Página inicial Colunas Cláudio Sampaio EBM, a onipotência e as sombras

EBM, a onipotência e as sombras

878
33
COMPARTILHAR
Eduardo Bandeira de Mello

Eleito com o grupo conhecido Chapa Azul, idealizado por Luiz Eduardo Baptista, no final de 2012 e reeleito três anos depois encabeçando a parte do grupo que não aderiu a dissidência, Eduardo Bandeira de Mello tem sido alvo da idolatria de alguns torcedores e de críticas veementes de outros.

A idolatria, exagerada ou não, decorre de um elogiável trabalho de saneamento das finanças rubro-negras após o Clube ter sido desmoralizado e quase chegado à bancarrota na desastrosa gestão de Patrícia Amorim.

Ocorre que este resgate não é fruto do trabalho de uma só pessoa, sendo oportuno lembrar que Eduardo Bandeira de Mello, antes de acumular a Vice-Presidência de Futebol, exercia função exclusivamente institucional, representando o Flamengo nos atos que demandavam a presença do mandatário máximo do Clube.

Bandeira de Mello, não obstante sua formação em Administração de Empresas, não é um líder nato e não exercia, antes de assumir a VP, funções executivas no Flamengo, sendo que os papéis decisivos no planejamento financeiro foram do competente Rodrigo Tostes, nos primeiros anos, e do craque Cláudio Pracownik.

Desta forma, afigura-se errôneo considerar Bandeira “o Salvador”, pois a credibilidade do Clube tem sido recuperada por grandes executivos que dão suporte imprescindível à Presidência desde o início.

Bandeira, o qual fez carreira em um banco público, é o homem que estava no lugar certo e na hora certa, após a impugnação da candidatura de Wallim Vasconcellos, tendo atraído, nos anos subsequentes, o apoio de correntes políticas suficientes para sua manutenção.

Do ponto de vista das críticas, a principal que os torcedores fazem a Bandeira de Mello é sua passividade e pouco pulso, agindo, muitas vezes, com espírito de acomodação em momentos graves nos quais os profissionais do Departamento de Futebol mereciam, no mínimo, “uma sacudida”. A derrota não pode ser vista como algo corriqueiro no Flamengo.

Enquanto EBM ficou nas sombras e exercendo funções de mera representação institucional, pouco tinha trocado os pés pelas mãos, atraindo, durante tal período, muito mais admiradores que oponentes.

O inferno astral do Presidente começou quando resolveu “interinamente” acumular a Vice-Presidência de Futebol, tendo, na sequência, abraçado a função – da qual mal entende e não tem perfil para exercê-la – como se fosse a sua principal e inarredável missão.

A partir de então, as inusitadas entrevistas de Bandeira de Mello, inclusive qualificando os críticos como “falsos rubro-negros”, a falta de atitudes mais enérgicas, o individualismo e, por fim, a malsinada “banana” que mandou para “um torcedor” em Florianópolis, durante o jogo contra o Avaí, revelaram que o mandatário não tem condições de capitanear a pasta mais importante do Clube e deve retornar, urgentemente, à função para a qual foi eleito: a de representação presidencial.

O profissionalismo propalado pela atual gestão demanda menos vaidade e mais bom senso, devendo Bandeira de Mello assimilar que ele é uma peça importante da engrenagem, mas apenas uma das peças, a qual deve restringir-se ao exercício dos já assoberbados deveres presidenciais, abandonando a pretensão da onipotência.

Que EBM volte às sombras da institucionalidade. Que venha logo um novo Vice-Presidente de Futebol, firme, disponível e entendido da função. “Cada macaco no seu galho”, pelo bem do Mengão, cujo elenco tem qualificação suficiente para não contentar-se com a mediocridade. A torcida quer vitórias.

Saudações Rubro-Negras! Vamos, Flamengo!

Comente pelo Facebook

  • André N Lessa

    Daqui a pouco teremos uma coluna sobre o EBM com os dizeres

    The Winter is coming!!

    SRN

    • ONIAS Alves

      Vdd
      Td hra fala do cara ja ta chato

      • Urubu Planador

        É essa a diferença de aparecer no momento certo contra aparecer no momento errado. Presidente não pode cansar a própria imagem. É outro modo de falar atue nas sombras.

  • ONIAS Alves

    E o seguinte ta vindo um jogador ai
    Que vcs vão fazer aerofla mais do que diego e Er7

    • Taylon
      • ONIAS Alves

        Não e mentira man

        To repassando o que fiquei sabendo de fabricio acompanha o flamengo 24hrs

        • Taylon

          Ah man mais é que ultimamente o Flamengo só ta fazendo cagada nas contratações, tomara que vc esteja certo irmão!

