prazo, mas é um fenômeno que deve ser colocado sob uma lente microscópica para maiores averiguações.

Seria necessário uma coluna só para este fenômeno para entender o que, de fato, se passa pelos lados Castelhanos. O clube de Simeone contrata mais, vende menos e tem maior prejuízo no quesito contratações. Inclusive tem menos pratas da casa em seu time. Noutro momento faremos esta análise, visto que o que nos importa aqui é Flamengo.

O modelo carece de estudo, mas seria interessante apreender o que funciona melhor nos três casos sempre visando o que desejamos para o futuro, que é estar no topo.

O que você acha dos modelos? O Flamengo está pendendo mais para qual lado? É lógico que não são os únicos modelos da face da terra, mas aproveitando o ensejo da espanholização. Chega mais. Bora prosear!

Anderson Alves, O otimista.

Comentarios

comentário

  • Felipe

    Temos que entender que não temos que ter apenas um excelente CT, Estádio e grandes jogadores para sermos os melhores, também será necessário termos os melhores profissionais, José Luiz Runco(não concordei com a saída deste grande profissional que tratou tantos jogadores de nome). Acho que até que seria interessante prepararmos alguns ex jogadores em cursos no exterior para todas as funções em campo muito parecido com Futebol Americano onde tem um técnico para a defesa e outro para o ataque, precisamos de um preparador de goleiros(Betinho ou indo além, faria uma proposta e prepararia o Rogério Ceni para a função assim que sair do São Paulo, ganharíamos um preparador de goleiro tanto nas defesas com a mão como na saída com os pés), prepara o Juan(aprendeu com o Gamarra) para treinar os zagueiros e volantes como defender, dar carrinho, jogadas aéreas e saída de bola, chama o Petckovic e fala você vai preparar os nossos meio campistas e atacantes a passar a bola, lançar e finalizar com as duas pernas, contratem o Murici como Coordenador Técnico para ficar ao lado do Zé Ricardo dando instruções a ele no dia a dia, potencial o Zé Ricardo tem, só precisa de experiência e conselhos de alguns caras mais rodados, seria muito interessante ter o Zico cuidando da nossa base, imaginem quantos garotos dariam prioridade ao FLA na sua escolha na hora de fazerem os testes. Tem que profissionalizar o Clube Regatas do Flamengo.

    • Felipe

      Assim como na Europa também precisaremos de um time B, porque não fazer uma parceria com a Portuguesa aproveitando o momento que estamos tendo em relação ao estádio na Ilha? Podemos levantar a equipes deles de divisões ajudando com salário dos jogadores e dando experiência imaginem só:
      César(Gabriel), T. Ennes(Kléber), L. Duarte, Dener, Michael, Ronaldo(Jean Lucas), L. Paquetá, M. Sávio(Patrick), T. Santos(Cafu), Adryan, Lincoln juntamente com jogadores da própria Portuguesa.

      • Anderson

        Boa. A ideia é ótima

      • Rafael

        Não tem como parceiro, tem limite de jogadores emprestados pra um clube, o correto seria o Mengão abrir um time B e esse time ter o contrato definitivo com os jogadores, e q esse time B seja criado na federação de outro estado de preferência.

        • Felipe

          Não sabia disso, valeu pela informação, então criar um time B por exemplo no Nordeste onde saem bastantes bons valores seria interessante.

        • Henrique

          Não sei se seria legalmente possível a criação de um clube empresa controlado pelo Flamengo mas se for poderia criar um em São Paulo , maior mercado e campeonato disputado e com cobertura pela tv.

  • Fabio

    Parei após ler nas oportunidades para base, visto que o Jorge não foi citado. Além do que, segundo suas informações Real Madrid contratou menos que o Barcelona, porém tem usado menos jogadores da base e um menor prejuízo financeiro. Lembrando também que o clube merengue é bicampeão da Champions League, competição com maior prestígio entre clubes mundiais. Adoraria que o Flamengo formasse seu time com a maioria da base, mas não vejo problemas no clube se reforçar bem e com qualidade no mercado.

