Home Destaque Paulo Calçade: ‘O problema não é o Bandeira, e sim que o...

Paulo Calçade: ‘O problema não é o Bandeira, e sim que o Flamengo foi eliminado’

1851
10
SHARE

O comentarista Paulo Calçade, da ESPN, se posicionou sobre a postura de Eduardo Bandeira de Mello e também sobre as críticas dos torcedores feitas ao presidente.

“Se ele tivesse rodado a baiana no aeroporto, por um acaso, a gente chegaria aqui parabenizaria o Bandeira? Não! O problema do Flamengo não é o Bandeira, o problema é que está fora da Libertadores.” – Afirmou Calçade.

Eduardo, que tem sido considerado um dos principais exemplos de gestão no futebol, mas, por conta de posturas tomadas em entrevistas após eliminação do Fla na Liberta, acabou sendo alvo de críticas da torcida.

Comentarios

comentário

  • Helio Silva

    Olá amigos rubro negros , eu discordo do Calçade , o presidente , resolveu um problema sério das dívidas , desvinculando-os da vida financeira do Flamengo,
    e , por esta atitude , me levou a chapa azul vitoriosa , festejada pelo exercício
    da revitalização das finanças do clube . Mas quando foi empossado , sem a presença física da Patricia Amorim , que entregou a faixa presidencial com uma
    dívida de R$750 MI , e o EBM ,se fez auditoria , não sei , mas deveria , e se fez
    teria que aciona-la para as devidas explicações , que não o fazendo assumiu as
    responsabilidades , a custo do quê ? ,para mim há suspeição de conivência em
    alto grau , mas alguém diria , ele concertou as finanças , é verdade , mas para q
    para o time do Flamengo não , por que considerando um Flamenguista que tem assumido seu comando , com as contas favoráveis , qualquer um que seja , faria
    uma equipe vencedora , logo de início ,isto aconteceu com o Corinthians ( que ),
    enfiou a banana Guerreiro guela abaixo , numa transação que nunca daria certo
    considerando a bomba que é o Guerreiro como atleta de mil reis e não de R$800
    MI mensais e muito menos pelo valor dispendido na transação R$ 41 MI , com os
    valores depreciado ao nível de R$ 7.MI . Não para por aí as queixas quanto a forma de trazer atletas , e neste quesito , o Bandeira se achava o malandro mor da malandragem
    que achava que todo o atleta pretendido , teria que vir sem custo para a Gávea
    depois disso
    enrolou as próximas contratações anunciando e não realizando nenhum
    negócio
    e quando o fizera , teria sido sem o custo beneficio , causando sérios
    prejuízos aos cofres da Gávea , e , que com este retrato , pergunto
    O Bandeira de Mello é rubro Negro .

    Saudaç~oes Rubro Negras

    • sandro Oliveira

      Brother, eu sei que cada um tem sua opinião, mas o que você está dizendo nao tem a mínina coerência. Estamos irritados, chateados, decepcionados, porém, temos um presidente e uma diretoria que ama, vive e respira Flamengo. Tanto quanto nós, tem sido um exemplo em planejamento, não ligo pra sacanagem dos outros times. ISSO AQUI É FLAMENGO. Brigavamos para nao cair, estaríamos na libertadores mesmo que não houvesse o aumento de vagas. Perder e ganhar faz parte do jogo. Não vejo essa eliminação como um vexame, foi apenas um acidente de percurso.
      Temos o restante da temporada. Estamos seguindo todo ano melhor que o anterior, temos que reclamar, chingar e esbravejar, sim. Mas jamais deixar de apoiar quem é tão Flamengo quanto nós.
      Entre erros e acertos, ainda estão no lucro e eu sendo um RubroNegro de coração, continuo apoiando.

      ST a 3 anos.

      SRN

      • Jr

        Concordo contigo, Sandro!

  • Ibsen Perdigao

    O calcade nao falou porr4 nenhuma. Hauahuahaua.

  • Madruguinha

    O problema é que não querem enxergar o problema.

  • Álvaro Cordeiro de Medeiros

    O problema é sempre achar normal e passar a mão na cabeça de todo mundo, sendo quê o Flamengo nunca foi sinônimo de derrota e encarar com naturalidade!!

  • Tiago De Souza Oliveira

    Enquanto se Ricardo estiver nunca mais vou aniversário e acabei de cancelar o sócio torcedor da família toda não sou otário ou ze sai ou nem assistir não quero mais

  • Fernandel Walker

    Sejamos objetivos: o Flamengo perdeu um jogo fácil, onde saiu na frente mas não soube, mais uma vez, ganhar o jogo.
    Guerrero, sozinho e levando porrada o jogo todo, não podia resolver nada.
    As alterações feitas pelo treinador tbm não resolveram, principalmente Matheus Sávio, que parecia estar jogando contra a Lusa no campeonato carioca, e não um jogo decisivo e importantíssimo da Libertadores. Entrou mal e completamente desligado. Poderia ter evitado o primeiro gol, se estivesse jogando com “espírito de Libertadores”.
    No mais, os mesmos “apagões”, com o time desconcentrado e desligado, que nos fazem tomar gols perfeitamente evitáveis no fim dos jogos. Canso de dizer que o clube precisa cuidar melhor da cabeça desses jogadores. Depois de fazer o gol, o time recuou demais diante de um adversário morto, pra sair num contra-ataque que nunca dava certo, pois sempre acabava nos pés de um sonolento Éverton ou nos pés do fraquíssimo Berrío. Contra um time morto, se continuássemos a pressionar, poderíamos matar o jogo logo no primeiro tempo. Time que não sabe (ou não tem jogador para) jogar no contra-ataque, deve adotar outra tática mais eficiente pra ganhar jogos. Jogar futebol, quem sabe?
    Enquanto a cabeça desses jogadores não for tratada por um bom especialista, e enquanto o treinador insistir em um modo de jogar que não funciona por conta de deficiências no elenco, o Flamengo vai continuar sofrendo, e com ele a Nação. Ano passado, não fossem os pontos perdidos em jogos em que saímos na frente e sofremos o empate ou a virada no fim (Coritiba, Atlético-MG, Palmeiras e Internacional, por exemplo), seríamos campeões brasileiros. Nesse ano, já perdemos 2 pontos em casa, no Brasileiro, por causa desses “apagões” inexplviáveis. A lição, ao que parece, não foi aprendida. Até quando?

  • EuMeSmObYmYsElF

    único erro do bandeira é ser calmo demais.. é presidente da turma do “deixa disso”.. excelente gestor, o melhor presidente que o Flamengo já teve.. só precisa de alguém pra das uns esporros nos jogadores de vez em quando

  • Danilo Alves

    Trabalho em uma grande empresa e já participei de reuniões onde outros diretores debatiam assuntos, nunca vi um grande empresário dá espetáculo na mídia por causa de funcionários. O que estão querendo é farra , tumulto e discórdia. Jogadores são funcionários como qualquer outro e serão repreendidos como tal, pra isso não há necessidade de espetáculos.