        • Taylon

          Manda o link da informação ai do flamengo 24hrs pq eu nao acompanho!

      • ONIAS Alves

        Quem e flamenguista sabe que o fabricio tem tds as notícias do flamengo
        Muitas dela primeira mão
        Vizeu ta negociando sua ida para o Benfica
        Paqueta e adryan vão ser emprestados

        • Cris PH

          Já falaram que o Vizeu não vai mais pq ofereceram só 9mi de euros e a torcida encheu o saco por causa do valor.

          Não sei se procede.

  • Perfeito comentário!!!

  • BVZ (VJ será maior que Pelé)

    EBM não tem perfil de cobrança (ao menos publicamente).
    E Mozer é um fantasma, de tão insignificante ninguém nem mesmo comenta dele.
    Precisa trazer um VP de futebol que diz que está junto com os jogadores mas que dá um esporro daqueles, até porque essa galera recebe aí, 300, 400, meio milhão por mês e tem que aguentar a pressão. E se a torcida quiser apoiar é porque está de bom humor.

    Só peço que não façam o Flamengo perder mando de campo, temos 8 de 10 partidas no Rio e precisamos engrenar.

    • Cris PH

      Esse Mozer trabalha no Flamengo ? 😀

    • David Haddad

      Melhor comentário. Tem que trazer um VP e mandar o Mozer embora. Serve pra nada. O Gabriel Skinner voltou da China e está no Criciuma. Traz ele pra gerente de futebol de novo Flamengo!

  • PlayerLEL

    EBM é um excelente gestor financeiro e tbm ótimo negociador, não há dúvidas em relação a isso, mas ele precisa ir atrás de profissionais melhores principalmente na área futebolística do clube

  • Carlos Henrique Caetano

    Quando a o jogo sujo da política se sobrepõe à paixão pelo FLAMENGO. É evidente a tentativa de usuários deste canal em tentar denegrir o excepcional trabalho realizado pelo EBM à frente do Mais Querido. É evidente que não faz nada sozinho, está cercado de excelentes profissionais, como os citados pela coluna, mas vivemos um regime presidencialista em que os louros são capitaneados pelo detentor do cargo. Nunca em mais de cem anos de história se fez tanto pelo FLA. Estamos caminhando a passos largos para dominar o Brasil e a América Latina, quiçá nos aproximar dos europeus. Mas para satisfazer interesses pessoais é preciso atacar o que o resto do mundo elogia. É óbvio que existem erros, mas os acertos são tão magníficos que os eventuais erros em breve serão esquecidos. Força, EBM, a NAÇÃO está com você!!! Mesmo que os títulos mais importantes não venham em 2017, acredito que virão, não se desvie deste caminho, pois não nos deixaremos contaminar por interesses pessoais mesquinhos em detrimento do futuro do FLAMENGO. SRN.

    • Francisco Mata

      Exato. Concordo com você, em gênero, número e grau.

  • Lameira

    Muito bom o texto. Nossa sociedade tem mania de acreditar em salvadores da pátria e acaba sempre quebrando a cara. Com a Nação não é diferente. Vejo muita gente agindo como se o EBM tivesse tirado o Flamengo da lama sozinho, mas isso está longe de ser verdade. Nem mentor intelectual do projeto ele foi. Tem crédito pelo que ajudou a construir, mas não merece receber todo o crédito sozinho, porque seria injusto com outros protagonistas da recuperação do mais querido.

    Se o EBM realmente quer o bem do Flamengo, deveria começar ouvindo mais a torcida e reconhecendo suas limitações pra deixar de lado esse totalitarismo que impera hoje em dia. Não dá pra cagar solenemente para o que os torcedores têm a dizer e depois ficar com hipocrisia de que a torcida é fundamental, de que é nada do Flamengo e tudo pelo Flamengo. EBM, se você considera realmente a torcida tão importante assim, começa a ouvir mais o que ela tem a dizer. O Flamengo não é seu brinquedinho.

  • Nelson vinhas

    Assino embaixo o lúcido texto. O EBM tem se mostrado um Presidente equilibrado na condução do clube, mas não é o principal responsável pela revolução ocorrida no Flamengo, até porque não fazia parte do grupo de empresários que iniciou esse movimento em favor do nosso clube. Para se liderar, há que saber conviver com as críticas. Elas, se bem aproveitadas, nos levam à reflexão e possíveis correções de rumo. Aprender a lidar com o poder não é tarefa fácil, nem para amadores. Saudações rubro-negras.