    Achei rasa a discussão: o Santos formando sua equipe com maioria da base, o fez porque está endividado e ele mesmo gostaria de recorrer ao mercado pra qualificar seu elenco, não é um planejamento de identidade.

    No caso do Internacional, vemos nos últimos anos gastarem altas cifras do sócio torcedor com nomes de peso e inclusive estrangeiros, basta pegar o elenco campeão mundial (seu maior resultado esportivo recente) pra verificar que poucos da base eram titulares. Hoje o Inter optou por reduzir os custos porque foi rebaixado (péssimo resultado esportivo) pra série B, assim é natural recorrer mais à sua base.

    Se fosse pra seguir um modelo, acho que os de maiores sucesso são a Juventus e o Bayern de Munique, que ora atravessam renovações de contrato dos principais destaques adversários (contratando a custo zero) e em outras investem algumas cifras para contratar destaques dos clubes rivais e de menor expressão, sempre usando a sua estrutura e salários superiores, como argumentos fundamentais. Esse tipo de “modelo”, além de reforçar a equipe, enfraquecem os principais adversários aumentando suas hegemonias.

    • Francis Souza

      Acho tbm que tem que pensar até nos jogadores contratados
      Quem formou o Marcelo? O Fluminense ou o Real
      O caso do Casemiro é maior ainda? Foi formado no São Paulo ou no Real

      • É o nosso caso com o Bebeto por exemplo que veio do Vitória, e o Jorginho, que veio do América. Realmente isso é um caso a se pensar.

      • Fabio

        Verdade jogadores lapidados no Real.

    • Anderson

      Dá um ctrl+f Jorge aí.
      Ler faz bem.

      • Fabio

        Bom Anderson, senão houve a adição posterior, peço desculpas nesse ponto. De resto mantenho minha opinião sobre o restante, acreditando que essa discussão carece de maior estruturação. Mas parabéns por trazer o tema ao debate. Abçs.

    • Felipe

      Realmente o que a Juventus e Bayern fazem é muito bom para que continuem ganhando os campeonatos dentro dos seus países mais enfraquecem o campeonato nacional e os times também acabam não conseguindo crescer no cenário internacional, eu não vejo mais campeonato italiano e alemão pois já perdeu a graça, quero ver a Liga dos Campeões e campeonato Inglês que acabam sendo os mais interessantes, Campeonato Espanhol só vejo jogos do Real e Barça. O ideal não é o Flamengo chegar e enfraquecer os demais times brasileiros mas sim, chegar ao ponto de revelar bons jogadores, trazer jogadores da Europa e dos nossos vizinhos da América do Sul, assim não vamos prejudicar nenhum time do país, os campeonatos serão interessantes de serem vistos e mesmo assim seremos os melhores pois temos a maior torcida e isso trás maiores patrocinadores, cotas de TV e Sócio Torcedor, queremos o Flamengo ganhando tudo, isso é fato, mas também não quero que o campeonato fique chato, pois isso afasta investidores e não será legal.

      • Pedreiro do hawaii

        Essa tática de enfraquecer o adversário parece muito com o que o Palmeiras anda fazendo

        • Felipe

          E não acho legal, sem falar que contratam a “rodo” jogadores que nem utilizam, inchando a folha de pagamento, uma hora acontecerá o mesmo que aconteceu com a Unimed na época que patrocinava o FLU.

          • joão dias

            Recalque. Situações totalmente diferentes.

      • Fabio

        Concordo com você sobre o enfraquecimento do campeonato, mas acredito que a estrada trilhada pelo Flamengo e Futebol brasileiro caminham nesse sentido. O Flamengo vêm se preparando, se organizando, e quando tenta conversar com os rivais é isolado e colocado como o time egoísta, problemático. São todos contra o Flamengo, além das Federações que também estão sempre procurando prejudicar o clube. Sobre se reforçar nos rivais, temos um exemplo bem recente no caso Arão. Eu particularmente, adoraria que o nível do futebol brasileiro crescece e todos tivessem grandes jogadores, mas pela atual projecção isso não acontecerá em menos de 5 anos mesmo com uma mudança de postura à partir de hoje.

