Gabriel x Gabriel

Caros Rubro Negros,

Hoje faremos nossa segunda partida na libertadores 2017, rumo ao tão sonhado bi campeonato. E hoje eu gostaria de falar sobre um dos nossos nobres representantes que, se não for titular logo mais é quase certo que entrará no decorrer da partida: Gabriel.

Como todos sabem Gabriel chegou ao Flamengo em 2013 depois de ser um dos destaques do Bahia no Campeonato Brasileiro de 2012. Um jovem rápido, com habilidade, incisivo e promissor, que podia jogar pelas pontas e até mesmo pelo meio se fosse necessário. Foi esse o jogador que chegou ao Fla e que gerou expectativa na torcida.

Tem sido figurinha carimbada nos jogos nas últimas temporadas, (40 partidas ou mais), seja como titular ou entrando durante as partidas, certamente Gabriel gerou um misto de sentimentos na nossa torcida nesses anos. Se em alguns momentos, como no segundo semestre de 2014, se mostrou um jogador muito importante, em outros decepcionou bastante, como no ano de 2015. E mesmo em 2016, com um time e um elenco que evoluiram muito durante a temporada pouco acrescentou em termos de ofensividade e criação de jogadas, mesmo tendo se mostrado um jogador útil taticamente. Nada viamos daquele garoto promissor, que partia para o drible e tentava a jogada. Parecia que faltava confiança. E mesmo nos momentos que essa confiança aparecia via de regra a jogada não dava certo. E nesse ínterim a sensação da torcida é que as oportunidades dadas a este bom baiano eram na verdade um desperdício e que os jovens da nossa base estavam sendo preteridos em função de um jogador “nota 5”.

E assim chegamos ao ano de 2017. E mais uma vez o torcedor do Flamengo vê o já não tão jovem assim Gabriel tendo oportunidades. Para desespero de alguns, que viam mais uma vez a base ser preterida em função de um jogador que parecia já ter mostrado tudo que ele tinha a oferecer. Parecia. Começamos a ver um Gabriel um pouco diferente, em especial na partida contra o San Lorenzo pela Libertadores. Vimos um jogador que partiu pra jogada individual com confiança. Vimos um jogador que foi incisivo. Vimos um jogador muito veloz e útil pro time. Vimos algo que só tínhamos visto no Gabriel em 2014. E mesmo que tenha sido algo ainda pontual torcida vocês sabem como funciona… o que era “por que renovou com esse cidadão??” passou a ser “Nunca critiquei”. Brincadeiras à parte, eu mesmo tenho sido crítico com o Gabriel justamente por conta dessa passividade ofensiva em muitos momentos. Por acreditar que era necessário que ele fosse mais agudo e que tivesse mais acurácia nos passes e principalmente nas finalizações. Que acrescentasse mais do que apenas comprometimento tático. E parece que ele está disposto a isso nesta temporada.

E ai…o que vocês acham? Na disputa Gabriel x Gabriel qual nós veremos em 2017? O de 2014, que era um jogador insinuante e perigoso, que fez muita falta na Copa do Brasil por conta de uma lesão? O de 2016, importante taticamente, mas que levou a torcida à loucura por não ser o jogador agressivo que precisávamos como ponta? Ou o de 2015, que parece ser o mais lembrado por grande parte da torcida, aonde a impressão que se tinha era que ele estava ali apenas para ocupar o espaço que poderia ser de um jovem talentoso da base e para passar raiva no torcedor? Opine, elogie, critique…Participe!! E se você ainda não é Sócio Torcedor…faça o seu imediatamente!!! O seu maior benefício é ver um Flamengo cada vez mais forte!!!

Nota 0: Ferjão 2017. Pra mim não tem condição de o Flamengo jogar um campeonato no qual ele jogue para 1500 testemunhas. Time reserva, jogo em Volta Redonda…enfim. Simplesmente não é compatível com o tamanho e o investimento do Flamengo. Se é um campeonato nota 11 para os outros times, problema deles.

Nota 10: Estádio da ilha. Cada imagem nova que aparece me deixa mais contente. Como está ficando bonito o estádio da ilha, no qual nós provavelmente vamos passar alguns dos próximos anos mandando muitos jogos e tendo muitas alegrias!

Nota 10: Palavra. Toda vez que vejo a maioria dos dirigentes do nosso futebol falando sou lembrado do valor da palavra, da dignidade e da posição assumida independente da conveniência do momento. E lembro que União entre os clubes aqui no Brasil só se for a marca de açucar…

Seção Gato Mestre: Venceremos a Católica por 2×1, em um jogo difícil.

Luiz Henrique Amorim

contato@colunadoflamengo.com

 

Comentarios

comentário











Ver mais notícias