Home Esportes Olímpicos Em duelo de tirar o fôlego, Pinheiros vira série e elimina o...

Em duelo de tirar o fôlego, Pinheiros vira série e elimina o Flamengo no Tijuca

278
12
SHARE

Casa cheia, torcida empurrando… De nada adiantou. Frio e concentrado, o Pinheiros mostrou-se mais uma vez o time da virada no Novo Basquete Brasil, triunfando e eliminando o Flamengo em duelo de tirar o fôlego, na última bola. Pelas mãos de Holloway, os paulistas calaram o Ginásio do Tijuca, venceram pela terceira vez seguida, a segunda no Rio de Janeiro, e saíram de um revés de 2 a 0 para virar para 3 a 2, vencendo por 78 a 75 diante do atual tetracampeão do NBB. Não bastasse a virada fenomenal nas quartas de final contra o primeiro colocado na fase regular, a reviravolta é ainda mais gigante. Dominante no basquete brasileiro desde a temporada de 2012, o Rubro-Negro fica pela primeira vez fora das semifinais do torneio.

É a quarta vez na história que o Pinheiros sai de um 2 a 0 para virar para 3 a 2 na história do NBB. Coincidentemente, o técnico José Neto já sofreu com isso na temporada de 2011/12, quando dirigindo o Joinville, abriu 2 a 0 contra os pinheirenses e tomou a virada. Nas semifinais, um duelo de São Paulo. A partir de segunda-feira, Bauru e Pinheiros decidem uma vaga na decisão do NBB 9.

Com 25 pontos, Olivinha foi o cestinha do jogo. Ele ainda pegou nove rebotes. No Pinheiros, Holloway anotou 18 e Bennett 13. O jogo coletivo funcionou, Ansaloni anotou dez, e Renan e Neto outros 11 pontos cada um. Teichmann foi o reboteiro com 11. No Flamengo, JP Batista acabou o jogo com 13 pontos, Marquinhos anotou dez, e Marcelinho, nove.

A virada começou a se desenhar no jogo 3, no ginásio do Tijuca. O Flamengo vencia a série por 2 a 0, e o clima era completamente favorável. Sem se importar com isso, porém, os paulistas venceram e voltaram para casa com a moral lá em cima. Em São Paulo, no jogo 4, com grande atuação de Holloway, que anotou 32 pontos, venceram de novo e vieram para o Rio de Janeiro com a autoestima elevadíssima. Minutos antes da bola subir no jogo 5, era possível notar um Flamengo muito mais carregado emocionalmente, enquanto os comandados de César Guidetti exibiam semblante bem mais leve.

Holloway e Marquinhos travam batalha
No primeiro minuto da partida, a atmosfera já era de jogo 5. Após a segunda falta marcada a favor do Pinheiros, o banco do Flamengo reclamou muito e José Neto levou falta técnica. O lance desestabilizou o Rubro-Negro, que falhou nos três ataques seguintes e viu o Pinheiros abrir 8 a 2 em três minutos. Sentindo a necessidade de jogar junto, a torcida levantou. E com quatro bolas de três, de Ronald Ramón e Olivinha (três vezes), os cariocas se arrumaram, virando para 16 a 14. Diferentemente dos outros quatro encontros, desta vez as equipes não desistiam de bola alguma, se atirando no chão repetidas vezes. Numa delas, o Flamengo roubou a posse e cravou com Rollins no contra-ataque, colocando fogo no Tijuca e vencendo o quarto por 23 a 21.

O ritmo não voltou diferente no segundo quarto. Era impossível piscar. Olivinha chegou aos 16 pontos com quatro bolas de três. Marquinhos meteu uma em rápido contra-ataque, mas o Pinheiros era eficiente do perímetro com Teichmann e Gemerson e não deixava o Rubro-Negro abrir: 30 a 26. Melhorando a defesa, os paulistas forçaram o Flamengo ao erro. E com cinco pontos seguidos, em bola de três de Neto e na cravada de Holloway, colaram em 36 a 35 na metade do quarto. Estacionado, o time da casa deu a virada para o Pinheiros com Mathias no tapinha, e seguia sofrendo com os rebotes ofensivos do rival. Na última bola do quarto, contudo, JP, na bandeja, levou o Fla para o vestiário com vitória por 44 a 41.

