Página inicial Destaque Leonardo Oliveira: “O voo do Urubu”

Leonardo Oliveira: “O voo do Urubu”

4139
24
COMPARTILHAR

Flamengo inaugura CT e fecha a segunda etapa do processo de reestruturação, que começou com as finanças

Entre os grandes clubes, sempre houve consenso de que, bem organizado, o Flamengo seria a NBA do futebol brasileiro. Pois é bom eles se prepararem. Esse dia pode chegar ainda em 2017. Depois de quatro anos de reestruturação financeira sob o comando do presidente Eduardo Bandeira de Mello, um administrador com longa carreira no BNDES, o Flamengo projeta pela primeira vez em décadas fechar um ano com arrecadação maior do que sua dívida. Para ser mais exato, R$ 50 milhões (entrarão R$ 400 milhões, e o débito é de R$ 350 milhões).

A dívida está equacionada. E em dia. Mais do que uma gestão empresarial, o clube adotou postura austera que contrasta com o gigantismo que inflava o ego de todo o contexto flamenguista. Um ego que sufocava e aplicava rasteiras.

O Flamengo atual, me conta o diretor-executivo Rodrigo Caetano, vive com os pés na realidade. Os números são compatíveis com o dinheiro na conta. Nada da megalomania que fez o dono da maior torcida do Brasil, até pouco tempo, ser também dono de nome sujo no mercado.

A folha, por exemplo, é de R$ 6,5 milhões — como a de Inter e Grêmio. O orçamento de 2016 destinou 33% ao futebol. Para 2017, o executivo festeja como gol o aumento para 40%.

Rodrigo se entusiasma ao falar do Flamengo. Tanto que interrompeu as férias com a família na Flórida para me atender e tratar dos projetos e das ideias para 2017. O desafio de ajudar a reerguer um gigante apareceu na vida do principal executivo do futebol brasileiro no final de 2014. Ele topou. Sabia que seus antecessores no cargo, Felipe Ximenes e o conterrâneo Paulo Pelaipe, haviam atravessado um caminho de pedras. E restava ainda um bom tanto de sofrimento pela frente. Rodrigo encarou. Dois anos depois, dá-se ao luxo de comemorar na Flórida o ano que indica ao Flamengo estar no caminho do sucesso.

— Acredito que, no futebol, é preciso se preparar para ganhar e não ganhar para depois de se preparar. O Flamengo tem se preparado para ser protagonista — diz Rodrigo.

224907201O processo de reestruturação do Flamengo começou pela recuperação das finanças e da credibilidade no mercado. A mesma que permitiu contratar jogadores do quilate de Guerrero na metade de 2015 e Diego um ano depois. Não há dinheiro para pagamento à vista. Tudo é diluído ao longo do contrato. O trunfo para atraí-los é o pagamento em dia, a grife Flamengo e o projeto do clube. A segunda etapa dessa reestruturação cristalizou-se no dia 13 de dezembro. Depois de 33 anos, o terreno do Ninho do Urubu, em Vargem Grande, na zona oeste do Rio, virou um CT de primeira linha, uma estação de excelência comum aos grandes da Europa.

Reunião detectou que faltava ao clube dar um salto na estrutura

Conheci o Ninho do Urubu no final de 2011, quando Ronaldinho ainda jogava no Flamengo. Era um arremedo de CT, com acesso em chão batido e contêineres que abrigavam vestiários, salas de imprensa, de musculação e de reuniões. Diferenciada, mesmo, só a paisagem dos morros cobertos de verde. Faltava tudo, até mesmo um muro para separar um dos campos de um condomínio vizinho.

No final de 2015, depois do 11º lugar no Brasileirão, Rodrigo chamou todos os integrantes da área técnica do clube para uma reunião. Queria entender a posição na tabela. Havia cumprido toda a cartilha, com salários em dia e contratações de qualidade, como Guerrero e Cirino. Havia algo errado e era preciso descobrir. Chegou-se à conclusão de que faltava o salto de qualidade na estrutura do clube.

— Decidimos que faríamos uma travessia em 2016 e colocaríamos dinheiro no CT como um todo. As instalações já tinham melhorado, e isso deu toda a condição para brigar pelo título. O projeto foi seguindo paralelamente porque teve dinheiro. Não tinha mais sentido ficar com aquela estrutura. Quantos jogadores de renome o Flamengo contratou e sempre ficou na parte de baixo desde 2009? — aponta Rodrigo.

O clube já havia melhorado as instalações na Gávea, no coração da zona sul do Rio. Faltava avançar no Ninho do Urubu. E foi feito. O local ganhou dois prédios para os profissionais. O primeiro tem dois pavimentos, com sala de jogos, auditório, sala de reunião, biblioteca, refeitório, cozinha industrial e hotelaria, com 24 suítes.