  • Carlos Henrique Caetano

    “A derrota não pode ser vista como algo corriqueiro no Flamengo.”
    Nada pode ser tão mentiroso e falacioso como essa afirmação. O desavisado que a lê pensa que o FLAMENGO foi o time mais vitorioso nas duas últimas décadas e que só experimenta fracassos na gestão EBM. Apesar de ter sido dolorosamente desclassificado na libertadores (fato que experimentamos em todas últimas participações), o desempenho do FLA é um dos melhores do país, tendo sido derrotado pouquíssimas vezes nos últimos meses. Os derrotados utilizam-se de jogo sujo e raciocínios equivocados -aproveitando-se do momento ruim do time- para tentar desmerecer o excepcional trabalho do EBM e sua equipe. Não conseguirão. Somos soldados do FLAMENGO e estamos com nosso comandante EBM. Força, Bandeira, a NAÇÃO te apoia.

    • wanderpc82

      Exatamente isso, perfeito.

  • João Felipe Moraes

    “A derrota não pode ser vista como algo corriqueiro no Flamengo.” Torceu durante 93-07? Pessoal fala como se estivéssemos com 20 Brasileiros em 20 anos, 18 libertadores e 15 mundiais.

    A grande verdade é que o período de ouro do Flamengo foi entre 80 e 92. Depois foram 20 anos de TERRA ARRASADA, passando 15 anos na parte de baixo do Brasileiro e colecionando fracassos internacionais e nacionais. Ganhamos um brasileiro que caiu no nosso colo e uma copa do Brasil, mais nada (a não ser que considere cariolixo algo super importante)!

    Agora que estamos voltando a ter um time competitivo, devemos cobrar, mas nunca esquecer das práticas e dos dirigente que DILAPIDARAM o Flamengo durante 20 anos. Parem de falar como se fossem décadas douradas e que agora está piorando. Nada mais diferente da realidade.

    • DefendaSeuDinheiro

      perfeito!!
      não tem o que por e nem tirar.

  • DefendaSeuDinheiro

    Deixa o EBM aí, como vamos nos divertir com os antis, modinhas e falsos rubro negros sem ele para polemizar???
    SRN

  • Carlos Henrique Caetano

    “Que EBM volte às sombras da institucionalidade.”
    O FLAMENGO e seu presidente NUNCA devem estar às sombras, pois são protagonistas do futebol brasileiro e mundial. É isso que tem incomodado a camarilha de derrotados. Estamos no caminho certo, não esmoreça, comandante EBM, a NAÇÃO te apoia. Não nos deixaremos levar por aproveitadores de plantão.

    • DefendaSeuDinheiro

      Apoiado!
      Tô com tu!
      SRN

    • wanderpc82

      É isso aí, no momento certo ele vai nomear um VP de Futebol competente e íntegro, que mereça estar ocupando o cargo.

    • Urubu Planador

      Cara acho que o Claudio Sampaio foi muito feliz em nesse comentário. E os fatos falam por si só.

      Presidentes que gostam de ibope:
      Eurico Miranda – Vasco (O siberiano)
      Paulo Nobre – Palmeiras (Era moralizado pela Wtorre)
      Carlos Eduardo – Botafogo (O Chorão)

      Esses foram alguns exemplos de presidentes que gostam de Ibope e tem um comando Fraco em que só conseguem mídia em oposição a outrem, ou com megalomanias de riquinho (Nobre).

      Atuar nas Sombras da Institucionalidade, significa:

      Costurar grandes acordos e contratos, como p.e: Carabao, Televisão, Profut

      Ter poder de influnecia junto ao seu verdadeiro time: Os conselheiros do Clube.
      Gerenciar o VPs, de modo a maximizar o aproveitamento do clube (financeiro, marketing)
      Fortalecer laços políticos, a aproximação com o Prefeito do Rio é um exemplo e tem como consequência:
      VIABILIZAR A CONSTRUÇÃO DO NOSSO ESTÁDIO. sabemos que na política é nós contra tudo e todos.
      Ser uma oposição Inteligente à CBF, FERJ, CONMEBOL, a ser seguida por outros clubes

      Logo, Não faz nenhum sentido querer IBOPE, não faz sentido fazer a identidade o clube ligada a um dirigente, como no Vasco. Não faz sentido CENTRALIZAR a direção do clube, visto que o crescimento é um esforço mútuo.