    • joão dias

      Boa análise Fábio. Faltam leitores aqui assim. Visão crítica. Ainda há esperança para esse site.

      • Fabio

        Obrigado João, também vejo você comentando aqui com frequência, nem sempre concordando , mas só serve para crescermos em nossas análises. Abç!

  • Rodrigo Felix Dutra

    O sucesso para o futebol se passa em contratações de jogadores consolidados para o time titular , a base tem que servir para preencher o elenco e ir ganhando espaço com as oportunidades que forem surgindo . Por exemplo : jogadores como MA , Gabriel , Damiao , Vaz , não deveriam estar no elenco , o clube incha o elenco com vários jogadores horrorosos . E se for o caso da base não conseguir produzir jogadores melhores que estes , ae meu amigo pode fechar as portas . Tem que ter 1 titular absoluto para cada posição é tentar preencher o máximo com jogadores da base . No ataque deveria ser Guerrero , Vizeu e logo atrás Linconl etc .

    • Felipe

      Concordo para o ano que vem podem deixar encerrar o contrato, emprestar, vender, trocar e etc. jogadores como: Muralha, César, R. Vaz, M.A., Canteros, Gabriel, Everton(tem muita vontade mas é fraco tecnicamente) e Damião podem sumir. Que deem espaço para chegada de titulares e para a base de fato serem mais utilizadas quando necessário: Ochoa/Weverton/J. César, L. Duarte, Dener, Ronaldo, Jean Lucas, L. Paquetá, M. Sávio, V. Júnior, F. Vizeu e Lincoln

      • Anderson

        Beleza, Felipe? Não entendi se esses jogadores do final seriam para entrar ou para formar o time titular. Concordo com as dispensas. Infelizmente, Everton e Gabriel tiveram contatos renovados.

        • Felipe

          Só o goleiro seria titular o restante da base iriam compor o elenco assim como o real madrid faz, conforme o Rodrigo Felix citou acima.

      • Rodrigo Felix Dutra

        A lateral direita por exemplo , Para e Rodinei são do mesmo nível . Então são dois bons jogadores ? Não são medianos , tem que vazar um e trazer outro titular absoluto . Tem que fazer como Real contrata 2 , 3 jogadores por janela , mas do contrata craque , o elenco tá cheio de jogadores da base . A zaga do Real era Sérgio Ramos e Pepe , no banco era Nacho e Varane , ambos vieram da base .

        • Felipe

          Mas vai trazer quem para ser titular absoluto Rodrigo Felix? Jean do Palmeiras não seria fácil, M. Rocha do Galo só vive se machucando e não tem apresentado mais aquele futebol de antes, Maicon ex seleção brasileira está no Avaí(caiu demais de produção), Jonathan do Atlético PR é bom ofensivamente mas deixa furos na defesa, Bruno do SP acho que tem o mesmo nível dos nossos atuais, Fágner do Corinthians não seria fácil trazer, Zeca do Santos joga na esquerda e na direita mas também não deve ser barato, o Internacional vendeu o William para o Wolfsburg, D. Alves tem mercado na Europa, Rafinha do Bayern também ainda tem mercado, Fabinho também, ou seja, não tem ninguém.

    • Anderson

      É bem por aí. Espero que geuvanio arrebente, mas sua contratação foi muito desnecessária. Aliás, há jogadores na base que poderiam ser titulares nesse time.

    • Concordo.

    • Smith

      eu já acho o contrário: Usar bem a base e preencher as deficiências com contratações pontuais!