No segundo, estão sala de imprensa, vestiários com sauna e jacuzzi, sala de musculação e piscinas. O centro de excelência e performance, que abriga departamento médico, fisiologia e preparação física, havia sido inaugurado em fevereiro e já foi usado por atletas de fora, como Anderson Silva, Minotauro e José Aldo. Agora, Conca faz recuperação lá — e deve ficar para jogar.

O projeto do clube é finalizar até dezembro de 2017 a estrutura de prédios para a base. O padrão será o mesmo, avisa Rodrigo. O plano é de integração total entre o sub-20 e o profissional. O que na prática já existe. Os treinos são sempre no mesmo horário e em campos vizinhos.

O executivo prevê para 2017 aproveitamento maior dos garotos. Aposta em nomes como o do zagueiro Léo Duarte, do volante Ronaldo, do meia Lucas Paquetá e dos atacantes Vizeu e Thiago Santos. Todos passaram 2016 no grupo, como um processo de transição. Neste ano, ganharão mais espaço. Voltar a revelar talentos em grande número é outra das metas traçadas por esse Flamengo de pés no chão e passos firmes.

E, quando um gigante como o Flamengo caminha com passos firmes, é bom os adversários temerem.

Fonte: ZH Esportes

Comente pelo Facebook

  • André Sampaio

    Excelente matéria. Tenho fé que esse ano será de muitas alegrias para o Flamengo, e que continue crescendo, pra honrar sua grande, incrível história e torcida. #vaipracimadelesmengo

    Vem pro Telegram @FlamengoNacao

    • Carlos Campos

      Fé e Mengão sempre!!!
      Grande abraço André, feliz 2017!!!

  • Vinícius Nunes

    A atual gestão calou a boca dos críticos, inclusive de torcedores desacreditados. Devemos entender que essa cultura imediatista de almejar resultados rápidos sem levar em conta as consequências, coisas presentes na torcida e em antigos dirigentes, também é excelente para um fracasso rápido. Até pouco tempo existia um certo alvinegro paulista agraciado por toda imprensa que era tido para se tornar o maior de todos os clubes, mas bastou meter os pés pelas mãos com estádio caríssimo e encher o time de atletas fora da realidade que todo o planejamento veio abaixo.

    Em mentalidade temos muito o que melhorar. Tem gente ainda não enxergando que a melhoria lenta e gradual do departamento de futebol é fruto de resultados do equilíbrio financeiro, credibilidade no mercado e renovação na parte estrutural. Se persistimos nesse modelo de compromisso, seriedade, e competência, o céu será o limite nos próximos anos.

    • Narcox

      tirou as palavras da minha boca to de saco cheio desses torcedores corneteiros

    • Beto Karioca

      E por ai mesmo… chega de imediatismos, muita calma nesta hora e o ceu sera sim o limite, simples assim !

    • Carlos Campos

      “””Devemos entender que essa cultura imediatista de almejar resultados rápidos sem levar em conta as consequências, coisa presente na torcida e em antigos dirigentes, é o principal ingrediente da receita pra um rápido fracasso.”””

      10… nota 10!!!!
      Grande abraço e parabéns pelos textos!!!

      • Vinícius Nunes

        Obrigado, amigo. Muitas alegrias e saúde para você e sua família nesse ano.

        SRN

        • Carlos Campos

          Você como sempre educado e inteligente nas “letras”…
          Grande abraço!!!

  • Daniel Silva

    eu sempre orei pedindo que meu mengão saísse do fundo do poço, demorou um bocadinho, mas o Senhor do templo enviou pessoas competentes para reestruturar meu mengão. Hoje não escuto mais chacota de anti, por sinal, por onde eles andam..aos que.vivem de campeonatos regionais rsrsr Saudações do Poderoso Mengão das Américas!

    • Carlos Campos

      Nosso tempo de perrengue e chacotas institucionais acabou Daniel…
      Por mim, campeonato regional só jogaria com a base, ou a maioria dela, seria se possível, um “torneio apronto” para nossos garotos mostrarem serviço ao profissional a cada nova temporada.
      Não nos renderíamos a Globo e Ferj.
      Time principal sem cota de televisionamento da Globo, excursionaria e internacionalizaria cada vez mais a marca e instituição e ainda arrecadaria o mesmo provavelmente da mixaria que a Globo hoje oferece e não nos paga, entrega pra FERJ e eles ainda nos chantageiam e querem fazer o que bem entendem com NOSSO dinheiro.
      Grande abraço e um Feliz 2017 pra você!!!

