Home Colunas Anderson Alves Esquema ou jogadores inteligentes? Qual é o mais importante?

Esquema ou jogadores inteligentes? Qual é o mais importante?

1678
46
SHARE

Esquema tático virou, nos últimos tempos, uma fixação para muitos rubro negros nos bate papos de botequim, nas resenhas do churrasco e conversas, até mesmo, entre adversários. É bom. No Brasil se fala muito pouco de tática e isso ajuda a criar treinadores ruins que, muitas vezes enganam a torcida a ou b. Durante muito tempo em terras brasílicas o futebol foi jogado de qualquer forma, com o treinador dando liberdade para quem era diferente e obrigando o cabeça de área a ser ainda mais cabeça de área (no sentido em que fosse aquele cara que bate até na mãe se passar do lado). Em comparação, aquele paisinho pequenino ali próximo da gauchada tem revelado ótimos treinadores e isto se deve ao fato de se falar muito de tática e futebol no país.

O grande problema é que se fala muito de forma superficial por aqui. Se pensa por aí que jogar no 433 é ganhar um jogador no ataque, mas será que é isso mesmo? Jogar no 352 é ser retranqueiro, mesmo? O 442 é um esquema para quem quer o time mais equilibrado, podendo jogar no contra-ataque… Ouvimos muitas coisas por aí que não funcionam muito bem assim. Isto precisa mudar.

Para começo de conversa, o esquema tático muda muito durante os jogos. Hoje em dia está na moda atacar de uma forma e se defender de outra, principalmente por aqui. Este conceito não é bem o ideal.

Hoje estamos vivendo uma evolução, por assim dizer, do Futebol Total criado por Jack Reynolds. De forma rasa, este modelo de futebol visava a mudança contínua de posições entre jogadores, produzindo assim jogadores inteligentes que podiam atuar na posição que ficasse vaga a qualquer momento. Rinus Michels, Johan Cruijff e Frank Rijkaard são representantes deste conceito em maior ou menor escala. Todos holandeses. Partindo deste princípio é possível compreender a necessidade de, no futebol atual, os jogadores saberem fazer mais de uma função e isso contar muito quando se contrata este ou aquele jogador.

Antes de falar do esquema propriamente dito é preciso constatar como esta evolução influiu no futebol moderno. Qual é a implicação nele? Para não prolongar muito este texto e fazer dele uma aulinha de história do futebol, vamos assumir que hoje em dia TODOS os jogadores auxiliam no momento defensivo, de preferência assim que se perde a bola. Assim, no fundo, mais importante que o esquema tático em si, é implantar na cabeça dos jogadores, e jogadores brasileiros, que eles têm que ajudar a marcar, fechar espaços, fazer pressão. Mesmo os atacantes.

Claro que se o atacante está correndo atrás da bola para recuperar a posse, este movimento vai ter implicações em todo o time. “Se tu voltar para marcar um pouquinho, não vai ter força para chegar na frente” (Tite). Essa frase do melhor técnico brasileiro do momento é extremamente coerente. Sempre que se pensa em marcação alta e por pressão, se imagina um time que não suporta os 90 minutos e entrega o resultado por cansaço. Mas não é o que faz o time de Tite. Se o centro avante marca lá em cima, o meia também, os volantes se aproximam mais, os zagueiros sobem a marcação e, pasmem, o goleiro vira líbero. Era assim que jogava a Alemanha campeã mundial do baile em 7×1.

Eles jogavam no 433? 442? Qual esquema? Nesse momento pouco importa. Se os jogadores possuírem essa obediência, que não é tática, e, de preferência, inteligência, o esquema será só um detalhe.

“Anderson você me enganou. Pensei que ias falar de esquema tático”! Vou sim. No próximo texto prometo falar sobre os números, mas tem certeza que não falamos agora?

 

Anderson Alves, O otimista.

Comentarios

comentário

  • Diego Oliveira

    Tem q esquecer essa parada de pontas “burros” que correm. Velocidade não compensa burrice.

    • Rodrigo – Depto. de TI

      Exato.

    • Silvio Marcelo

      Perfeitamente. .

    • Anderson

      Isso certamente é uma coisa pra discutir. Um 352? 361? Quem sabe?

  • Valmir

    Pois é, lembro do técnico alemão dizendo que eles tinham 7 esquemas táticos somente mudando os jogadores de posição durante a partida, como fazer isso com “jênios” ( com J de jegue) como Gabriel e Cirino?
    De nada adianta o cara correr muito mas não saber o que fazer quando estiver com a bola.
    SRN

    • Anderson

      Exato. Ao menos parece que o Flamengo já tem pensado nisso para o perfil de jogadores, à exceção do Fernandinho. Falta o Zé comprar a filosofia.