      DISTO CONCLUÍMOS que, que para alcançar METAS elevadas, como as que eu citei acima, que resumem-se a revolução do Futebol nacional, não faz sentido buscar a ribalta (ainda mais quando só se trás prejuízo à própria imagem e ao clube), Pelo contrário É DETERMINANTE buscar as SOMBRAS da descrição e produtividade enquanto NINGUÉM VÊ (porque revelar planos para o inimigo?)

      O CRF nunca estará nas sombras se nossos EXECUTIVOS a dominarem.

      SRN.

      • Carlos Henrique Caetano

        Caro Urubu Planador. O que o colunista quis dizer em voltar às sombras não é bem o que você entendeu, como atuar nos bastidores, conseguir as coisas calado, isso o EBM tem feito sempre. É praxe de sua administração só divulgar um feito depois de realizá-lo. O que o colunista quis foi diminuir a grandeza do Bandeira que vem se tornando referência futebolística brasileira. Você não percebeu a maledicência da expressão em tentar apagar o brilho do presidente e levá-lo ao ostracismo para abrir brecha de algum opositor que não pensa no FLAMENGO, mas em interesse próprio. Somos soldados do FLAMENGO e estamos com o EBM. SRN.

        • Urubu Planador

          Velho, respeitando a sua forma de analisar esse texto e os fatos. Acho que sua interpretação extrapola os limites do que foi escrito e está eivada de temores que dificilmente hão de se concretizar.

          Você e eu, concordamos que o Bandeira consegue agir muito bem nos bastidores. Resumidamente, Bastidores – IBOPE = agir nas sombras.

          Ocorre que desde a prisão do Godinho, a atuação do Bandeira mudou. E mudou bastante. Suas ações estão aparecendo mais na mídia (isso é inegável) e em situações que sua presença era essencial (eliminação na libertadores) a atuação do presidente não foi satisfatória.

          O que eu quero dizer, caro camarada rubro-negro, é que, caso estivesse na equipe do presidente Bandeira, e tivesse voz naquele meio, aconselharia-o a dar um descanso a sua imagem focar-se em seus pontos fortes, ou seja, entregar a pasta de VP de Futebol e distanciar-se da mídia ( a não ser se estritamente necessário).

          Essa questão da Banana ao “torcedor” revela que o presidente está chegando ao seu limite, explorar as capacidades dele ao máximo só serviria para exauri-lo, e é o que está prestes a acontecer, caso continue o embate do presidente com torcedores, jornalistas . Fato que não é nada além de uma resposta ao estress causado por situações críticas:
          Reforma da Ilha, Lesão de jogadores importantes, Prisão do VP de futebol, consequente acumulação da pasta, eliminação do time na libertadores. É muita coisa para um cara só.

          Preservar a imagem do presidente, e voltar as origens, ou seja atuar nas sombras como ele sempre fez tão bem, é guardar energia para a proteção do presidente e da própria instituição FLAMENGO contra esses “opositores” que você citou.

          Afinal, não existe semente dos deuses no mundo real. Espero ter mostrado meu ponto.
          SRN

  • Carlos Henrique Caetano

    “Do ponto de vista das críticas, a principal que os torcedores fazem a Bandeira de Mello é sua passividade e pouco pulso.”
    Querem um Eurico Miranda??? Um bravateiro??? Ou um zé ninguém como o presidente do bostinha??? Não se mostra força com gritarias ou bravatas. EBM detém o conhecimento e sempre o expõe de maneira firma e educada. Sempre que é instado a se pronunciar, o faz com força e competência. Querem bravatas e grosserias? Sigam o caminho de São Januário. Isso aqui é FLAMENGO!!! Não precisamos de bravateiros. Força, EBM, os soldados do FLAMENGO estão com você.

  • LeandroMgaJP

    Não acho ele tão passivo assim, ao contrário, já “mitou” inúmeras vezes contra tudo e todos: desde a Globo, repórteres de várias emissoras, conmebol, cbf, ferj, governos estadual e federal, presidentes de outros clubes, torcedores de outros clubes e tb do próprio clube e, por aí vai…

  • Urubu Planador

    Análise perfeita. Presidente tem que saber andar bem nos bastidores, costurar acordos políticos, fazer aquele meio de campo com os conselheiros, etc. Não por acaso a maior crise do clube pós Bandeira é com o mesmo na pasta de Futebol. Achei que esse período seria até achar outro nome. Só que a teimosia, nesse caso, não ajuda.

    Volta Bandeira de melo mitador, o cara que assina grandes contratos: Globo, Carabao, Profut, responsabilidade objetiva dos próximos presidentes, etc. Mas larga essa pasta de Futebol, oh cara. Cada Macaco no seu galho.