  • Thiago Ferreira

    Se não estou enganado, faz tempo que o barça não revela jogadores top. Os últimos foram Piquet e Busquets, que nem craques são.

    • Anderson

      Eu até Concordo, mas ainda assim os médios são bons jogadores. Pedro e Rafinha teriam vaga em clubes da Europa. Imagina no Brasil?

    • joão dias

      Não são craques? Que isso. Busquets é a base daquele meio de campo. E piquet um dos melhores zagueiros do mundo. Craque não é só messi e cr7 amigo.

      • Thiago Ferreira

        Discordo amigo, a base do meio sempre foi Iniesta. Quando ele caiu de rendimento, o barça caiu junto. Busquets é bom jogador, jamais craque. Não consigo lembrar ao menos de um lance dele que seja de craque.

        • joão dias

          Acompanhe o futebol espanhol e verás se estou enganado. Saiu uma reportagem mostrando os númerosndo Barça quando o busquets se machucou (2016). Craque pra vc é só quem dribla. Paciência.

    • Rodrigo Andrade

      Thiago Alcântara é craque!!!

      • Thiago Ferreira

        Verdade. Mas não rendeu no barça.

        • Rodrigo Andrade

          Não tinha espaço na época e era jovem demais, além de Xavi e Iniesta estarem no auge, ainda contrataram o Fábregas.

  • Eu acho que o Flamengo deveria voltar às suas raízes. E o mais lamentável de tudo, é que as últmas formações de garotos da base tem tido jogadores muito bons, mas subaproveitados.

    Isso é uma filosofia equivocada dos burocratas da diretoria, que prometeram valorizar a base, e quando eu digo valorizar não é terminar o CT da base, e sim valorizar jogadores como Ronaldo e Leo Duarte, só pra citar 2.

    Tem uma geração excelente aí pedindo passagem, mas serão desperdiçados porque nossa diretoria prefere contratar jogadores medianos como Gabriel, pará, Vaz, Marcio Araújo, Damião, e etc., coisa que eu jamais vo conseguir entender.

    Respondendo a questão, o modelo que mais parece com o que eu queria ver é o do Barcelona.

    • joão dias

      Engraçado esses modinhas. As ditas pérolas, jogadores muito bons da base não conseguem jogar em times pequenos. Muralha no ano passado foi dispensado do Bragantino por deficiência técnica. Um exemplo dentre vários jogadores ruins da base e que os cornetas ficam pedindo. Agora, aceitar que a base do Flamengo é péssima, que tem influência de empresários, ninguém quer. É mais fácil criticar o técnico.

      • Meu camarada, chamar rubro negro que defende a base de modinha…. ´Aí é sacanagem….

        Você tem que levar em conta que quando um jogador perde espaço no Flamengo, sabe que vai para um time pequeno e que muito raramente poderá voltar, a motivação do cara vai lá pra baixo.

        Isso sem falar na estrutura do clube pequeno, sem as condições de preparação e recuperação físicas. Isso quer dizer que muitas vezes o garoto joga abaixo do potencial.

        Quando conseguem se fiirmar no próprio Flamengo, muitas vezes acontece como o Jorge e o Samir, que mantém o mesmo nível que tinham antes.

        • Pedreiro do hawaii

          Ele está afim de meter bronquinha

        • joão dias

          Admitir que nossa base é deficitária, nada né??? Paciência.

          • Yan Balduino

            Deficitário é o nosso técnico que ama um batalhão de perebas

          • joão dias

            Cara, que doença essa sua. Qualquer assunto que é comentado aqui, pode ser qualquer um, você tenta denegrir o técnico e o elenco. Amigão, estamos em 3 e o Zé tem o maior desempenho dos últimos anos dentre TODOS os técnicos que já passaram pelo Flamengo. Aceite. Faz bem. Já tá feio Yan. Zé te fez alguma coisa?

          • Yan Balduino

            João, vamos falar sobre futebol. Ah, não. Já vi que não é o seu forte.