  • Daniel Silva

    o certo é : bom esquema com jogadores inteligentes; jogador inteligente joga em qualquer esquema…

    • Anderson

      Concordo. Essa é a maior dificuldade.

      • Daniel Silva

        vleu

  • Deivid

    Texto muito bem argumentado, parabéns! O que se citou no texto pode ser muito bem visto no palmeiras campeão do ano passado, com meias(Zé e Jean) pelas laterais e com Volantes/Meias(TchêTchê e Moisés) que sabiam tanto marcar quanto atacar com a mesma qualidade, com o Dudu que era ponta e muita das vezes virava meia e o Gabriel Jesus que era centroavante/ponta. Vejo que da pra fazer coisa até melhor no Fla, pois temos laterais que atacam bem(um com mais técnica e outro com mais velocidade), volantes que podem virar meias(Rômulo e Arão), com meias que podem fazer qualquer função do campo, com Mancu sabendo jogar de 2º volante e meia, com Conca sabendo fazer o mesmo, com o Diego sendo o Armador e o 2º atacante, com o Ederson sendo ponta e 2º Atacante, e com o Guerrero sendo centro avante e vindo pra ponta pra abrir espaço para outros jogadores. Temos jogadores de ótima qualidade, tomara que o Zé consiga implementar o futebol moderno no Fla. SRN

    • Anderson

      Tem muito material mesmo. Valeu, Deivid. SRN

  • Flavio

    Um esquema que coloque o máximo de bons jogadores no time. Simples assim.

    • Anderson

      Beleza, Flávio? Mas você não acha pouco subjetivo, visto que há até pessoas que considerem Baidu um bom jogador?

      • Flavio

        Beleza e vc?
        kkkkk…..Primeiro, parabéns a quem consegue achar o baidu um bom jogador. O único Baidu que conheço é o antivírus. Que é ruim aliás.
        Segundo. Não é tão subjetivo assim. Vejo assim:
        4 posições no time são contestadas. Os 2 pontas, o primeiro volante e lateral direita (tem gente que escala o rodinei e tem gente que escala o pará) o restante do time é igual para 98% da torcida.
        Mas ainda sou da escola que diz que é mais fácil ensinar tática para quem joga bola do que ensinar a jogar bola para quem só é tático.
        Na verdade não existe jogador tático, isso é um jeito bonito de falar que o cara joga mal.
        Por exemplo. Um meio com M.Araújo, Arao, Diego e Everton ou um formado por Rômulo, Arao, Diego e Conca.
        Será que haverá tanta subjetividade na escolha?
        Srn

  • Albertin Fadini

    Temos que ter um esquema com jogadores inteligentes.
    O meio mais qualificado na minha opiniao, seria uma trinca de volantes com Mancu, Romulo e Arao com Diego ficando solto para criar. No ataque Guerrero livre para se movimentar e Vizeu

    • Alexsandrew Cardoso

      Até que enfim encontrei alguém que pensa em colocar no time um trinca de volantes só acho que Viseu e Guerrero não daria certo talvez Diego e Conca com Guerrero na frente. SRN !!!

      • Albertin Fadini

        Teriamos um meio marcador porem com muita saida de bola e chegada a frente. Acho que Guerrero e Vizeu podem jogar juntos sim, sempre achei o Guerrero jogando fora de posiçao, ele gosta de vir de tras e sabe muito bem ajudar na armaçao do jogo, basta ver como jogava nos gambas e na seleçao.
        Ainda nao vislumbro o time com o Conca, ate pq sabe se la qd ele vai poder jogar. SRN!

      • Anderson

        A ideia é boa. Penso em discutí-la mais a frente.

    • Anderson

      Boa. Dá pra fazer muita coisa nesse time.

  • Luiz Carlos

    Esquema tático e jogadores inteligentes caminham junto, uma mistura da “fome com a vontade de comer”, é absolutamente ingenuidade nossa dizer que um ou outro se sobressai, fato é que sua mistura leva a melhores resultados a prazo mais curto, falando em parte tática, muito se fala em 4-3-3, 4-4-2…etc….etc…, o que acontece é que desde “lá de trás” já se jogava com variações táticas, que é exatamente essa mudança de uma formação para outra, o time pode jogar em “vários esquemas” em uma mesma partida e com os mesmo jogadores, claro, desde que treinado, jogador de futebol na vida real não é como pebolim, parado, e por isso mesmo a sua mobilidade em campo proporciona essa variação, claro que dentre outras qualidades, portanto amigos, debater formação ou formações é algo absolutamente inútil, tá cheio de torcedor dizendo assim para de jogar no 4-3-3, joga no 4-4-2, isso tudo é balela, isso pode ser executado variavelmente em uma partida de acordo com treinamentos efetuados durante a semana e claro, características dos jogadores, mas muito para não confundirem características com inteligência.