  • Tulio Mêne Melo

    O Flamengo tinha uma dívida de 750milhoes em
    2012.
    2013-2014-2015-2016. Em 4 anos ele pagou em média R$ 100 milhões em dívidas. Se ele continuar pagando o mesmo valor em 2017 e 2018. O Flamengo ficará com uma dívida na casa de R$150milhoes de reais somente.
    Isso significa dizer que em janeiro de 2018 teremos mais de R$100milhoes pra investir em contratações.
    E em janeiro de 2019, teremos R$200milhoes pra investir em contratações. Seremos o maior clube, da América do Sul, dominaremos o Brasil, com tranquilidade. Nossa arrecadação está em R$400milhoes, sem estádio, com sócio torcedor somente com 75mil pessoas, e ainda pagando um juros absurdos para bancos.
    Imaginem daqui a 2 anos o cenário:
    R$150milhoes de dívidas somente – juros bem menor.
    Flamengo com o Maracanã para grandes jogos, e a Arena da Gávea pra jogos menores
    Sócio torcedor o maior do Brasil 150mil pessoas.
    Nossa arrecadação chegará com tranquilidade a R$ 500milhoes de reais….
    Se o próximo presidente for igual ao Eduardo Bandeira, poderemos chegar em 2020, com a dívida quitada.
    Imaginem, arrecadando R$ 500milhoes sem dívida…..
    Meu Deus, viverei para ver!!!!
    Estamos próximos disso. Nosso plano tem que ser se tornar o Barcelona do Brasil. Ficar sempre entre os 3 primeiros em qualquer competição que dispute.

    • Vinícius Nunes

      Pois é, meu caro. Lembrando que o Flamengo ainda tem ofertas pelo prédio no Morro da Viúva de 170 mi pra cima.O dinheiro da venda poderia ser usado tanto para investimentos ou quitação de parte da dívida.

      E outra: O Palmeiras tem receitas maiores que o Fla.No entanto, possuem gastos na mesma proporção. Com o Flamengo ficando perto de zerar sua dívida restará mais verba para investir no futebol e, consequentemente, mais lucros.

      Pelo trabalho homérico da chapa azul, torço para que Wrobel se torne o próximo presidente.

      • Carlos Campos

        APOIADO !!!!!!!
        Muito boa Nunes!!!

    • Carlos Campos

      Muuuuuito bem!!!!
      10… nota 10!!!
      Grande abraço!!!

    • Adriano Furlaneto

      Túlio o objetivo não é “quitar” a dívida e sim equacionar, como toda empresa faz. O negócio é ter uma dívida administrável e, ao que me parece a meta já foi atingida, ou seja, provavelmente ano que vem já tenhamos um montante antes impensável para investir no futebol. Talvez ainda esse ano.

      • Rclima

        Isso mesmo, Adriano. Até porque boa parte desses 350 milhões é de dívida a longo prazo. SRN

    • Fla 2017

      Isso mesmo Túlio. O Flamengo terá a chance de contratar os melhores jogadores do mundo e ainda por cima aproveitar a base sem nenhuma pressão.

  • Tulio Mêne Melo

    Recordar 2016…..

    Depois de décadas inauguramos o melhor CT do Brasil.
    Conseguimos depois de 4 anos a autorização par construir a Arena MacFla.
    Conseguimos fechar o maior patrício nino do Brasil ( CARABAO )
    Conseguimos renegociar com a Caixa econômica para 30milhoes
    Fechamos com Uber, renovamos com a MRV
    Contratamos o Muralha, Rodinei, Rever, Vaz, Donatti, Trauco, Cuellar, Mancuello,Diego e Damiao.
    Temos hoje um goleiro da seleção brasileira.
    Temos o melhor zagueiro do brasileiro: rever
    Temos o melhor lateral do brasileiro: Jorge
    Temos o melhor volante do brasileiro: Arao
    Temos o melhor meia do brasileiro: Diego
    Temos um dos melhores atacante da América: Guerreiro.

    Nosso 2017, será sensacional…..
    CT novo.
    Contratações acertadas ( Romulo, conca, marinho)
    Finalização do CT da base
    Arena Flamengo como estádio próprio
    Aumento do sócio torcedor
    ……………
    Seremos felizes