          • Jardim Lara Simone

            Yan balduino e igual uma criança de 10 anos, so sabe por defeito em tudo! Exelente comentario joao dias!

          • A geração 2000 com 6 convocados pra seleção mandou um abraço.

          • joão dias

            Kkkkk empresários Almir. Saia dessa caixinha cara. Enxergue o óbvio.

          • Onde está o empresário do Vinicius Júnior?

          • joão dias

            Já falei pro outro amigo ai. Ele é fora da curva. Top. Exceção da exceção. E os outros 1289 jogadores perebas?

      • Pedreiro do hawaii

        Cara, aonde ele disse algo sobre técnico? Só para lembrar, Wallace foi dispensado pelo Corinthians por deficiência técnica. E a base do Flamengo é tão ruim que está sempre sendo convocada, e o que dirá do Vinicius Jr?

        • joão dias

          Kkkkkk VJ é gênio amigão. Não considere uma exceção para amparar seu argumento. Demonstra inexperiência, falta de cultura. Blz? 99% da nossa base não vinga. São jogadores ruins.

          • Pedreiro do hawaii

            Sr culto, o próprio Jorge só teve espaço no clube porque não teve outro jeito, pois tínhamos 3 jogadores medianos para ruins na sua frente, se os três não estivessem machucados, ele iria entrar nessa sua teoria.
            admitir que está falando besteira nada, né? Paciência…

        • André N Lessa

          Pedreiro,

          Em sempre olho com um pouco de pé atrás essa questão de convocações da base.

          Explico:

          Na base um jogador pode se destacar também porque fisicamente ele é precoce em relação aos demais de sua geração. Quando fazem a transição para o profissional são apenas mais um dos mesmos.
          Exemplo: Leo Lima e Souza Caveirão (Souza chegou a ser apontado como o sucessor do Ronaldo Nazário).

          Espero que tenha melhorado (e deve mesmo com esses torneiros nacionais nas categorias sub-XX) mas até 2010 pelo menos os técnicos das categorias de base das seleções olhavam apenas para o eixo Rio-SP-BH,PA.

          Os técnicos da base do Brasil não estão preocupados em formar jogadores que possam servir a seleção principal, mas sim em ganhar títulos porque, em virtude da mentalidade (ou seria falta de) da CBF, sem titulo eles são demitidos.

          Noves fora isso tudo, eu continuo acreditando que sai muito mais barato para o Clube ter jogadores para compor elenco vindos da base do que contratando por aí.

          SRN

      • Yan Balduino

        Chamar os outros de modinha é a maior modinha de todas

        • joão dias

          Você é modinha e corneteiro Yan. Tá em outro nível.

      • Anderson

        Tudo bem, João. Eu até Concordo que não sejam todos do mesmo nível. Por ano formamos 8? 9? Nem todos serão bons. Mas a base é boa. Nos últimos três anos, ótimos jogadores subiram e não tiveram espaço, por exemplo.

        • Rodrigo Martins

          O muralha ( volante) pode ate ser fraco .. Mais ainda preferia vê lo jogar no fla do q ter q aturar o caramujo…. Fraco por fraco prefiro o da base …(acho o muralha melhor q o caramujo .. Pelo menos tem um passe melhor)….

    • Felipe

      L. Duarte(rápido, boa saída de bola e bom nas jogadas aéreas), Ronaldo(joga de 1º e 2º volante, sabe jogar como meia e lateral direito, desarma bem, bom em jogadas aéreas, passa bem a bola e finaliza bem de fora da área), V. Júnior(nem preciso comentar) e Vizeu(bom nas jogadas aéreas, está sempre no lugar certo para pegar um rebote ou nos cruzamentos e bate bem com as duas pernas). Já são jogadores que poderiam ser reservas imediatos, buscando titularidade com o tempo.

      • Tem outro volante aí surgindo também, que eu esqueci o nome, que é muito bom mesmo. Nessa época de crise de volantes no time, por que não tentar a prata da casa?