    • Anderson

      Então, temos bastante coisa para elucidar nessa história. Por isso penso que seja interessante abordar cada um de devagar, ou de dois em dois…

  • Rodrigo – Depto. de TI

    O problema do Zé não é esquema é PANELA.

    • UrubuRei_CRF

      Panela velha é que faz comida boa!

    • Anderson

      É possível!

  • Muralha
    Rodinei
    Donatti
    Rever
    Jorge
    Ronaldo(Rômulo)
    Arão
    Diego
    Paquetá(Conca)
    Everton
    Guerrero

    5 jogos juntos e esse time vai estar voando

    • Anderson

      Boa. Vamos ver

  • stonedalien

    E outra dificuldade que o time apresentou no ano passado foi a de matar o jogo, faz 1×0 e recua, tem que parar com isso e tentar fazer o máximo de gols, se for possível golear todo jogo tem que golear, e é isso ai mesmo, todo mundo tem que marcar, até o Guerrero estrelinha que anda sem a bola.

    • Anderson

      Para mim são duas coisas que precisam ser consertadas: A sede de gols e a perfuração de retrancas.

  • André N Lessa

    Anderson,
    além de jogadores inteligentes e talentosos precisamos que eles também saibam a regra do jogo. Pode parecer uma afirmação tola à princípio, mas o que tem de “homem de frente” que não consegue acompanhar a lei de impedimento da zaga adversária…
    Outro ponto que julgo importante é o treinamento diário do fundamento, Uso como exemplo o basquete da NBA onde os grandes arremessadores treinam o fundamento todos os dias, mesmo no dia de jogo.
    SRN

    • Anderson

      E nesse sentido o Vinícius ensina a profissionais. Descobriu que estava impedido e nem foi.

  • lucasrf8

    O problema é que na cabeça do Zé os “inteligentes” do elenco são Márcio Araújo, Gabriel, Cirino…
    Ao meu ver jogador bom é o que faz a bola correr e não o que corre atrás dela. Chega de pontas acéfalos que não sabem dar um passe de 3 metros.

    • Silvio Marcelo

      Sou do mesmo pensamento. ..tamo juntos. ..

    • Anderson

      Não consigo acreditar nisso! O time da copinha não tinha Acéfalo.

      • lucasrf8

        Realmente não tinha, mas o Zé não dá oportunidade aos meninos. Basta lembrar que no melhor momento do Vizeu, o Zé preferiu insistir no Damião só pq tem mais nome. Será que o Matheus Sávio não joga mais bola que o Cirino e Gabriel? Será que o Ronaldo não é capaz de fazer o que o Márcio Araújo faz?

  • Ednei P. de Melo

    A galera gosta de malhar o trio Éverton, Gabriel e M. Araújo, mas se esquecem de que eles foram táticamente impecáveis no campeonato do ano passado… &;-D

    • Silvio Marcelo

      Fala Ednei. ..taticamente até concordo com você. ..o problema é que para por aí. .falta a ajuda técnica desses que você citou..

      • Ednei P. de Melo

        Exato! &;-D

    • Albertin Fadini

      Realmente, o Marcio Araujo foi impecavel no quesito “entregar a paçoca” em jogos complicados.

      • Silvio Marcelo

        Kkkkkkkk

    • Flavio

      Pow amigo, exagerou.
      impecável? serio mesmo?

      • Ednei P. de Melo

        Me referi ao aspecto tático. Não técnico… &;-D

        • Flavio

          Eu também.

    • Anderson

      Cabe muita discussão. Mas isso é já uma afirmativa sobre o tal 433. Não ganhamos homens no ataque. Ganhamos na defesa

      • Ednei P. de Melo

        Mas também ganhamos um time que propõe jogo e que domina o adversário na maior parte do tempo… &;-D

  • Eduardo Sacramento

    “Em comparação, aquele paisinho pequenino ali próximo da gauchada tem revelado ótimos treinadores e isto se deve ao fato de se falar muito de tática e futebol no país”.
    Mesmo que se entenda que foi uma ironia à Argentina, geograficamente falando, a afirmação se encaixou com o Uruguai.

    Sobre o texto, básico e excelente sobre tática. Muitos ainda enxergam o futebol como jogadores guardando suas posições e funções. Isso mudou há muito tempo e o brasileiro precisa aprender isso.

    • Anderson

      Um leitor chamou atenção a mesma coisa no twitter. Juro que na hora não pensei xD
      Valeu, SRN