Na volta do intervalo, o Flamengo logo teve que abrir mão de Marquinhos, que cometeu sua terceira falta e foi para o banco. Sem seu cestinha na temporada, o Rubro-Negro deu quadra para Holloway. O americano chegava ao 13º lance livre com 100% de aproveitamento, empatando o jogo em 49 a 49 com quatro minutos jogados. Na arquibancada, o barulho do primeiro tempo deu lugar ao silêncio após bola de três de Renan e a virada paulista: 52 a 49. Sentindo novamente o momento ruim do time, a torcida se inflamou. Olivinha de três e JP Batista com cesta e falta, esfriaram a bola de três de Renan, mas o Pinheiros vencia por 59 a 57. Frio e concentrado, Bennett foi para duas infiltrações seguidas e os visitantes abriram a maior vantagem até então: 63 a 57. Vencendo o período por sete pontos, o Pinheiros chegou ao último na frente por 65 a 61.

O último quarto significava os dez minutos derradeiros para uma das equipes. E começou com o Pinheiros melhor, colocando 69 a 62 nos dois primeiros minutos. O caldeirão fervia, e o Flamengo levou a segunda falta técnica, novamente para o banco, por reclamação após lance com Ansaloni. Os paulistas se aproveitaram da situação e no contra-ataque seguinte, com Bennett, fizeram 72 a 65, faltando sete minutos. Em bola para dois, Holloway colocou nove pontos de frente e poderia ter colocado mais, não fosse o toco de Marquinhos no melhor estilo LeBron James. Na sequência, ele cravou e ferveu o Tijuca: 74 a 67.

No momento crucial do jogo 5, o Flamengo e Pinheiros erraram demais, mas o rebote ofensivo era sempre paulista. Faltando 1min50s, Olivinha, na bandeja, tornou o ginásio um caldeirão, trazendo para 74 a 73, vantagem mínima para o Pinheiros. No minuto final, Marquinhos desperdiçou bola de três e a posse era dos paulistas. Bennett, no tapinha, colocou para dentro após passe de Holloway, com 38 segundos por jogar: 76 a 73. Marcelinho, em dois lances livres, diminuiu de novo. Na posse paulista, Olivinha pediu falta de Ansaloni. A arbitragem não deu. E na sequência Renan foi para dois lances livres e acertou os dois, fazendo 78 a 75. O Fla ainda teve a última chance. Arremessou para três com Marquinhos (2x) e Fischer, mas falhou, e acabou eliminado com a derrota por 3 a 2.

 Reprodução: GloboEsporte

Comentarios

comentário

  • Marcio Makaay

    Flamengo precisa de renovação, e para isso tem que dar um limpa, ficar olivia, marcelo, JP, Marquinhos e Ramom, o resto (fischer, humberto, esses cara da base, mineiro) dispensar, ainda tem um gringo que nem gravei o nome que é doente, temos que repatriar laprovita, trazer o splinter, shamel, resumindo: 01 time do tamanho do mengão!

    Perdemos para um time limitado

    • Mário Fontinele

      Concordo, time errou demais!!! A camisa do Flamengo até no basquete pesa e muitos jogadores quando jogam contra dão até a vida, la também temos gabreis .

  • Silvio marcelo

    Pra mim não foi surpresa…. esse time é o mais fraco dessa recente história vitoriosa… simples assim..

  • Léo Faria

    Parece que é o momento do Flamengo. Falta sangue nos olhos.

  • Johny_Fla

    Perdemos poder de investimento com a saída da Sky, que só conseguimos repor agora. Isso influenciou na montagem do elenco, o mais fraco dos últimos 4 anos. Agora é pensar na próxima temporada e reforçar o time. Fica a lição desse ano, de não achar que tem a série encaminhada depois de abrir 2×0. Isso foi o mais frustrante nessa eliminação.

  • Jr

    Minha dúvida: vamos participar de alguma competição internacional? Se a resposta for negativa, não há a menor chance de um bom patrocínio.

    Olivinha jogou mal as partidas 3 e 4. Marcelinho também. Mineiro cresceu de produção nesse playoff. Mas voltou a ser o Mineiro de sempre hoje.