        • Anderson

          Jean Lucas? Hugo Moura?

      • Felipe

        Ainda estão vindo por aí na lateral direita o Kléber que é excelente na parte ofensiva mas não sei como se comporta defendendo, Dener que tem as mesmas características do L. Duarte, lateral esquerdo Michael muito bom ofensivamente, volante Jean Lucas tem se descado no sub 20, atacante Lincoln finaliza bem, é rápido, sabe fazer pivô e passa bem a bola, tem uma leitura muito boa do jogo para fazer os gols e também servir aos seus companheiros, tem um potencial acima ao do F. Vizeu mas com características diferentes da dele.

    • Ruan Pedro

      Almir,

      Queria que, pelo menos, fossemos buscar algo que não formassemos em casa.

      Queremos jogar com 3 homens de meio campo? Ou primeiro e segundo volante mais um meia? Então vamos formar esses jogadores na base.

      Não conseguimos ter jogadores com potencial para entregar o que o time precisa? (Veja bem, com potencial, nunca iremos formar foras de série, salvo os Vinícius Juniors) aí sim, vamos atrás no mercado.

      Se 40% do ELENCO UTILIZADO semanalmente fosse baseada nessas filosofia, cresceriamos exponencialmente.

    • Thiago de Castro

      Por falar em raízes… poucos na base tem a cara do Flamengo… a raça que tanto damos valor… Temos sim uma porrada de mlk mimado…
      Temos qualidade gosto do Ronaldo e do Vizeu por exemplo… mas falando em raça… n vejo isso nos mlks da base… pelo menos n como regra.

  • Pedreiro do hawaii

    Bom, sobre o Real Madrid o que eu sei é que no caso de jogadores jovens, quando eles contratam, se acharem que o jogador não está pronto, eles não dão rodagem dentro do clube, eles procuram com esmero uma equipe para poderem analisar o desenvolvimento do jogador ou quando um jogador irá custar muito ao clube, a ponto de ter que vender alguns jogadores do elenco, na maioria das vezes eles ficam mantendo contato com o jogador, o problema é que corre o risco de alguém vir e contratar, como foi o caso do Pogba, Jesus e Neymar. Não vou ficar surpreso se o Vinicius Jr acabar sendo emprestado nos primeiros anos de Real Madrid, até ganhar porte físico e experiência jogando na Europa.

  • Felipe José Schweitzer

    nosso CT dos profissionais é o 15 do pais em qualidade. O da base nem existe ainda. Dai fica dificil achar que nossos leks estão aptos a serem titulares no profissional. Falta muito…. minha sugestão é destinar 5% de toda transferencia para o melhoramento continuo da base, seja estrutura ou profissionais.

    • Smith

      é uma boa ideia, mas Samir, Jorge e Vjr, saíram dessa Base que nem existe ainda…

    • Daniel Silva

      ct dos profissionais 15º? onde você viu essa colocação com base em que? por favor acesse o site do flamengo e veras suas contradições, boa noite

    • Daniel Silva

      ct dos profissionais 15º? onde você viu essa colocação com base em que? por favor acesse o site do flamengo e veras suas contradições, boa noite

    • Luciano Pereira

      Hoje, o CT do Flamengo é o melhor do Brasil dentre os profissionais. Não fale mentira, porque aqui todos são muito bem informados, exceto, você.

    • Carlos Bronberg Rodrigues

      _ O Flamengo passou a existir como clube e time de futebol a partir do momento que você adquiriu a idade de compreender tal esporte. Zico, Adílio, Geraldo, Andrade, Junior, Leandro, Tita, Mozer, Djalminha, Marcelinho “carioca”, Leonardo, Paulo Nunes, Adriano, Aldair, Zinho, Juan e outros devem ter vindo de Marte!

      • Felipe José Schweitzer

        pegue os ultimos 20 anos e veja quem revelamos e quem clubes como inter , sp revelaram, em quantidade.

