Página inicial Colunas Anderson Alves O manifesto de Medellín

O manifesto de Medellín

630
3
COMPARTILHAR

O Manifesto de Medellín visa curar feridas no futebol Brasileiro. Hoje sofremos uma perda irreparável. Sete dias depois continua dolorido. O clube não morreu! Mas a história vai sempre recontar esse episódio como se o fosse. Nós todos do Coluna do Flamengo sofremos essas perdas e debatemos em vários veículos o que podemos fazer. Como é que a vida pode continuar agora. O Manifesto de Medellín veio como resposta aos anseios nossos e também os vossos.

Dirijo-me diretamente ao presidente da CBF, senhor Marco Polo Del Nero, e a todos os seus diferentes departamentos correspondentes. NÃO ACEITAMOS MAIS ISSO!

Não. Não vamos aqui buscar um bode expiatório, mas encontramos sim um organismo que não nos representa. Por isso vimos por meio desta exigir:

  1.   Profissionalização da arbitragem

Basta de amadorismo! Todos os setores que cercam o futebol são profissionais e apenas os mediadores do espetáculo não o são. Estamos cansados de árbitros megalômanos, que buscam os holofotes e empobrecem a festa. Isso tem que acabar. Exigimos a apresentação ainda em 2017 de um projeto a curto e a médio prazo para a solução do problema.

  1.   Calendário

Não aceitamos mais que o campeonato seja jogado nas datas FIFA, prejudicando os clubes que perdem seus jogadores e desestimulando o torcedor. Muito menos aceitamos esta folga fingida nas datas FIFA onde se tem jogos um dia após os jogos das seleções impossibilitando o aproveitamento dos jogadores selecionáveis. É inadmissível que o ano tenha mais de um terço de seu percurso com os clubes jogando contra times considerados de expressão muito inferior, para públicos indiferentes e causando enormes prejuízos ao Futebol. Queremos o maior campeonato do país disputado a partir do início da temporada. Com os campeonatos de menor expressão disputados às quartas e queremos uma pausa para intertemporada entre os meses de julho e agosto. Este projeto já deve constar para 2018 e não é negociável.

  1.   STJD

Exigimos transparência na conduta e construção dos auditores e juízes. “Notório saber” uma ova! Não é possível que um rapaz aos 19 anos, que não seja advogado possa ter em mãos o futuro do futebol brasileiro. Se não é remunerado então é que abre brechas para a corrupção. Nossos auditores são escolhidos através de indicação e politicagem. É necessário uma mudança substancial no assunto. Ainda que o tribunal esteja debaixo da proteção da constituição, o que é passível de mudança, deve o ser mudado. Concurso para auditores, remuneração e mudança de administração. Os nossos juízes e auditores são tão amadores quanto os árbitros de futebol, o que causa prejuízo ao espetáculo.

  1.   Moralização da CBF

Um presidente com mandado de prisão e impossibilitado de sair do país não nos representa! Chega de presidentes políticos. Quanto recebe a CBF? Quanto ganha da empresa de televisionamento? Para onde vai esse dinheiro? O que está sendo feito para fomentar o esporte no país?

É preciso novas eleições já! Até que Del Nero seja inocentado das acusações deve ser afastado do cargo e esta regra precisa valer para qualquer futuro presidente da confederação.

  1.   Suporte logístico aos clubes  

Longe de promover uma caça às bruxas, exigimos suporte logístico à disposição dos clubes que o desejarem, sem intromissão no planejamento soberano da agremiação. Recomendações de aviação, hotéis e CTs para viagens. Fiscalização de situações potencialmente perigosas e a não omissão em situações de crise.

  1.   Proteção à Chapecoense

Exigimos que à Chapecoense seja criado um mecanismo de proteção de seu desenvolvimento que impeça a queda em caso de má campanha decorrido de sua recuperação psicológica e técnica.

Estas são as poucas exigências que fazemos em nome do futebol Brasileiro. Criem vergonha na cara e resolvam de uma vez as mazelas que destroem o nosso fraco futebol que poderia ser grande.

Assim resolve,

Brasileiros Amantes do Futebol.

Anderson Alves, O otimista

Comente pelo Facebook

  • Nick Sousa

    Pior que a gente le e percebe que nao está sendo pedido nada demais, apenas o que é de direito dos clubes e coisas que só acontecem no Brasil. Onde eu assino? SRN

  • Douglas Reis

    Perfeito

  • kenywats

    Um detalhe que fiquei na cabeça, com relação ao posicionamento da direção da Chape tem haver com o item 6- Proteção à Chapecoense:
    – Ao analisar todas as repercussões da tragédia, pensei se uma grande empresa de advocacia multinacional não teria se interessado em propor à Chape o adiantamento de uma bolada pelo fato da empresa ter a certeza de conseguir indenização milionária do governo boliviano pela responsabilidade na liberação do vôo.