    Infelizmente acho difícil pra Flamengo renovar com Marquinhos, Olivinha e o Ramon (que deve receber em dolar).

    Perdemos e pela primeira vez na história do NBB não chegamos a semifinal. Paciência.
    A equipe lutou até o fim e por isso mesmo continua sendo o orgulho da nação!

  • Eduardo de Freitas

    Fiquei puto, depois de abrir 2×0 deixar os caras virarem em “casa”, é flórida, mas fazer o que né, faz parte, e convenhamos o nosso basquete tem crédito.

    SRN #BolaParafrente

  • nilton

    Eu acho que isso era so pra ganhar dinheiro com bilheteria ,e olha so no que deu

  • Fla 2017

    Abrir 2×0 na série e ainda por cima no último quarto o Marquinhos perder três lances consecutivos para o adversária e ainda terem perdido três chances de bolas de três é para pedir o boné mesmo. A torcida apoiou, mas como o pessoal já falou aqui: O tempo desse time já passou, está na hora de rodar o grupo e trazer jogadores que cumpram o papel defensivo e ofensivo com qualidade. SRN

  • Tmenezes

    O time de basquete como muitos pensam é o mais caro disparado da NBB e tem elenco para rodar só comparar com os outros times. Claro que alguns jogadores como o Fischer não rendeu nem 30% do Bauru, porem assumimos esse risco ao traze-lo. Humberto era fascinação do José Neto e nunca vi um jogo digno desse rapaz com a camisa do Flamengo. O jogo do Neto já esta manjado, já conhecem o antídoto para parar o Flamengo isso vem desde o bicampeonato a questão que o Flamengo como sempre teve muito mais dinheiro sobrava em quadra.Esse ano o cerco apertou um pouco mais em termos financeiros, porem não deixamos de ter um time forte a questão que Marcelinho não tem mais condições, JP no máximo é um reserva, para titular não dá.Mineiro para rodagem de um elenco ok, a verdade que o Neto tem que ter a cabeça voltada para o Flamengo e “esquecer” a seleção a qual ainda nem foi convidado para assumir.Hoje Basquete é defesa, defesa e nosso time nunca teve uma defesa sólida nesse ano só pegar o jogo contra o próprio Pinheiros, praticamente não ganhávamos nenhum rebote.Espero que montemos um time forte, defesa forte e temos de trazer um jogador matador de bola de 3, pois ficar dependendo do Marcelinho ferrou.

    • Jr

      Humberto jogou muito bem em uma partida contra o Flamengo. Não é apenas o Marcelinho, mas quando a equipe está predendo bate um desespero nos jogadores que começam a arriscar de 3, em vez de trabalhar melhor a defesa e ir em bolas mais seguras no garrafão.

      No ultimo lance realmente não tinha mais jeito, precisava arriscar de 3. Aí o Neto vai e tira o Olivinha. O jogador que estava com melhor aproveitamento na linha dos 3 pontos.
      Mineiro é até bom para a rotação. Defende bem. Mas lá uma vez ou outra acerta arremesso. Se for para ter jogador assim, me candidato a vaga kkkkkk
      O melhor técnico para a seleção hoje seria o Guerrinha.

  • Sandro Rondinelli

    É fácil dizer q perdeu pq o time era o mais fraco dos ultimos anos.
    E daí?
    Mesmo assim era mais forte q todos os outros. Nao a toa ficou em primeiro na classificatoria e abriu 2 x 0 na eliminatória.
    Ha lições pra tirar e muitas.
    Sem procurar culpados em uma modalidade q sempre nos representou muito, tomar virada assim nao dá.
    Pra mim a derrota nao veio no ultimo jogo, mas nos dois anteriores em que sei lá pq colocavam 3os reservas na rotacao contra o time titular do Pinheiros. Isso no basquete se chama soberba. Só é feito se vc estiver ganhando de muito, sobretudo em jogos decisivos.
    Vc roda o time de acordo com a rotacao do outro.
    Se o time nao estava fisicamente inteiro, nao estava pq?
    Pq nao fechar o garrafao, qdo eles estavam com o time alto?