  • Fernandel Walker

    O Flamengo da “Era Zico” foi formado por 4 ou 5 gerações de jogadores. A primeira e maior, a de Zico, tbm revelou Rondinelli, Cantarele, Jayme de Almeida, Vanderlei Luxemburgo. A seguinte nos deu Júnior, Leandro, Tita, Andrade. A seguinte nos deu Adílio, o falecido Geraldo “Assoviador”. A última nos deu Bebeto, Mozer. Já
    Marcelinho, Djalma, Nélio, Júnior Baiano, Zé Carlos, Juan, Athirson, Sávio, Júlio Cesar e Adriano, por ex, já surgiram na decada de 1990, quando a “Era Zico” já era uma doce lembrança, com seus maiores protagonistas já vendidos. Foram jogadores que iam entrando num time já estruturado, que tb contratou muito (e bem) ao longo desse tempo, como Raul, Nunes, Toninho, Marinho, Carpeggiani, Manguito, Lico, Renato Gaúcho, Pet, Iranildo, Romário, Edmundo, Gilmar Rinaldi, Djair e outros menos cotados, mas o que prevalecia eram jogadores feitos na base, cuja mescla com atletas mais experientes (mas em menor número) acabava dando liga.
    O que hj se vê, depois de algumas safras perdidas (Thomaz, Adryan, Matheus, Nixon,
    Negueba, Frauches, Cesar, etc) é que o clube deixou de dar à base a atenção devida, e agora com essa nova e boa safra, de Matheus Sávio, Paquetá, Ronaldo, Thiago, Vizeu, ocorre o fenômeno de não querer se desfazer deles, mas tbm não dar oportunidade. Vinicius Jr. está fora da curva, pois já foi embora. Tivesse o clube mantido a maioria da base em atividade em uma das muitas competições disputadas, criando uma espécie de “time B”, como chamávamos antigamente de “aspirantes”, a coisa funcionaria melhor, talvez. Mas hj não há mais essa categoria, e o garoto do Flamengo “estoura” a idade e ou vai pro come-dorme, ou acaba emprestado e esquecido por aí. Alguém sabe por onde andam Douglas Baggio, Diego Maurício ou Rafinha?
    Se o Flamengo não quiser perder mais essa promissora safra, vendo seus jogadores se destacarem em outros clubes ou acabarem esquecidos na Tailândia ou Coreia, deve logo reaprender a valorizar seus jovens, criando condições de aproveita-los de alguma forma sem pressiona-los.
    O ideal, e mais barato, é formar o jogador na base e aproveita-los nos profissionais. O Flamengo historicamente forma jogador para dar retorno em campo. Com isso, no futuro, obtém tbm ganho financeiro. Fora isso, tudo vira um grande problema.
    Porque não os coloca pra jogar a Primeira Liga, por exemplo? É uma boa reflexão, que pode dar bons resultados e até surpreender.

    Contratar melhor e mesclar com a base promissora. Como sempre foi. Duvido que, por ex., Ronaldo se sinta motivado no Flamengo, sabendo que é reserva de todos os outros volantes, e que não sabe quando vai jogar, ou SE vai jogar um dia.

  • Ednei P. de Melo

    Sempre defendi um modelo de manutenção de elenco em que tivéssemos uma base de 30 jogadores, onde os principais seriam 25: 11 titulares e 11 reservas imediatos (independente de serem contratados ou promovidos da base), acrescido de +1 zagueiro, +1 volante e +1 atacante. As demais posições deveriam ser preenchidos por jogadores promovidos da base, que por sua vez deveria ser no mínimo 5 jogadores. Como temos várias competições ao ano, pode-se até encaixar mais! Obviamente, os titulares e os reservas imediatos disputariam a posição no time; porém, a entrada dos garotos da base deve ser uma constante nesse sistema. Mas… &;-D

  • Daniel Silva

    assunto bastante relevante…não sei em quem a diretoria se espelha, se realmente ela se espelha em algo…mas gostei do texto

  • André N Lessa

    Anderson,

    Cheguei um pouco tarde para comentar então se esse assunto já tiver sido debatido por outros foristas, peço-lhe desculpas antecipadas.