    • Carlos Campos

      Tulio…
      Já estamos sendo felizes…
      Tenho certeza que é só notícia boa daqui pra frente.
      Um ou outro percalço, porque até isso também faz parte da nossa vida…
      Porém…
      Nossa estrada já está pavimentada e só estamos daqui pra frente dando um acabamento no que falta de “acostamento” e valetas para escoar águas de chuva.
      Nossa velocidade na viagem rumo ao topo das Américas aumenta a cada semestre, e chegar lá é só questão de mais algum tempo.
      Admirável sua consciência, fé e escrita de quem parece, não esqueceu nossos não tão distantes perrengues e achincalhamentos pela arcoirizada, imprensa e mídias diversas.
      Para quem como eu e você não temos memória curta, essa inundação de notícias empolgantes nos alegram, animam e orgulham como se verdadeiros “títulos” dentro das quatro linhas fossem.
      Um título ao acaso aqui e outro ali, nem se compara ao que está acontecendo de “dentro” para “fora” em nossa instituição.
      Outro dia li, que título sem estrutura e organização, é como curtir andar de carro novo e ter o banco na sua porta com cobrança de atraso no pagamento da hipoteca e avisando que em breve virá o aviso de despejo.
      A bola pune e a administração sem pés no chão, também….
      As contas de nossos co-irmãos não param de chegar, como a muito tempo chegavam para nós em um passado cada vez mais distante.
      Nossa realidade hoje é outra, estamos em outro patamar.
      Enfim, um grande 2017 pra todos nós e Mengão sempre!!!

  • Carlos Campos

    Em atenção ao colega Tulio Mêne Melo.
    Sobre seu comentário “Recordar 2016”.
    Tulio…
    Já estamos sendo felizes…
    Tenho certeza que é só notícia boa daqui pra frente.
    Um ou outro percalço, porque até isso também faz parte da nossa vida…
    Porém…
    Nossa estrada já está pavimentada e só estamos daqui pra frente dando um acabamento no que falta de “acostamento” e valetas para escoar águas de chuva.
    Nossa velocidade na viagem rumo ao topo das Américas aumenta a cada semestre, e chegar lá é só questão de mais algum tempo.
    Admirável sua consciência, fé e escrita de quem parece, não esqueceu nossos não tão distantes perrengues e achincalhamentos pela arcoirizada, imprensa e mídias diversas.
    Para quem como eu e você não temos memória curta, essa inundação de notícias empolgantes nos alegram, animam e orgulham como se verdadeiros “títulos” dentro das quatro linhas fossem.
    Um título ao acaso aqui e outro ali, nem se compara ao que está acontecendo de “dentro” para “fora” em nossa instituição.
    Outro dia li, que título sem estrutura e organização, é como curtir andar de carro novo e ter o banco na sua porta com cobrança de atraso no pagamento da hipoteca e avisando que em breve virá o aviso de despejo.
    A bola pune e a administração sem pés no chão, também….
    As contas de nossos co-irmãos não param de chegar, como a muito tempo chegavam para nós em um passado cada vez mais distante.
    Nossa realidade hoje é outra, estamos em outro patamar.

    Enfim, um grande 2017 pra todos nós e Mengão sempre!!!

  • Carlos Campos

    Um alô para nosso colega Daniel Silva sobre um comentário seu.

    Nosso tempo de perrengue e chacotas institucionais acabou Daniel…
    Por mim, campeonato regional só jogaria com a base, ou a maioria dela, seria se possível, um “torneio apronto” para nossos garotos mostrarem serviço ao profissional a cada nova temporada.
    Não nos renderíamos a Globo e Ferj.
    Time principal sem cota de televisionamento da Globo, excursionaria e internacionalizaria cada vez mais a marca, instituição e ainda arrecadaria o mesmo provavelmente da mixaria que a Globo hoje oferece e não nos paga, entrega pra FERJ e eles ainda nos chantageiam e querem fazer o que bem entendem com NOSSO dinheiro como se deles fosse.
    Flamengo cada dia mais independente!!!!
    Grande abraço e um Feliz 2017 pra você!!!

  • Almir Ribeiro

    Não tem o que dizer, só agradecer ao BM que recuperou a imagem do clube e vem fazendo um trabalho maravilhoso, porém no futebol tem que vir resultados para o Fla decolar de vez. Tenho certeza que 2017 virão. Vejo o Fla Gigante e uma potência…o caminho está traçado é só continuar e sempre ampliando ainda mais os horizontes. Hoje sinto muito orgulho do CRF, minha família é toda Rubro-negra “da gema”, passando de pai para filho. Que o Mengão ganhe muitos títulos e coroe esse trabalho maravilhoso. BM reserva o Champanhe Francês do bom, pois vai ser um ano maravilhoso. É minha expectativa.

    • Carlos Campos

      A minha também…

  • Ramis

    Este ano o CRF deve pagar mais 35 Milhões da divida, para que 2018 seja muito melhor. Quando essa divida chegar na casa dos 200 a 250 Milhões, aí sim, começaremos a colher belos e importantes frutos desse magnifico trabalho que está sendo feito pelo mito EBM e toda sua competentissima equipe.