    Dentro da ideia de “espanhalização”, entendo que o Flamengo deveria dar um passo atrás antes de mais nada. Esse passo atrás diz respeito à uma formatação/definição de como o Flamengo deve jogar.

    Não estou falando do esquema do Zé Ricardo, estou falando de uma identidade do Flamengo.

    Uma vez que isso seja definido, não importa o treinador que esteja trabalhando no Clube, essa filosofia tem de ser mantida.

    Com isso em mente, a base deve seguir a mesma filosofia em todas a sua estrutura.

    Se não me falhe a “vaga lembrança”, essa era o carro chefe por trás da contratação do Muricy. Seria muito interessante que o Flamengo investisse em um grande treinador ou jogador de futebol do passado e que fosse totalmente identificado com o clube para essa “formatação”.

    Uma outra ideia que me agrada muito, a ouvi em entrevista do Muricy tem alguns anos, é de formar jogadores pela função da camisa e não pelo esquema tático. Parece meio estranho à primeira vista, mas seria uma espécie de formação de jogador à la Holanda. Exemplo: Formaríamos na base o camisa 8 do passado. Aquele meia que saiba driblar, dar passe vertical, etc. Acrescentei a referência à Holanda porque ensinaríamos também o jogador a marcar, bem como demais fundamentos (chutar com as duas pernas, controle de bola, etc, etc).

    Um Abraço,
    SRN

    • DefendaSeuDinheiro

      O esquema ZR é o esquema para o time jogar, definido ano passado pela direitoria e “Muriçoca”, o famigerado 433, ou seja, o time é escaldo para jogar desta forma, assim como as contratações e formação da base.

      Como diria o Muricy, é o jeitão de jogar do Flamengo agora do mirim ao profissional.

      • André N Lessa

        Defenda,

        Isso chegou a ser realmente implantado? Foi divulgado em algum canto?

        SRN

        • DefendaSeuDinheiro

          Ano passado,Muricy só falava nisto.
          Acho que sim…

    • Carlos Bronberg Rodrigues

      _ A Holanda não é e nunca foi referência para o futebol brasileiro. O jogador de meio de campo e ataque brasileiro sempre marcou. A seleção brasileira de 1970 é que foi exemplo para a Holanda de 1974, naquela seleção tínhamos todos os jogadores atrás da linha da bola, até o Pelé marcava. O Flamengo do início da década de 80 também jogava com todos marcando e congestionando o meio de campo com três camisas 10 no time, Zico, Tita e Lico. Até o Nunes, que era o único atacante, marcava a saída de bola do adversário. Me causa ojeriza esse endeusamento do futebol europeu, diferente se não fossem os jogadores sul-americanos os melhores que lá atuam!

      • André N Lessa

        Então Carlos,

        Eu vivi na arquibancada tudo o que você está dizendo do time do Flamengo.

        Não estou endeusando a Europa, apenas citando uma realidade do mundo de hoje (de uns 20 anos para cá pelo menos) do futebol brasileiro. O jogador brasileiro não gosta de treinar fundamento, vem da base com vários vícios e deficiências, acha porque como “joga pelada” desde moleque sabe tudo, etc, etc.

        A parte holandesa que eu cito diz respeito a essa dedicação aos fundamentos, treinamento físico e senso de coletividade que se traduz de forma mais clara na marcação. O Flamengo de 80 tinha craques mas era, acima de tudo, coletivo pois envolvia completamente o adversário.

        O Flamengo de hoje (Clube) parece estar muito comprometido com a formação do cidadão nas categorias de base. Então que se coloque também essa implementação da cultura do auto aperfeiçoamento na cabeça d agurizada.

        SRN